30/09/2017

[ RESENHA ] A (R)evolução das Mulheres

Título: A (R)evolução das Mulheres
Autora: Mindy McGinnis
Páginas: 343
Editora: Plataforma 21
Estrelas: 5/5
Três anos se passaram desde o assassinato da irmã mais velha de Alex Craft. Mas, como é de costume, a culpa sempre recai sobre a vítima e o assassino segue sua vida em liberdade.Alex é uma menina forte e quer vingar sua irmã. Por isso, ela resolve atacar qualquer predador sexual que cruzar seu caminho e colocar a boca no mundo, usando a linguagem que conhece melhor: a linguagem da violência.Mas o que aconteceu na noite do assassinato chama a atenção de Jack Fisher, o cara invejado por todos: atleta perfeito, que desfila de braço dado com a garota mais cobiçada. Ele deseja conhecer Alex profundamente. E, numa cidade pequena, onde todo mundo se conhece, esse repentino interesse vai desencadear uma série de crimes bárbaros.Uma narrativa vibrante com cenas de grande impacto, A (r)evolução das mulheres é uma reflexão profunda sobre os abusos e estereótipos, que tiram a humanidade das mulheres. Mindy McGinnis nos mostra que as agressões perseguem a vida não só das vítimas, mas também daqueles que estão próximos a elas.

Olá Leitores,

Já andaram pela livraria e se depararam com ou clicaram nas hashtags desse livro no Instagram? 

Para começar falar dele vou contar a historinha do meu processo de leitura: Como vocês devem ter notado, eu amo um livro juvenil, então quando eu vou buscar o maridão no serviço (sim, ele trabalha em livraria) o primeiro corredor que eu ando é justamente onde há ficção adolescente. Fui procurar pela sátira Time Humanos e ao lado dele uma pilha de A (R)EVOLUÇÃO chocava com essa capa de porta de banheiro. Eu não sei na escola de vocês como é, mas fui jogada direto no banheiro da minha, lendo declarações de amor e ódio. Fiquei olhando a capa e pensando o quanto a premissa era boa e como mágica a poltrona ao lado vagou, peguei os dois livros, sentei e comecei a folhear. 

Time Humanos ficou de apoio, jogado de escanteio (sim, ainda quero ler) e um virar de páginas frenéticos absorvendo cada linha do texto de Mindy McGinnis deu início naquela tarde qualquer e quatro dias depois quando voltei à loja (ainda não era dia de funcionário pegar livro emprestado). Enfim, o livro chegou em casa e pude ler com calma o retratar de um assunto tão antigo, mas que só está sendo debatido agora.

"Então me viro e conto quem sou.
É assim que eu mato uma pessoa.
E não me sinto mal por isso".

As consequências da falta de punição para agressores, a cultura de que mulher tem que ter um certo jeito de agir, um horário para sair, uma etiqueta de vestimenta com muito pano e um número pequeno, "melhor se for ínfimo", de beijos e sexo casual, e qualquer coisa além disso é um permissão não pronunciada para o abuso. Esse trecho anterior  é uma quantidade enorme de besteira que não deveria sequer dividir opiniões.

28/09/2017

[ LANÇAMENTOS ] Setembro - Autografia



Tem gente que é felicidade na vida da gente. É janela aberta em dia de sol, colo de mãe com cafuné. Tem gente que chega na vida da gente desatando nós, afrouxando os apertos do nosso peito, inaugurando um novo olhar a respeito do mundo e fazendo dele um lugar melhor. O Gino era isso para mim. Mas o Gino morreu cedo demais. E eu? Eu continuei viva. Escrevi para o Gino continuar. Escrevi para o Gino não morrer. Escrevo para duvidar do fim, para não acabar também.



França Bonjour, da autora Cecilia Machado, conta a história de uma jovem francesa que já sofreu enormes decepções amorosas e passa a se dedicar aos estudos para lançar seu vinho, homenageando sua terra natal, Champanhe. Ela não apenas consegue concretizar seu objetivo, produzindo uma carreira sólida, como constrói uma linda família.Era uma vida perfeita, mas nada dura para sempre: em uma manhã, seu marido sofre um infarto e a deixa. Tomada pela depressão, nem sua filha era motivo de alegria. Sua trajetória sofre uma reviravolta, e, através das palavras de Cecilia Machado, essa forte história toma rumo, com uma novidade a cada página virada.

27/09/2017

[ RESENHA ] O último Adeus

Título: O Último Adeus
Autora: FlynnCinthya Hand
Editora: Darkside
Páginas: 352

Estrelas: 4,5/5
Alexis Riggs é uma garota muito inteligente que sonha em estudar no MIT e apesar de fechada ela tinha uns bons amigos e um ótimo namorado. Mas tudo se transformou quando o irmão dela, Ty, se suicidou. Não existe eufemismo para isso ou meias palavras. Ele se matou. E até então ela não consegue entender como um garoto de 16 anos bonito, carismático, popular e querido resolveu tomar tal atitude, e pior: sem ter deixado nada a não ser um bilhete no espelho escrito “Desculpa, mãe, eu estava muito vazio”.

A história inicia com Lex tentando escrever em seu diário. Claro, o diário não foi ideia dela, mas do psiquiatra, Dave. Depois da morte do irmão, ela se afasta de todos e acaba seu relacionamento com Steve. Ela também não consegue chorar os sentimentos de perda e daí surge a ideia de escrever sobre sua vida com Ty e depois dele. Com tudo, ela ainda tem que se preocupar com a mãe que apenas chora, bebe e toma remédios para se livrar da dor da perda do filho; e com um pai ausente que abandonou a família há 3 anos e que ela não consegue perdoar.


 Vivendo cada dia arrastadamente, Lexie vive assombrada pela culpa da morte do irmão, afinal, ela prometeu estar lá quando ele precisasse. Mais ainda, ela começa a sentir o cheiro da colônia de Ty e de vê-lo em alguns momentos. Mas para quem ela poderia contar essa loucura? A partir daí ela retoma a amizade com Sadie, uma amiga de infância que estava agora no grupo dos rebeldes e maconheiros. Nada parecida com a protagonista. Mas é dela que vem a ideia de que talvez Ty tenha deixado algo para trás para ser terminado e até lá não conseguirá descansar. Não que Lexie acredite em fantasmas, mas o que mais poderia fazer? Então quando ela acha a carta do irmão destinada à ex-namorada, Ashley, e pensa que pode conseguir resolver, pelo menos, um dos seus problemas.

26/09/2017

[ RESENHA ] O Adulto


Título: O Adulto
Autora: Gillian Flynn
Editora: Intrínseca
Páginas: 64
Estrelas: 4/5
Uma mulher é promovida da parte de trás da loja de leituras de áurea e videntes e agora atua diretamente com os clientes usuais. Ela já está acostumada em observar o comportamento humano, conhecer seu público e realizar suas pequenas fraudes. Foi assim que ela viveu a vida toda. Ela sabe dizer às pessoas exatamente aquilo que elas querem ouvir. Em uma das suas sessões ela atende Susan Baker. Susan é como várias outras clientes: rica e infeliz. Ela acredita que há algo de errado com seu enteado e com a casa para qual se mudou há pouco tempo. Sem perder tempo, a jovem """sensitiva""" tenta tirar proveito da situação e oferece seus serviços para curar o que houver na casa. Mas o convívio com a família e com o local vão provar que existe muito mais do que se acreditava e ela pode estar em perigo.

A narrativa se inicia explicando o trabalho pouco convencional da nossa protagonista. Outra coisa pouco comum é que ela não tem um nome ou descrição detalhada sobre si, então você terá que recorrer a imaginação. Ela conta como desde criança, ela e a mãe, enganavam as pessoas para viver. Elas não eram miseráveis, nem nada, apenas queriam o modo fácil. E assim ela vive até chegar no presente da história.

Susan Baker chega preocupada com sua família e desesperada por respostas e soluções. Assim ela adentra a vida de Susan e sua casa. Lá, ela conhece Miles, o enteado adolescente de Susan. Desde o começo ele se mostra um garoto estranho, sarcástico e cínico. Ele sempre parece prestes a fazer algo e tenta avisá-la para deixar a casa antes que seja tarde demais.  Com os acontecimentos macabros a sua volta, ela percebe que talvez tenha mesmo se envolvido em um problema de proporções desconhecidas.

“ – Eu espero que você vá embora e não volte mais. Para seu próprio bem – disse ele, sorrindo para nós duas.” 

25/09/2017

[ RESENHA ] Caraval


Título: Caraval - Edição de Luxo (Caraval #1)
Autora: Stephanie Garber
Páginas: 351
Editora: Novo Conceito
Estrelas: 5/5

Tudo o que você já ouviu sobre Caraval, não se aproxima da realidade. É mais do que um jogo ou uma performance. É o mais perto que você chegará da magia neste mundo... Scarlett nunca saiu da pequena ilha onde ela e sua irmã, Donatella, vivem com seu cruel e poderoso pai, o Governador Dragna. Desde criança, Scarlett sonha em conhecer o Mestre Lenda do Caraval, e por isso chegou a escrever cartas a ele, mas nunca obtivera resposta.  Agora, já crescida e temerosa do pai, ela está de casamento marcado com um misterioso conde, e certamente não terá mais a chance de encontrar Lenda e sua trupe, mas isso não a impede de escrever uma carta de despedida a ele. Dessa vez o convite para participar do Caraval finalmente chega à Scarlett. No entanto, aceitá-los está fora de cogitação, Scarlett não pretende desobedecer ao pai. Sendo assim, Donattela, com a ajuda de um misterioso marinheiro, sequestra e leva Scarlett para o espetáculo. Mas, assim que chegam, Donattela desaparece, e Scarlett precisa encontrá-la o mais rápido possível. O Caraval é um jogo elaborado, que precisa de toda a astúcia dos participantes. Será que Scarlett saberá jogar? Ela tem apenas cinco dias para encontrar sua irmã e vencer esta jornada.
 


Entre os locais no Império Meridiano, um lugar rodeado de nobres e regentes, havia cinco Ilhas Conquistadas e entre elas, Trisda, que era governada pelo impiedoso, rico e elegante Marcello Dragna que vivia com suas duas filhas. Scarlett, a mais velha, e Donatella, a caçula. Contudo, houve uma época em que o Governador era um homem muito gentil, mas isso mudara por conta da partida inesperada de sua esposa, Paloma. Após esse acontecimento, Marcello havia mudado drasticamente enquanto Scarlett e Donatella ficaram aos cuidados de sua avó Anna, que as vendo tristes pela partida da mãe, lhes contava maravilhosas e empolgantes histórias sobre Caraval e principalmente, sobre o famoso e enigmático Mestre Lenda. 
 
Era aniversário de Donatella e para fazer algo especial para a irmã por estar sentindo muito falta da mãe, Scarlett resolve escrever a sua primeira carta para Lenda. Seria o melhor aniversário de todos, pois ele traria os seus fantásticos atores e a magia como ele sempre fazia quando viajava para um local novo. Contudo ele nunca viera e Tella começou a perder as esperanças, mas Scarlett continuava lhe escrevendo as cartas. Até que a notícia de que Lenda fora acusado pelo assassinato de uma jovem num dos jogos de Caraval, obrigando-o a parar de viajar por um tempo indeterminado.  

“-A bruxa não mentiu quando disse que Lenda não poderia ter fama e Annalise. Depois de se tornar Lenda, ele não foi mais o mesmo garoto por quem ela se apaixonou, de modo que ela se casou com outro e partiu o coração dele. Lenda se tornou tão famoso quanto tinha desejado, mas declarou que Annalise o traiu e jurou nunca mais amar ninguém. Provavelmente, há quem o chame de vilão. Outros dizem que sua magia o torna mais parecido com um Deus. Tanto a pequena Scarlett quanto a miúda Tella estavam a meio caminho do sono. As pálpebras estavam mais fechadas que abertas, embora as bocas se movessem, formando luas crescentes voltadas para cima. A de Tella sorria para a palavra vilão, mas Scalett se deliciava à menção da magia de Lenda.”

E enquanto Lenda não dava notícias de sua volta, a vida de Scarlett também mudava. Pois mesmo tendo um pai que era o homem mais rico que a maioria dos oficiais, por conta da ilha de comércio de rum e de outros negócios no mercado negro. Ainda lhe faltava o poder e o respeito, pois os regentes e nobres do Império Meridiano o ignoravam e consideravam qualquer um que fosse ilhéu, um camponês. Mas isso iria mudar, pois o Governador planejara casar Scarlett com um Conde que não apenas uniria sua família com a de um Nobre do Império Elantine, como também ganharia o poder e a respeitabilidade.

23/09/2017

[ RESENHA ] O Porta-Retrato

Título: O Porta-Retrato
Autor: Letícia Palmeira
Editora: Penalux (Contos)
Páginas: 82
Estrelas: 4/5
Livro: Cortesia da Editora Penalux
O Porta-retrato é uma coletânea de sete contos, nos quais Le­tícia Palmeira explora a temática do amor. Não o amor sere­no, tranquilo, ingênuo, previsível, das flores e das cartas. Mas o amor verdade, em suas entranhas, em sua interface com tantas outras amarras do ser humano: a loucura, a posse, a introspec­ção, o autoritarismo.Mas não pense o leitor, amante de contos, que será capaz de predizer qualquer coisa. Não, não será. Parece que dominamos o enredo, mas o verdadeiro encanto na obra de Letícia está em nos surpreender, extirpando-nos a tentativa de prever cada um dos seus desfechos.

Li poucos livros de contos em toda minha vida, posso até mesmo contar nos dedos. E quando a editora Penalux me presenteou com o livro O Porta- Retrato vi uma oportunidade de conhecer melhor esse tipo de obra.
O Porta-Retrato é uma coletânea de  sete contos que falam de um tipo de amor, um tipo diferente do amor que estamos familiarizados. Um amor que leva a loucura, ao autoritarismo, a insanidade.
Nesses sete contos vamos conhecer personagens doentios, loucos, complexos.



No primeiro conto Olívia vamos conhecer uma mulher solitária que se apaixona por seu vizinho de apartamento sem nunca ver seu rosto, apenas seus bonitos sapatos. Ela começa a enlouquecer quando seu amado vizinho começa a trazer mulheres de saltos alt para o quarto, pôde ouvir com os ouvidos grudados nas paredes o que ele fazia com essas mulheres, mas não era para elas estarem tomando seu lugar...
Olívia então resolve tomar uma atitude, algo horrível, mas que para ela não era nada demais... era liberdade.

19/09/2017

[ RESENHA ] Não Fuja!

Título: Não Fuja! (Trilogia Não Pare #3)
Autora: FML Pepper
Páginas: 384
Editora: Valentina
Estrelas: 5/5
Vida. Morte. O que há entre elas? Antes e depois delas? Dois universos tão distintos e intimamente ligados. Como não sucumbir ao desejo que lhe drena a vida? Como aceitar que existe morte em vida e vida na morte? O que fazer quando a morte é a centelha que pulsa na vida, embebida de escuridão? A bússola da existência gira e aponta: o medo é uma opção; a vida, uma batalha; a morte, uma bênção.
 


Como ocorreu no final do segundo livro, Nina tinha uma grande decisão a tomar. Entre ficar em Zyrk ou voltar para a sua dimensão, mas como ela poderia ir embora se as pessoas que ela se importava estavam ali? Richard não queria que ela ficasse, pois era perigoso demais e por mais que ele a amasse tanto.( Simm, vocês leram certo! A nossa Morte de irresistíveis olhos azul- turquesa, de temperamento explosivo, arrogante e sarcástico, finalmente admitiu que amava a nossa mocinha). Não havia futuro para um zirquiniano e uma híbrida, era preciso pensar na segurança de Nina, mesmo que isso significasse que eles nunca mais iram ficar juntos por conta das pedras Hox, que ao serem esfregadas juntas quando Nina passasse pelo portal, o poder delas impediria para sempre que ela entrasse em Zyrk, além de nenhuma morte conseguir encontrá-la em sua dimensão, principalmente Rick.


Contudo, Kevin tinha uma “carta na manga” para fazê-la ficar. E enquanto Richard estava desacordado, e gravemente ferido por conta da luta contra os guerreiros de Kevin. Shakur, o temeroso e impiedoso líder negro surge com seus homens exigindo a cabeça do seu antigo resgatador e braço direito por ter matado seu filho Collin. Kevin fica feliz em devolver Richard para que Shakur tenha a sua vingança, mas não antes de mostrar a ele e a Nina uma foto muito intrigante que deixa o líder negro em estado de choque ao contemplá-la. Nela, estava Stela, Nina e um homem muito belo de olhos azuis, moreno e forte, que abraçava as duas e sorria para a foto em um momento alegre e feliz. Nina sente um aperto no peito e uma saudade enorme de sua mãe, mas também não consegue se lembrar do homem da foto, será ele o seu verdadeiro pai? E quanto a Dale? O zirquininano do Reino de Windston, que segundo o seu descoberto e querido avô Wangor, a havia lhe contado que ele e sua mãe haviam se apaixonado. Nina está confusa, mas tudo se complica quando ela encontra uma segunda foto que parecia ter sido tirada recentemente, mostrando Stela com o rosto muito abatido.

16/09/2017

[ RESENHA ] Jane Austen Roubou meu Namorado

Título: Jane Austen Roubou meu Namorado (Um Diário Secreto)
Autora: Cora Harrison
Páginas: 288
Editora: Editora Rocco
Estrelas: 4/5
Livro: Cedido pela Editora
Baseado nos diários da escritora Jane Austen na adolescência, este divertido romance juvenil é uma história de aventura, mistério, fofocas e, claro, flertes e paixões. Uma das autoras mais queridas em todo o mundo, cujo bicentenário de morte ocorre este ano, Jane Austen (1775-1817) segue arrebanhando uma legião de fãs em pleno século XXI com romances nos quais retrata a sociedade inglesa de sua época com precisão e ironia. Em Jane Austen roubou meu namorado, a escritora irlandesa Cora Harrison recria, para os jovens de hoje, a atmosfera dos livros da própria Jane Austen mesclando ficção e dados reais, a partir dos diários da autora de Orgulho e preconceito. O livro retrata as peripécias amorosas da futura escritora, que já se considerava uma especialista em assuntos do coração, e de sua prima Jenny.

Jenny está apaixonada pelo capitão Thomas Willians, um homem honesto e bom. O casal está ansioso para saber a resposta do irmão de Jenny sobre aceitar o pedido de casamento de Thomas. A garota de 17 anos perdeu os pais jovens e sua mãe deixou seu irmão Edward-John como tutor, mas o problema é que o rapaz se casou com uma megera que o comanda como quer, Augusta convence Edward-John a recusar a oferta de casamento de Thomas, mesmo com os tios de Jenny (Sr. e Sra. Austen) pedindo para que ele pense melhor sobre a oferta, tentando fazê-lo entender que o capitão é um ótimo rapaz e um bom partido... Ainda assim o pedido é recusado.

"- Odeio a Jane Austen! Odeio de verdade!Paro. Conheço essa voz.– Ah Lavinia, mamãe disse que Jane Austen é apenas uma garotinha atrevida, afetada, vulgar e caçadora de marido. Ela sempre fala que você não deve dar atenção a ela."

Jenny fica profundamente triste com a resposta do irmão, ela sabe que seu amado capitão está prestes a embarcar em uma missão que o deixará afastado dela por um ano... Nada conseguia alegrar o coração de Jenny, por sorte ela tinha Jane que a fazia rir de vez em quando com suas histórias engraçadas sobre pessoas que conheceram. Jane sempre escrevia uma cópia para Jenny colocar em seu diário.

15/09/2017

[ RESENHA ] Os Herdeiros Da Noite

Título: Os Herdeiros Da Noite (As Noites Cariocas #1)
Autor: Leonardo Carneiro
Editora: Autografia
Páginas: 224
Estrelas: 4/5
Livro: Cortesia da Editora

Eles existem desde o início dos tempos, vivendo secretamente entre os humanos. Pertencem a sociedades secretas e guerreiam entre si através dos séculos em busca de poder, infiltrados e no controle de Instituições mortais para que estas sirvam as suas vontades. Quando o Sol se põe no Rio de Janeiro, os vampiros ganham as ruas da cidade. Para os meros mortais, Lohan Tiberius, um escocês nascido em 1297 d.C., administra uma boate com seus aprendizes Vincent e Vivian na cidade carioca, entretanto, é palco para a elaboração de muitos estudos, planos e estratégias durante um frágil momento de paz.
 


A existência de vampiros e lobisomens deu-se início na época de Caim e Abel, que ao assassinar cruelmente o seu irmão por inveja e raiva e ainda por cima beber o seu sangue, Caim recebe como punição de Deus uma marca que, nas noites de lua cheia, o transformaria numa besta violenta metade homem e lobo. Porém um destino igualmente cruel ocorre com Abel, que ao ser enterrado longe dos olhos de Deus e pelo seu sangue ter sido drenado de seu corpo, se torna um vampiro que eternamente iria vagar em busca do sangue de suas vítimas e vingança contra seu irmão.

“Enfurecido, o Senhor baniu Caim para que vagasse sempre nas terras inexploradas. Caim temeu sofrer na mão das criaturas do deserto e então o primogênito foi marcado pelo Todo- Poderoso: Terei piedade de ti, pois não sabias  o que era morte até praticá-la. Bebeste do sangue de Abel e de agora em diante não conhecerás outro gosto a não ser o de suas vítimas. Marcarei a ti para que reflita a bestialidade do ato que cometeste. Assim ninguém nunca será capaz de fazer-lhe mal.”


Com a ajuda de Lilith, mãe dos arcanistas e que aprendera poderes para se sustentar nas terras de Nod, Caim e Abel, separadamente, também desenvolvem seus poderes, mas de maneiras totalmente diferentes. Caim poderia falar com os espíritos e deles, retirar o poder, enquanto Abel poderia abraçar suas vítimas, ou seja, transformá-los em vampiros. Contudo, isso viria com um preço, além de nunca poderem andar a luz do dia, seus filhos iriam tramar e lutar para sempre entre eles. E assim, deu-se início a linhagem e a guerra entre vampiros, que eram considerados Crias, e lobisomens, Bestias.

13/09/2017

[ LANÇAMENTOS ] Rocco - Setembro


COLEÇÃO CAPA DURA HP







Depois de Por um toque de ouro, em que Emily O’Connell, herdeira de um império fashion, descobre ter o dom da sorte e fazer parte de uma rara linhagem Leprechaun, e Por um toque de sorte, em que é levada para o centro de um esquema perigoso e cruel por alguém que está se apropriando de seu dom, a jovem protagonista da Trindade Leprechaun, trilogia de fantasia contemporânea inspirada nas lendas irlandesas, luta para recuperar o que é seu em Por um toque de magia. E enquanto retoma o controle sobre seu próprio destino, Emily acaba se apaixonando, no emocionante desfecho da série, repleto de fantasia e romance.




Quando a chuva aflige o vilarejo de Véu-Vale pelo terceiro dia consecutivo, as ruas iluminadas por tochas ficam desertas; as janelas, uma a uma, se fecham; nesses dias, quem caminha pelas ruas de Véu-Vale caminha sozinho. Em O coletor de espíritos, novo romance de Raphael Draccon, um dos principais nomes da literatura de fantasia nacional, Gualter Handam, antigo morador do vilarejo e hoje um psicólogo prestigiado, se vê obrigado a retornar ao local que povoa seus pesadelos. Depois de tantos anos, ele terá de encarar antigos fantasmas e enfrentar uma força desconhecida e furiosa, numa jornada de sacrifício e redenção que poderá finalmente libertar todo um povo das garras do medo.



06/09/2017

[ RESENHA ] Espada de Vidro



Título: Espada de Vidro
Autor: Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Páginas: 496
Estrelas: 3,5/5

O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar.Quando finalmente consegue escapar do palácio e do príncipe Maven, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes.

Resumo

No segundo volume da série A Rainha Vermelha, a rebelião do povo de sangue vermelho contra a poderosa elite de sangue prateado continua a se fortalecer. 
Mare Barrow, a principal arma dos rebeldes, agora tenta encontrar outros sangue novos como ela: pessoas de sangue vermelho, mas com poderes extraordinários. 
O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. 
Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar.
Quando finalmente consegue escapar do palácio, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes. Agora, enquanto foge, a garota elétrica tenta encontrar e recrutar outros sangue novos como ela, para formar um exército contra a nobreza opressora. Essa é uma jornada perigosa, e Mare precisará tomar cuidado para não se tornar exatamente o tipo de monstro que ela está tentando deter.

Um breve gostinho da história...

O livro começa exatamente no final do seu antecessor: Mare confiou na pessoa errada,  foi traída e  jogada covardemente numa arena pra ser morta junto com Cal.
Mesmo tendo seus poderes drenados pelo silenciador Arven, Mare e Cal conseguem escapar do arena, e fugir do palácio com ajuda do que sobrou da guarda Escarlate, mas agora eles são poucos e estão feridos, precisam de reforço para continuar. Então fogem para a base da guarda para pedir ajuda. Ao chegar a base, eles não são tão bem vindos assim.
Cal é considerado um inimigo, e logo é preso pela guarda. Já Mare é considerada alguém com muito poder, tanto por sua eletricidade quanto por sua fama.
Eles a querem como a nova cara da Guarda Escarlate.
Sabem que ela pode convencer a mais pessoas a se juntarem a causa.
Mas Mare tem apenas um propósito agora: VINGANÇA!
Ela precisa encontrar todos os sanguenovos que puder e se vingar.
Precisa os encontrar antes que Maven os encontre e os mate.
Ele tem a lista assim como ela. Ela precisa ser mais rápida.
Ela fará de tudo pra conseguir salvar todos que puder antes que seja tarde.

“-Recebi uma lista de nomes. De vermelhos como meu irmão e eu, nascidos com a mutação responsável pelos nossos… poderes. – Preciso convencê-lo. Preciso. – Eles podem ser encontrados, protegidos e treinados. São vermelhos como nós, mas fortes como os prateados, capazes de lutar contra eles em campo aberto. Talvez até poderosos o bastante para ganhar a guerra. – Minha respiração sai trêmula e ruidosa, e meu peito se agita quando penso em Maven. – O rei sabe da lista, e com certeza vai matar todos se não os encontrarmos primeiro. Ele não vai deixar uma arma tão poderosa passar – finalizo.”

Será que ela conseguirá encontrar todos da lista antes do novo e cruel rei?
Será que conseguirá se vingar?

05/09/2017

[ RESENHA ] Os Feiticeiros

Título: Os Feiticeiros (Série: Entre Mundos #Livro 1)
Autora: Thaylane R.Ramos
Páginas: 295
Editora: Publicação Independente
Estrelas: 5/5
Livro: Cedido pela autora - pdf
Mudar o destino daquelas crianças era o mais correto a se fazer, certo? Não era justo que eles pagassem pelos erros de seus pais. Mas ter que decidir o destino de quatro pessoas que ainda nem sabiam se defender não era uma das tarefas mais fáceis. Thomas sabia das consequências, mas os amava demais para não arriscar.
Anos depois, uma vida, amigos, família e crenças, tudo se desmoronava. Então a vida deles não tinha passado de uma grande mentira? Ellen, Alma, Jason e Rodrigo veem suas vidas mudarem drasticamente de um dia para outro, de agora em diante ninguém mais era confiável. Todo o esforço de alguém do passado parecia não ter valido a pena... Tinham sido descobertos.
O primeiro livro da Série Entre Mundos leva o leitor a uma história intrigante, cheia de mistério, romance e traição, onde os deuses da Grécia Antiga ganham destaque numa batalha intensa contra os feiticeiros mais poderosos do mundo. O que você faria se descobrisse que a pessoa que acreditasse ser não existisse?
 

A amizade entre Alma, Ellen, Rodrigo e Jason havia ocorrido de maneira fácil e simples, pois haviam se conhecido no colegial, mas desde então tinham se tornado amigos inseparáveis. Aos 17 anos, os jovens haviam terminado o último ano do Ensino Médio e com a aproximação da formatura, estavam pensando no quê fariam depois, pois cada um possuía objetivos diferentes para o futuro, porém eles prometeram não desaparecer da vida uns dos outros.

Alma possuía uma beleza singular, mas ao contrário do que sua aparência queria mostrar, ela era uma jovem meiga, gentil e uma ótima amiga. Além de ser a melhor amiga de Alma, Ellen adorava esportes e estava prestando o vestibular para conseguir o tão sonhado curso de Medicina. Jason trabalhava na concessionária com o pai e era apaixonado por Alma, mas sempre escondera os seus sentimentos para não estragar a amizade que tinham. Rodrigo era irmão de Ellen e também tinha um fascínio por Alma. Assim como Ellen, ele prestava o vestibular para Medicina, contudo o seu verdadeiro sonho era se tornar Detetive Criminal e entrar para o FBI, porém sua família nunca aprovara a ideia. 


Porém Rodrigo não era o único que tinha uma família complicada, pois Mary, a avó de Alma que, mesmo tendo um amor incondicional pela neta, nunca aprovara seus amigos. Alma não entendia o porquê do desgosto da avó, mas isso não a impedia de continuar a levá-los para a sua casa. Com uma infância complicada, pois havia nascido sem os pais e nem sabia a causa da morte deles, pois sua avó era sempre muito misteriosa e não falava sobre o assunto. Alma acredita que talvez tenha sido por conta da dor de ter perdido o seu filho Thomas, o pai de Alma.
© Coleções Literárias ♥ - Todos os direitos reservados - 2016 ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo