25/09/2017

[ RESENHA ] Caraval


Título: Caraval - Edição de Luxo (Caraval #1)
Autora: Stephanie Garber
Páginas: 351
Editora: Novo Conceito
Estrelas: 5/5

Tudo o que você já ouviu sobre Caraval, não se aproxima da realidade. É mais do que um jogo ou uma performance. É o mais perto que você chegará da magia neste mundo... Scarlett nunca saiu da pequena ilha onde ela e sua irmã, Donatella, vivem com seu cruel e poderoso pai, o Governador Dragna. Desde criança, Scarlett sonha em conhecer o Mestre Lenda do Caraval, e por isso chegou a escrever cartas a ele, mas nunca obtivera resposta.  Agora, já crescida e temerosa do pai, ela está de casamento marcado com um misterioso conde, e certamente não terá mais a chance de encontrar Lenda e sua trupe, mas isso não a impede de escrever uma carta de despedida a ele. Dessa vez o convite para participar do Caraval finalmente chega à Scarlett. No entanto, aceitá-los está fora de cogitação, Scarlett não pretende desobedecer ao pai. Sendo assim, Donattela, com a ajuda de um misterioso marinheiro, sequestra e leva Scarlett para o espetáculo. Mas, assim que chegam, Donattela desaparece, e Scarlett precisa encontrá-la o mais rápido possível. O Caraval é um jogo elaborado, que precisa de toda a astúcia dos participantes. Será que Scarlett saberá jogar? Ela tem apenas cinco dias para encontrar sua irmã e vencer esta jornada.
 


Entre os locais no Império Meridiano, um lugar rodeado de nobres e regentes, havia cinco Ilhas Conquistadas e entre elas, Trisda, que era governada pelo impiedoso, rico e elegante Marcello Dragna que vivia com suas duas filhas. Scarlett, a mais velha, e Donatella, a caçula. Contudo, houve uma época em que o Governador era um homem muito gentil, mas isso mudara por conta da partida inesperada de sua esposa, Paloma. Após esse acontecimento, Marcello havia mudado drasticamente enquanto Scarlett e Donatella ficaram aos cuidados de sua avó Anna, que as vendo tristes pela partida da mãe, lhes contava maravilhosas e empolgantes histórias sobre Caraval e principalmente, sobre o famoso e enigmático Mestre Lenda. 
 
Era aniversário de Donatella e para fazer algo especial para a irmã por estar sentindo muito falta da mãe, Scarlett resolve escrever a sua primeira carta para Lenda. Seria o melhor aniversário de todos, pois ele traria os seus fantásticos atores e a magia como ele sempre fazia quando viajava para um local novo. Contudo ele nunca viera e Tella começou a perder as esperanças, mas Scarlett continuava lhe escrevendo as cartas. Até que a notícia de que Lenda fora acusado pelo assassinato de uma jovem num dos jogos de Caraval, obrigando-o a parar de viajar por um tempo indeterminado.  

“-A bruxa não mentiu quando disse que Lenda não poderia ter fama e Annalise. Depois de se tornar Lenda, ele não foi mais o mesmo garoto por quem ela se apaixonou, de modo que ela se casou com outro e partiu o coração dele. Lenda se tornou tão famoso quanto tinha desejado, mas declarou que Annalise o traiu e jurou nunca mais amar ninguém. Provavelmente, há quem o chame de vilão. Outros dizem que sua magia o torna mais parecido com um Deus. Tanto a pequena Scarlett quanto a miúda Tella estavam a meio caminho do sono. As pálpebras estavam mais fechadas que abertas, embora as bocas se movessem, formando luas crescentes voltadas para cima. A de Tella sorria para a palavra vilão, mas Scalett se deliciava à menção da magia de Lenda.”

E enquanto Lenda não dava notícias de sua volta, a vida de Scarlett também mudava. Pois mesmo tendo um pai que era o homem mais rico que a maioria dos oficiais, por conta da ilha de comércio de rum e de outros negócios no mercado negro. Ainda lhe faltava o poder e o respeito, pois os regentes e nobres do Império Meridiano o ignoravam e consideravam qualquer um que fosse ilhéu, um camponês. Mas isso iria mudar, pois o Governador planejara casar Scarlett com um Conde que não apenas uniria sua família com a de um Nobre do Império Elantine, como também ganharia o poder e a respeitabilidade.

23/09/2017

[ RESENHA ] O Porta-Retrato

Título: O Porta-Retrato
Autor: Letícia Palmeira
Editora: Penalux (Contos)
Páginas: 82
Estrelas: 4/5
Livro: Cortesia da Editora Penalux
O Porta-retrato é uma coletânea de sete contos, nos quais Le­tícia Palmeira explora a temática do amor. Não o amor sere­no, tranquilo, ingênuo, previsível, das flores e das cartas. Mas o amor verdade, em suas entranhas, em sua interface com tantas outras amarras do ser humano: a loucura, a posse, a introspec­ção, o autoritarismo.Mas não pense o leitor, amante de contos, que será capaz de predizer qualquer coisa. Não, não será. Parece que dominamos o enredo, mas o verdadeiro encanto na obra de Letícia está em nos surpreender, extirpando-nos a tentativa de prever cada um dos seus desfechos.

Li poucos livros de contos em toda minha vida, posso até mesmo contar nos dedos. E quando a editora Penalux me presenteou com o livro O Porta- Retrato vi uma oportunidade de conhecer melhor esse tipo de obra.
O Porta-Retrato é uma coletânea de  sete contos que falam de um tipo de amor, um tipo diferente do amor que estamos familiarizados. Um amor que leva a loucura, ao autoritarismo, a insanidade.
Nesses sete contos vamos conhecer personagens doentios, loucos, complexos.

No primeiro conto Olívia vamos conhecer uma mulher solitária que se apaixona por seu vizinho de apartamento sem nunca ver seu rosto, apenas seus bonitos sapatos. Ela começa a enlouquecer quando seu amado vizinho começa a trazer mulheres de saltos alt para o quarto, pôde ouvir com os ouvidos grudados nas paredes o que ele fazia com essas mulheres, mas não era para elas estarem tomando seu lugar...
Olívia então resolve tomar uma atitude, algo horrível, mas que para ela não era nada demais... era liberdade.

Batian um homem casado se envolve com uma prostituta que se apaixona perdidamente por ele. Ela então vai morar em um apartamento ao lado do dele, o qual divide com sua esposa. Assim ele poderia ter suas duas mulheres por perto quando bem quisesse. 
Bastian contava para a amante tudo o que fazia com sua mulher, até mesmo suas intimidades, mas ela o amava, ele a completava, mesmo sendo um canalha. Então um dia Bastian morre e algo é revelado.

Os contos Elisa e Olavo foram contos confusos para mim, não saberia falar deles aqui, em Olavo tudo foi ainda mais confuso, pois conta a história de um jovem que gostava de ficar recluso em seu quarto, coisa que seus pais odiavam, eles queriam que o filho saísse para vadiar (sim, foi essa a palavra usada no livro e outras absurdas de pais dizer sobre o filho ) até o dia que o garoto resolve sair com uns "amigos" o leitor fica então com os diálogos dos pais em casa orgulhosos tentando imaginar o que o filho foi fazer, se chegaria cheirando mulheres e álcool (como se isso fosse algo de se orgulhar) o final vocês precisam ler para saber, mas é loucura.

Melinda uma garota que ninguém ousava contrariar, faziam o que ela mandava sempre. Mas Carolina não estava dando o braço a torcer, as duas era loucas por Gustavo que era louco por Carolina, até que um dia em uma brincadeira Melinda escolheu Gustavo para beija-la (brincadeira que ela sabotou) e surpreendentemente ele negou o beijo, sem saber que estaria encrencado por ter feito a escolha errada.
Nesse conto o leitor acaba se surpreendendo com o final, não sei você, mas eu fiquei sem saber se Melinda era realmente o verdadeiro monstro, ou o narrador.

Em Augusto vamos conhecer um amor enlouquecedor, insano, doentio... Cecília se apaixona perdidamente por Augusto assim que ele aparece em sua porta com mudas de margaridas mandadas por sua mãe, vizinha de Cecília.
O namoro torna-se preocupante para a mãe da garota que vê Augusto ocupar a vida e alma da menina. Quando Augusto viaja sem avisar para a namorada, ela pira e sua mãe tenta abrir seus olhos, explicando que o namoro não era saudável. Quando o rapaz retorna, fica sabendo que Cecília estava proibida de vê-lo, mas isso não parecia empecilho para os amantes apaixonados... Então Augusto propões fugir com a amada que sem pensar aceita, no meio da viajem ela se vê ao lado de um Augusto completamente estranho que lhe causa medo e a faz duvidar dos seus sentimentos.
(Preciso dizer que fiquei confusa com o final)

O último conto dá título ao livro O Porta-Retrato, devo admitir que esse último e o primeiro foram os mais favoritos.
Em O Porta-Retrato conhecemos Hermeto e Verônica, os dois são como um, se amam e cuidam um do outro de forma única. Acabaram de chegar de Paris e resolveram ficar em uma casa grande, afastada de todos e frente ao mar, um lugar tranquilo para os dois. Um casal que querem somente a companhia de ambos. Ao decorrer do conto o leitor vai conhecendo um pouco sobre ambos, mas nada que realmente queremos saber é revelado... Até o final.
Nesse conto fiquei imaginando diversas coisas, até cheguei perto de uma delas, mas a cartada final me deixou bem surpresa.

Li o livro em dois dias, foi escolha minha, já que o livro é bem complexo (pelo menos foi para mim em alguns pontos) além de mexer com a imaginação e nos deixar, digamos que assustados com o que o amor pode "fazer" com pessoas talvez psicologicamente perturbadas, (talvez não seria essa a descrição correta, mas sabemos que o amor é capaz de mexer loucamente com a mente, corpo e alma de uma pessoa saudável, imagina o que o amor pode fazer com alguém com o psicológico fraco)
O amor pode ser lindo, doce, puro, inocente,mas também pode ser cruel, doentio... O amor pode levar a loucura completa.

Foi uma experiência maravilhosa. A escrita da autora é fluida, os contos são curtos, menos os dois últimos, principalmente o último que tem 30 páginas. Não encontrei erros de revisão no meu exemplar, gostei muito da diagramação por ser bem organizada, fontes em tamanho ótimo, assim como os espaçamentos. 

Recomendo, principalmente para quem curte personagens complexos, leitura fluida e para quem quer fugir do normal, garanto que esse é um livro com histórias bem diferentes que vai grudar na sua cabeça e te fará pensar por dias sobre muitas coisas improváveis.

19/09/2017

[ RESENHA ] Não Fuja!

Título: Não Fuja! (Trilogia Não Pare #3)
Autora: FML Pepper
Páginas: 384
Editora: Valentina
Estrelas: 5/5
Vida. Morte. O que há entre elas? Antes e depois delas? Dois universos tão distintos e intimamente ligados. Como não sucumbir ao desejo que lhe drena a vida? Como aceitar que existe morte em vida e vida na morte? O que fazer quando a morte é a centelha que pulsa na vida, embebida de escuridão? A bússola da existência gira e aponta: o medo é uma opção; a vida, uma batalha; a morte, uma bênção.
 


Como ocorreu no final do segundo livro, Nina tinha uma grande decisão a tomar. Entre ficar em Zyrk ou voltar para a sua dimensão, mas como ela poderia ir embora se as pessoas que ela se importava estavam ali? Richard não queria que ela ficasse, pois era perigoso demais e por mais que ele a amasse tanto.( Simm, vocês leram certo! A nossa Morte de irresistíveis olhos azul- turquesa, de temperamento explosivo, arrogante e sarcástico, finalmente admitiu que amava a nossa mocinha). Não havia futuro para um zirquiniano e uma híbrida, era preciso pensar na segurança de Nina, mesmo que isso significasse que eles nunca mais iram ficar juntos por conta das pedras Hox, que ao serem esfregadas juntas quando Nina passasse pelo portal, o poder delas impediria para sempre que ela entrasse em Zyrk, além de nenhuma morte conseguir encontrá-la em sua dimensão, principalmente Rick.


Contudo, Kevin tinha uma “carta na manga” para fazê-la ficar. E enquanto Richard estava desacordado, e gravemente ferido por conta da luta contra os guerreiros de Kevin. Shakur, o temeroso e impiedoso líder negro surge com seus homens exigindo a cabeça do seu antigo resgatador e braço direito por ter matado seu filho Collin. Kevin fica feliz em devolver Richard para que Shakur tenha a sua vingança, mas não antes de mostrar a ele e a Nina uma foto muito intrigante que deixa o líder negro em estado de choque ao contemplá-la. Nela, estava Stela, Nina e um homem muito belo de olhos azuis, moreno e forte, que abraçava as duas e sorria para a foto em um momento alegre e feliz. Nina sente um aperto no peito e uma saudade enorme de sua mãe, mas também não consegue se lembrar do homem da foto, será ele o seu verdadeiro pai? E quanto a Dale? O zirquininano do Reino de Windston, que segundo o seu descoberto e querido avô Wangor, a havia lhe contado que ele e sua mãe haviam se apaixonado. Nina está confusa, mas tudo se complica quando ela encontra uma segunda foto que parecia ter sido tirada recentemente, mostrando Stela com o rosto muito abatido.

16/09/2017

[ RESENHA ] Jane Austen Roubou meu Namorado

Título: Jane Austen Roubou meu Namorado (Um Diário Secreto)
Autora: Cora Harrison
Páginas: 288
Editora: Editora Rocco
Estrelas: 4/5
Livro: Cedido pela Editora
Baseado nos diários da escritora Jane Austen na adolescência, este divertido romance juvenil é uma história de aventura, mistério, fofocas e, claro, flertes e paixões. Uma das autoras mais queridas em todo o mundo, cujo bicentenário de morte ocorre este ano, Jane Austen (1775-1817) segue arrebanhando uma legião de fãs em pleno século XXI com romances nos quais retrata a sociedade inglesa de sua época com precisão e ironia. Em Jane Austen roubou meu namorado, a escritora irlandesa Cora Harrison recria, para os jovens de hoje, a atmosfera dos livros da própria Jane Austen mesclando ficção e dados reais, a partir dos diários da autora de Orgulho e preconceito. O livro retrata as peripécias amorosas da futura escritora, que já se considerava uma especialista em assuntos do coração, e de sua prima Jenny.

Jenny está apaixonada pelo capitão Thomas Willians, um homem honesto e bom. O casal está ansioso para saber a resposta do irmão de Jenny sobre aceitar o pedido de casamento de Thomas. A garota de 17 anos perdeu os pais jovens e sua mãe deixou seu irmão Edward-John como tutor, mas o problema é que o rapaz se casou com uma megera que o comanda como quer, Augusta convence Edward-John a recusar a oferta de casamento de Thomas, mesmo com os tios de Jenny (Sr. e Sra. Austen) pedindo para que ele pense melhor sobre a oferta, tentando fazê-lo entender que o capitão é um ótimo rapaz e um bom partido... Ainda assim o pedido é recusado.

"- Odeio a Jane Austen! Odeio de verdade!Paro. Conheço essa voz.– Ah Lavinia, mamãe disse que Jane Austen é apenas uma garotinha atrevida, afetada, vulgar e caçadora de marido. Ela sempre fala que você não deve dar atenção a ela."

Jenny fica profundamente triste com a resposta do irmão, ela sabe que seu amado capitão está prestes a embarcar em uma missão que o deixará afastado dela por um ano... Nada conseguia alegrar o coração de Jenny, por sorte ela tinha Jane que a fazia rir de vez em quando com suas histórias engraçadas sobre pessoas que conheceram. Jane sempre escrevia uma cópia para Jenny colocar em seu diário.

15/09/2017

[ RESENHA ] Os Herdeiros Da Noite

Título: Os Herdeiros Da Noite (As Noites Cariocas #1)
Autor: Leonardo Carneiro
Editora: Autografia
Páginas: 224
Estrelas: 4/5
Livro: Cortesia da Editora

Eles existem desde o início dos tempos, vivendo secretamente entre os humanos. Pertencem a sociedades secretas e guerreiam entre si através dos séculos em busca de poder, infiltrados e no controle de Instituições mortais para que estas sirvam as suas vontades. Quando o Sol se põe no Rio de Janeiro, os vampiros ganham as ruas da cidade. Para os meros mortais, Lohan Tiberius, um escocês nascido em 1297 d.C., administra uma boate com seus aprendizes Vincent e Vivian na cidade carioca, entretanto, é palco para a elaboração de muitos estudos, planos e estratégias durante um frágil momento de paz.
 


A existência de vampiros e lobisomens deu-se início na época de Caim e Abel, que ao assassinar cruelmente o seu irmão por inveja e raiva e ainda por cima beber o seu sangue, Caim recebe como punição de Deus uma marca que, nas noites de lua cheia, o transformaria numa besta violenta metade homem e lobo. Porém um destino igualmente cruel ocorre com Abel, que ao ser enterrado longe dos olhos de Deus e pelo seu sangue ter sido drenado de seu corpo, se torna um vampiro que eternamente iria vagar em busca do sangue de suas vítimas e vingança contra seu irmão.

“Enfurecido, o Senhor baniu Caim para que vagasse sempre nas terras inexploradas. Caim temeu sofrer na mão das criaturas do deserto e então o primogênito foi marcado pelo Todo- Poderoso: Terei piedade de ti, pois não sabias  o que era morte até praticá-la. Bebeste do sangue de Abel e de agora em diante não conhecerás outro gosto a não ser o de suas vítimas. Marcarei a ti para que reflita a bestialidade do ato que cometeste. Assim ninguém nunca será capaz de fazer-lhe mal.”


Com a ajuda de Lilith, mãe dos arcanistas e que aprendera poderes para se sustentar nas terras de Nod, Caim e Abel, separadamente, também desenvolvem seus poderes, mas de maneiras totalmente diferentes. Caim poderia falar com os espíritos e deles, retirar o poder, enquanto Abel poderia abraçar suas vítimas, ou seja, transformá-los em vampiros. Contudo, isso viria com um preço, além de nunca poderem andar a luz do dia, seus filhos iriam tramar e lutar para sempre entre eles. E assim, deu-se início a linhagem e a guerra entre vampiros, que eram considerados Crias, e lobisomens, Bestias.
© Coleções Literárias ♥ - Todos os direitos reservados - 2016 ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo