03/11/2016

[ RESENHA ] Confissões de um Amigo Imaginário

Título: Confissões de um amigo Imaginário
Autora: Michelle Cuevas
Editora: Galera Junior
Páginas: 176
Estrelas: 5/5
Livro: Cortesia da Galera Record
Uma imperdível aventura de alguém que descobre existir apenas na imaginação de uma garotinha. Um livro para todos aqueles que, um dia, já se sentiram à margem, deixados de lado... invisíveis Jacques tem uma leve suspeita de que ninguém gosta dele. Professores o ignoram solenemente quando levanta a mão e até mesmo seus pais precisam ser lembrados de colocar um lugar à mesa para ele! Graças a Deus por Fleur, a irmã e companheira constante. Mas então Jacques descobre uma verdade devastadora: ele não é o irmão de Fleur; é seu amigo imaginário! E aí começa uma tocante e divertida busca por seu eu verdadeiro. Uma imperdível jornada em busca do significado da vida leva Jacques de encontro às mais peculiares crianças, imaginárias e reais, e o faz descobrir a incrível e invisível maravilha de ser quem se é.


Esse é o livro do gênero infanto-juvenil mais comovente e fofo que eu já li. 
Jacques Papier tem 8 anos e afirma ser odiado por TODO mundo, menos por Fleur (sua irmã gêmea), e por seus pais, até mesmo seu cachorrinho salsichinha  François o odeia. Todos o ignora, como se ele fosse invisível, a única pessoa que conversa com ele é sua irmã.
Jacques divide seu quarto com Fleur, tem seu próprio lugar no beliche, um lugar na mesa e tudo que sua irmã recebe ele recebe também.  


O garoto seguia sua vida normalmente, até que um dia escuta seus pais conversarem sobre Fleur ter um amigo imaginário, Jacques fica completamente chocado "como assim sua irmã gêmea, sua melhor amiga com quem dividia tudo, tinha um amigo imaginário e não contou nada para ele?" (tadinho). 

"Eu estava chocado.
Eu estava estupefato.
Eu estava boquiaberto.
Minha irmã, minha parceira, tinha um amigo imaginário sobre quem ela nunca tinha me contado."

Então Jacques decide dar o troco e arrumando um amigo imaginário para ele com seu próprio lugar na mesa, assim como todos, Fleur não parecia acreditar nele, mas entrou na onda, quem não gostou da ideia foi seu pai.

"-AGORA BASTA! Para mim, chega! Isso é... é... imaginação demais! - Gritou ele. -São camadas demais. Uma garota com um amigo imaginário é uma coisa. Mas um amigo imaginário que tem seu próprio amigo imaginário? É como a pintura de uma pintura! É como o vento sentindo uma brisa, ou uma onda mergulhando no oceano. É como ler um livro que apenas descreve outro livro. É como uma música bater o pé ao ritmo e dizer nossa, eu adoro essa música!

Talvez tivéssemos atingido o limite do papai.
Mas eu não conseguia pensar nisso. Tudo o que eu conseguia pensar ela no que ele tinha dito antes...
Um amigo imaginário que tem seu próprio amigo imaginário"

Mesmo com as palavras do pai, a ficha de Jacques parecia não cair até ele conhecer uma garota no parque, Vaqueira Patinadora é a primeira pessoa que conversou com ele, depois de Fleur, isso porque Vaqueira Patinadora era uma amiga imaginária, foi aí que o garoto soube o que realmente era. 



Jacques queria ser livre, ser real, escolher sua própria comida favorita, sua música etc... pois ele era tudo o que Fleur imaginava, então com a ajuda de alguém imaginário descobre como ser livre, só que as coisas não saem como desejado e Jacques vai parar na casa de outras crianças, com outras aparência e tudo mais, e a cada criança que ele ajudava ia fazendo a diferença na vida de cada uma e aprendendo mai sobre ele mesmo, sobre o quanto ele é importante mesmo não sendo visto.

"- Eu acho que é como a terra e a lua [...] A luz do luar é uma ilusão. Ela é na verdade um reflexo da luz do sol, emitida de volta como um espelho. Nós somos como a lua, e, sem as pessoas que nos imaginam é tudo escuro."

O final do livro simplesmente me emocionou e muuuito, não conseguia imaginar aquele final, não aquele especifico e a maneira que ele foi desenvolvido me emocionou, ainda mais a mensagem que a autora passou. 

O livro é narrado em primeira pessoa por Jacques o amigo imaginário e podem rir, mas mesmo com o título dizendo Confissões de um amigo imaginário eu ainda pensava que o livro seria narrado pela criança e foi sensacional ver tudo pela visão de alguém que não é visto por ninguém a não ser a pessoa que a imaginou. Senti muita pena de Jacques no inicio do livro quando ele não conseguia ver o que estava na sua cara.

O livro tem diversos personagens secundário queridos, gostei muito de Bernard e Vaqueira e Fleur. Bernard é um dos meninos que Jacques ajuda, uma criança que ao contrario de Jac tenta se camuflar de todos.


Os capítulos curtinhos deixa a leitura muito fluida. Não encontrei erro de revisão na minha edição, e a diagramação está INCRÍVEL, em cada capitulo tem uma ilustração maravilhosa de derreter nossos corações. A escrita da autora é leve e li quase todo o livro em uma noite (deixei alguns capítulos para o outro dia e já sinto saudade de Jacques =/ )

"Talvez nós sejamos feitos das mesmas coisas que as estrelas, e as estrelas sejam feitas das mesmas coisas que nós. Feitos de todas as coisas perdidas e de todas as coisas que não pertencem a lugar algum"
Outra detalhe que amei... É como se o livro fosse realmente escrito por Jacques, como se ele fosse o autor, tanto que no final do livro tem até uma página de agradecimentos dele que é MUUUUUUITO fofis, e logo depois o da autora.

Recomendo muito, mais muindo o livro, tenho certeza que você vai se emocionar ou pelo menos refletir sobre muitas coisas abordada aqui. Um livro inspirador, delicado, emocionante e muito fofo. 

OBS: Preparem-se para colecionar muitos quotes hahha
OBS²: Não consegui dizer tudo o que queria dizer.

11 comentários:

  1. Oi Taty!
    Não, nem li o livro ainda e já me apaixonei pelo Jacques e sua história incomum. Parece ser uma trama daquelas que toca o coração e, muito provavelmente, deixa um nó na garganta em alguns momentos e fiquei louca de curiosidade pra saber como termina. Adorei as ilustrações internas e fiquei encantada com a capa que é lindamente ilustrada.
    Beijos!
    Por Livros Incríveis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é realmente encantador, vc vai amar.
      Leia sim, tenho certeza que vai sentir tudo isso e muito mais.

      Excluir
  2. Oi,ja me apaixonei pelo Jacques só na sua resenha. Me encantei pela ideia do amigo imaginário contar a sua história. Espero poder ler em breve. Ótima resenha.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aiiii que lindaaaa..
      Não é maravilhoso isso de o amigo imaginário contar a história? eu amei.

      Excluir
  3. Olá!
    Adorei a premissa desse livro, parece ser uma ótima dica para uma leitura infantil, já que essa ideia de amigo imaginário é bem recorrente na infância.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que vc gostou, leia o livro e depois me conta o que achou hahahhahaha

      Excluir
  4. Que livro lindo! Nunca na vida ouvi falar de um livro com essa temática e premissa, então de fato me surpreendeu. A diagramação parece linda né! Adoraria ler se tivesse a oportunidade, espero poder um dia ler <3 adorei sua resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.
      Que bom que gostou, realmente é um livro bem gostosinho de ler, eu também nunca tinha lido nada com esssa temática e amei.

      Excluir
  5. Oi, flor.

    Que livro maravilhoso! Amei a capa e a diagramação e, acima de tudo, amei a premissa do livro. A história parece ser muito bem escrita e muito emocionante em poucas páginas. Já quero conhecer esse protagonista tão singular e fiquei muito curiosa com o final. Amei suas impressões e espero conferir a leitura mais p frente. Eu amo infato-juvenil e espero gostar desse livro tão bonito. Amei!

    Beijos.
    www.anebee.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olá,
    Desde que vi o lançamento da obra, fiquei bem curiosa para conferir algumas resenhas.
    A sua é a segunda que vejo e não poderia me deixar mais ansiosa para iniciar logo a leitura.
    É uma premissa bem inusitada e a narrativa sendo feita por Jacques me deixa bem intrigada para ver como é ser ignorado por todos.
    Parece ser uma leitura bem emocionante e envolvente.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. O livro parece ser realmente uma gracinha. Eu tenho fugido de livros com personagens infantis ou jovens, mas vou confessar que sua resenha despertou meu interesse para essa obra e me fez imaginar se esse tão falado final que te emocionou tanto, não tem o quê do final de O Sexto Sentido... rs... Mas vamos ver, espero poder ler em breve.

    Raíssa Nantes

    ResponderExcluir

Olá!
Seja bem vindo ao Coleções Literárias. Sinta-se a vontade para deixar seu comentário.
Siga o blog também, seremos imensamente gratos.
CONTATO: colecoesliterarias@gmail.com
Beijos

© Coleções Literárias ♥ - Todos os direitos reservados - 2016 ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo