01/09/2016

[ RESENHA ] A Vida Como Ela Era

Título: A vida como ela era #1 (Os últimos Sobreviventes)
Autora: Suzan Beth Pfeffer
Páginas: 378
Editora: Bertrand Brasil
Estrelas: 4/5
Livro: Cedido pela Galera Record

Quando Miranda começa a escrever um diário, sua vida é como a de qualquer adolescente de 16 anos: família, amigos, garotos e escola. Suas principais preocupações são os trabalhos extras que os professores passaram tudo por causa de um meteoro que está a caminho da Lua. Ela não entende a importância do acontecimento; afinal, os cientistas afirmam que a colisão será pequena. Mas, mesmo assim, acredita que esse será um evento interessante a se observar, com binóculo, do quintal de casa. Para surpresa de todos, o impacto da colisão é bem maior do que o esperado, e isso altera de modo catastrófico o clima do planeta. Terremotos assolam os continentes, tsunamis arrasam os litorais e vulcões entram em erupção. Em 24 horas, milhões de pessoas estão mortas e, com a Lua fora de órbita, muitas outras mortes são previstas. Os supermercados ficam sem comida, e Miranda e sua família precisam, então, lutar pela sobrevivência em um mundo devastado, onde até a água se torna artigo de luxo.

Que tal ler um diário que relata o fim do mundo?

"Nunca pensei muito sobre o fato de que a Lua que vejo é a mesma que Shakespeare, Maria Antonieta, George Washington e Cleópatra viram. Para não mencionar zilhões de pessoas de que nunca ouvi falar. Todos os Homo sapiens e Neandertais olharam para a mesma Lua que eu olho. Ela também parecia e desaparecia no céu deles."

1° Maio
A vida de Miranda era completamente normal aos dezesseis anos. Trabalhos escolares, provas etc... O que parecia sair da normalidade era o fato de seu pai ter lhe dado a noticia que ela teria um irmãozinho ou irmazinha e que ele e Liza (madrasta de Miranda) gostariam que ela fosse a madrinha da criança. 

18° Maio
Ser madrinha aos 16 anos do próprio irmãozinho ou irmãzinha filha (o) do seu pai com sua madrasta tornou-se algo totalmente normal comparado ao que aconteceu dezoito dias depois.

Todos foram informados que um asteroide iria colidir com a lua, mas que não era algo para se preocupar pois mesmo sendo um asteroide grande a terra não estaria em perigo e este não seria capaz de destruir a lua. 
No dia da colisão, todos estavam fora de suas casas preparados para o espetáculo, mas algo inesperado aconteceu. O asteroide inexplicavelmente retirou a lua de sua orbita natural e esta se aproximou da terra e imediatamente começou o caos.



"Não é como se um pedaço grande da Lua tivesse voado pelo espaço. Nem como se tivéssemos ouvido o som do impacto ou como se o asteroide tivesse atingido o centro da Lua. Era como quando jogam bolas de gude e uma delas bate na lateral da outra e a empurra na diagonal"

Em pouco tempo anunciaram na tv as tragédias que estavam acontecendo. As marés começaram aumentar muito além do normal, causando terremotos, tsunamis, cidades litorâneas submersas, alguns lugares simplesmente desapareceram do mapa, vulcões adormecidos entrando em erupção e consequentemente a lista de mortos só aumentava.

Rapidamente a mãe de Miranda juntamente com seu irmão mais novo Jonny e sua vizinha Nesbitt comparam inúmeros carrinhos cheios de alimentos enlatados para armazenamento de comida. E com a chegada se seu irmão mais velho Matt começaram a juntar lenha para fazer comida e aquecer a casa no inverno já que o gás natural era limitado, a energia cada dia que passava demorava para voltar e permanecia cada dia menos tempo... 2 horas, 1 hora, 40 minutos, 15 minutos, 2 minutos até desaparecer completamente.

"Odeia a Lua. Odeio as Marés, os terremotos e os vulcões. Odeio um mundo em que as coisas qualquer ligadas comigo podem destruir minha vida e as das pessoas que amo.Queria que os astronautas simplesmente tivesse explodido a maldita Lua quando tiveram chance"

A falta de comida começou a matar muitas pessoas, assim como aparecimentos de algumas doenças transmitida por mosquitos, até mesmo uma simples gripe era mortal. Alguns se arriscavam indo embora torcendo para encontrar um lugar melhor. 
Por causa dos vulcões o céu começou a ficar cinza cada dia mais até a luz do sol não conseguir atravessar a nuvem de cinzas e com as primeiras nevascas as coisas começaram a piorar. A única maneira era tentar permanecer vivo até as coisas voltarem ao normal.


"Engraçado, não é? Sobrevivemos a tanta coisa e vamos acabar morrendo de gripe."

Esse livro mexeu muito comigo. Por diversas vezes parecia que eu estava dentro da estória, as vezes era como se eu estivesse vivendo o mesmo que Miranda relatava em seu diário e isso é sempre maravilhoso em um livro.
O que mais gostei na estória foi o fato da família permanecer unida, mesmo entre guerra e paz eles permaneceram juntos cuidando um do outro. Confesso que Miranda me irritou por boa parte do livro agindo como uma criança de dez anos completamente egoísta, que só sabia gritar com a mãe por algo idiota. Diversas vezes quis entrar no livro e esbofete-a-la e dizer: Ei agradeça a sua mãe por deixar de comer para vocês terem o que comer e pare de reclamar de tudo
Seu irmão de apenas 13 anos se comportava como adulto enquanto ela como uma criança. Mas nos capítulos finais do livro acho que a personagem deu uma leve amadurecida e começou a me irritar bem menos.


Sem dúvidas minha personagem favorita foi a mãe de Miranda, uma mulher admirável que me fez refletir sobre o amor de uma mãe para seus filhos. Matt também é um personagem admirável que merece ser aplaudido de pé por aguentar todo aqueles chiliques da irmã bravamente e ainda ser o ponto de equilíbrio da família.
Personagens muitos bem construídos com características, personalidades fortes e particulares.

"Nem mesmo sei por que estou escrevendo, a não ser para me sentir bem e porque, talvez, amanhã eu morra. E, se isso acontecer, e alguém encontrar meu diário, quero que saiba o que houve.Somos uma família. Amamos uns aos outros. Juntos, sentimos medo e coragem. Se é assim que as coisas vão acabar, que seja. Mas, por favor, não quero ser a última a morrer."

A escrita da autora me agradou muito. O livro é escrito em forma de diário em primeira pessoa (obviamente) por Miranda. Os capítulos embora grandes é formados por subdivisões que são representados por datas (como nos diários) e isso ajuda muito com a leitura que flui maravilhosamente bem, li o livro em poucos dias. A diagramação está linda, cada capitulo tem a ilustração de uma casinha e o livro é dividido pelas estações do ano. Folhas amareladas, fontes em um ótimo tamanho e não encontrei erro  de revisão na minha edição. Parabéns pelo maravilhoso trabalho da editora. 

Na contra-capa do livro há um comentário de Teenreads (não faço ideia de quem seja) que diz que o livro levaria o leitor as lágrimas e obviamente senti falta disso, pois embora eu tenha me emocionado em alguns momentos da estória fiquei muito longe de chorar (talvez o problema seja eu), mas isso não me incomodou.

Me vi por diversas vezes torcendo pelos personagens. Fiquei angustiada quando o estoque de comida começa a diminuir, eles se alimentando cada vez menos, emagrecendo e ficando fracos, a aguá acabando o frio congelando, amigos morrendo, mas eles juntos e firmes não se deixando entregar a fome... a morte.

Um livro que te deixará vidrado até a ultima página que te deixará louco pela continuação... Recomendo para todos aqueles que curte livros narrados em forma de diários e que amam distopia.

24 comentários:

  1. Olá
    Sou muito fã do cinema catastrofe e esse livro parece ter muito disso, da aquele frio na barriga para saber o que vem a seguir e como os personagens vão sobreviver a tudo isso.
    Nossa realmente essa menina parece muita chata, só de ler os quotes já me irritei com ela, mas vou anotar a dica mesmo assim, vamos ver se eu aguento XD

    ResponderExcluir
  2. Taty lindona muito interessante essa premissa, quero conhecer a Mãe da protagonista mimada, deve ser uma grande lição de vida e aprendizado o livro pela situação de dificuldades que eles enfrentam, gostei da capa e pretendo ler mas saber como será o rumo dessa família unida em todos os momentos. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Achei super legal o livro apresentar-se como diário de Miranda e fiquei muito curiosa com a premissa e resenha.
    A obra parece ser bastante cativante e a escrita da autora bem agradável. Espero poder ler em breve e conferir se também será a mãe de Miranda a minha personagem favorita.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oiii Taty, como vai?
    infelizmente dessa vez irei pular a dica, porque a obra em si não despertou meu interesse, mas preciso dizer que achei a sua resenha incrível, além d mais a edição está um arraso.
    Beijinhoss

    ResponderExcluir
  5. Olá

    Fiquei muito tentada a solicitar esse livro mês passado para ler, mas acabei pegando outro. Não sabia que ele seria tão bom assim. Se antes tinha dúvida, depois de ler sua resenha, não tenho mais. Vou comprar logo esse livro e ler o quanto antes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é hahahaha se soubéssemos sempre acertaríamos. Ele é um livro que te envolve sabe e eu amo isso.
      Compra sim hahaa

      Excluir
  6. Oie
    Pela sua resenha já fiquei devidamente angustiada gosto da tematica desse livro e fiquei interessada de verdade.
    Quando ao comportamento de Miranda é normal adolescentes só sabem reclamar mesmo quando tem uma vida perfeita eu acho u não fui assim apesar de hoje em dia resmungar bastante (shuashuas) porém tenho contato diário com uma garota de 15 anos que pelo amor de Deus tem dia que ela reclama até do passarinho cantando na gaiola.
    Bju
    Mary Reis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que ficou interessada.
      kkkkkkk é verdade sobre o fato de adolescente reclamar, mas as vezes eu queria bater nela.

      Excluir
  7. Eu ando louquinha pra ler esse livro, de verdade. Me lembrou muuuuito "A 5ª Onda" que é um livro que eu amo de paixão, então imagine a minha ansiedade para ler "A vida como ela era" hahahaha
    Beijos,
    Sara | Lendo com Amor
    www.lendocomamor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Ooi! Gostei muito da ideia desse livro e da sua resenha :D eu fico pensando no que faria se isso realmente acontecesse... E ah, gostei de saber que o pequeno irmão dela é o equilíbrio da família! É sempre impressionante ver que existem crianças tanto em livros quanto na vida real, que podem trazer a razão de volta para a gente, sabe?
    Parabéns pela resenha.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Adorei que você começou a resenha na mesma pegada do livro, muito original! Eu adoro livros que contam o fim do mundo, então este me chamou muito a atenção e principalmente por ser escrito em forma de diário. Já adicionei na minha lista para leitura.
    Beijos.
    http://arsenaldeideiasblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem?
    Então...anotando a dica e já preparando o dedo para ativar o botão: NÃO SURTAR COM A PROTAGONISTA. Cara... o pouco que li, eu queria fazer o mesmo que você,esbofetear a cara da guria. Não dou conta de personagens dando chilique por coisas pequenas, toda trabalhada na atitude egoísta e infantil, não!
    Enfim, tirando isso hahahahaha, adorei a sua resenha e vou sim colocar o livro na minha lista de futuras leituras. Até porque adorei a premissa. =D

    Abraço

    http://www.viciadosemleitura.blog.br/

    ResponderExcluir
  11. Ultimamente tenho lido comentários bem entusiasmados sobre esse livro e sua resenha só conseguiu me deixar mais ansiosa pela leitura. Gosto bastante de distopias e essa pareceu bem interessante. Acho que iria me irritar muito com a protagonista, mas ainda assim quero ler.
    A resenha ficou maravilhosa!
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Olá linda,

    O último livro que parece em alguns pontos com esse é O Fim de Todos Nós que também é um diário escrito pela personagem principal, mas ela não é irritante em momento algum haha e lerei esse aqui sem sombra de dúvidas por tudo que ressaltou.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Olá! Nossa, amei essa história! Curto bastante livros/filmes com essa temática, pela sua resenha deu a entender que a história é bem dinâmica e também diferenciada. Os problemas começam no espaço e afeta toda a humanidade, coisa que pode realmente acontecer, vou ler com toda certeza. beijos!

    Entre Livros e Pergaminhos

    ResponderExcluir
  14. Oi Taty, sua linda, tudo bem?
    Fiquei super nervosa enquanto lia sua resenha. Que desesperadora a situação em que eles se encontram. Nossa, a morte convive com eles todos os dias, eles poderiam enlouquecer antes de morrer. Tem o potencial inclusive para ser uma grande produção. Não conhecia esse livro, mas fiquei louca para ler!!! Adorei sua resenha!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Que livro original! Um diário que narra o fim do mundo, sinistro! Sendo distopia vou encarar, é um gênero que estou lendo aos poucos e com certeza esse livro vai entrar na minha lista.

    ResponderExcluir
  16. Oie
    muito legal sua resenha e parece ser um enredo bem gostoso de acompanhar, fiquei curiosa desde que lançou e vc parece ter gostado bastante, boa dica

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Esse livro tem tudo para me agradar imensamente, pois gosto muito de livros escritos em forma de diários e adorei a premissa. Além disso, adoro essas narrativas que nos transportam para dentro do livro, fazendo-nos ter a impressão de que estamos vivendo as aventuras junto com os personagens. Adorei a sua resenha, já anotei a dica!

    Tatiana

    ResponderExcluir
  18. Oi Taty...
    A sua resenha está muito bem escrita, parabéns.
    Não conhecia o livro, mas pelo que você disse ele parece ser realmente muito bom. Anotei o nome e preciso!!

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir

Olá!
Seja bem vindo ao Coleções Literárias. Sinta-se a vontade para deixar seu comentário.
Siga o blog também, seremos imensamente gratos.
CONTATO: colecoesliterarias@gmail.com
Beijos

© Coleções Literárias ♥ - Todos os direitos reservados - 2016 ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo