03/04/2018

21 [ RESENHA ] A Lady de Lyon

Título: A Lady de Lyon
Autora: Julie Garwood
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 464
Estrelas: 5/
Livro: Cedido pela Editora

Julie Garwood , aclamada autora dos best-sellers Esplendor da honra e Um amor para Lady Johanna, traz novamente uma inesquecível história de amor...Christina Bennett causou furor na sociedade londrina. A arrebatadora beldade esconde com sucesso o segredo de seu misterioso passado até a noite em que Lyon, o Marquês de Lyonwood, rouba-lhe um beijo ousado e sensual. O arrogante aristocrata com coração de pirata prova o gosto do fogo selvagem que arde por baixo do charme indiferente de Christina e anseia por possuí-la intensamente.Mas a destemida e insolente Christina não será conquistada com tanta facilidade. Dona do próprio coração e de sua fortuna, ela resiste às sensuais carícias de Lyon. Ela se atreve a não se render ao seu amor... pois, se o fizer, também terá que abrir mão de seu precioso segredo... e de seu destino prometido!


Em 1797, o Xamã, Wakan, da tribo dos Dakotas finalmente teve a visão que tanto ansiara. Contudo, havia algo na visão que o deixara intrigado e até mesmo assustado. Wakan viu uma manada de búfalos, que simbolizava o povo Dakota, e no meio deles havia um belíssimo leão da montanha, seus pelos eram brancos e os olhos eram incrivelmente azuis. Mas o que poderia significar esse leão?

Ao retornar a aldeia, Wakan temeu contar a visão completa ao seu líder, Águia Cinzenta, pois este estava muito desolado por ter perdido a filha, Alegria, e o neto, Águia Branca, durante uma batalha contra uma aldeia inimiga.

Mas para o alívio de todos os Dakotas, mãe e filho retornam sãos e salvos para a sua aldeia depois de onze meses desaparecidos. Porém, o que Alegria carregava em seus braços, surpreende a todos, principalmente Águia Cinzenta, e o marido de Alegria, o guerreiro, Lobo Negro.


Seu nome era Christina, uma menina branca, de cabelos loiros da cor do relâmpago e olhos azuis. Aos dois anos, Christina já era uma criança muito curiosa, determinada e possessiva em relação à Alegria e Águia Branca, que agora eram sua família. E apesar de ser filha de um homem branco, ela falava a língua dos sioux tão bem quanto qualquer criança Dakota.

Após o alvoroço, Alegria conta o ocorrido ao Lobo Negro, que não estava nem um pouco feliz por sua esposa ter trazido uma criança branca para a tribo. Ela conta que havia sido prisioneira de Nuvem Cinzenta, inimigo de seu marido. Após estuprá-la, Nuvem Cinzenta tentara matar Águia Branca, mas ele foi salvo por Jéssica, a mãe de Christina. Contudo, durante a viagem de volta, Jéssica falece, mas não antes de fazer Alegria prometer que cuidaria de Christina como se fosse sua filha.

O marido de Jéssica era um homem cruel e que tentara matá-la quando esta ainda estava grávida, por isso ela fugira. Mas após ter ouvido Alegria contar que Lobo Negro era um homem forte e um guerreiro muito valente, Jéssica desejava que sua filha também se tornasse uma mulher forte e guerreira. E quando atingisse a idade adulta, Christina deveria voltar para o seu povo, na Inglaterra. Alegria iria honrar essa promessa e se Lobo Negro não permitir que Christina viva com eles, então ela partiria. Ele cumpre a palavra. Porém, por odiar os brancos, ele não a trataria como filha.

Mas, Christina era uma criança tão esperta e adorável que até um homem terrivelmente orgulhoso e obstinado não resistiria por muito tempo. E aos poucos, foi Christina se tornando sua filha.

“– Pai – Águia Branca falou –, uma mulher branca salvou minha vida para que eu pudesse voltar para o meu povo. As palavras veementes do rapaz produziram um silêncio imediato. – Christina agora é minha irmã. Eu a protegerei como qualquer irmão o faria. Lobo Negro não pôde conter sua surpresa diante da petulância com que seu filho ousava falar com ele. Antes que pudesse responder, Águia Branca se virou para onde sua mãe estava. Ele apontou para ela, olhou para Christina e afirmou:– Minha mãe. Ele sabia muito bem o que ia acontecer. Christina provou ser bastante coerente em sua possessividade. O que pertencia a Águia Branca pertencia a ela também. O menino só precisou dizer as palavras uma vez antes que a garotinha voltasse correndo para o lado do irmão. Ela tirou o polegar da boca o suficiente para gritar: – Minha mamãe. Então, ela sorriu para o irmão, esperando que ele continuasse aquele novo jogo. Águia Branca balançou a cabeça em concordância. Ele apertou a mão dela para que soubesse que estava satisfeito com a resposta e, então, virou-se para encarar novamente o pai. Levantou lentamente a mão e apontou para Lobo Negro. – Meu pai – falou com voz firme. Christina continuava chupando o dedo enquanto olhava para Lobo Negro. – Meu pai – repetiu Águia Branca, dando outro aperto na mão de Christina. Christina de repente tirou o polegar da boca. – Meu papai! – ela gritou, apontando o dedo para Lobo Negro. Então, olhou para o irmão, a fim de obter sua aprovação. Águia Branca olhou para o avô. Quando o líder assentiu, o irmão de Christina aprovou-a com a cabeça. Era tudo o que a menina precisava. Ela soltou a mão da Águia Branca, virou-se e foi andando de costas. Sem mostrar o menor receio, ela caiu no colo de Lobo Negro. Todo mundo observou a bebê se acomodar. Lobo Negro ficou rígido quando Christina estendeu a mão e agarrou uma de suas tranças. Ele não afastou a mão dela, mas virou-se para olhar para o chefe. Águia Cinzenta sorria com satisfação. Alegria correu para se ajoelhar na frente do marido, mantendo a cabeça baixa. Lobo Negro podia ver como a esposa tremia. Ele soltou um longo e controlado suspiro de aceitação. – Este Conselho não é lugar para os meus filhos. Leve-os para o nosso tipi. Alegria imediatamente estendeu os braços para pegar Christina. Ela estava soltando a mão da filha da trança do marido quando o impacto total das palavras dele atingiu sua mente. Seus filhos. Alegria esforçou-se para não sorrir, mas, quando olhou para o marido, soube que ele podia enxergar o seu contentamento. E também o seu amor. Lobo Negro reconheceu ambas as coisas com um arrogante aceno de cabeça.”

Wakan fica muito satisfeito, pois a sua visão se cumprira e o leão se tornou parte dos búfalos. Conforme Christina ia crescendo e aprendendo um pouco com cada membro da aldeia, ela também sonhava em conhecer um homem tão honrado e valente quanto seu pai, quando chegasse a hora de voltar para a Inglaterra.


Londres, Inglaterra, 1814.

O Marquês de Lyonwood, Alexander Michel Phillips ou Lyon (para os íntimos haha). Era um homem coberto de cicatrizes tanto em seu exterior quanto no interior. No lado direito do seu rosto, uma cicatriz fina e irregular cobria a sua testa até a sobrancelha, dando-lhe um ar de pirata por conta das missões feitas em nome do governo. Mas essas ainda não eram piores que as localizadas em seu interior. Um homem tão belo, agora possuía sempre uma expressão carrancuda no rosto e um olhar glacial. Tudo graças a uma desilusão amorosa causada por sua falecida esposa, Lettie. Enquanto ela sofria de dores ao dar a luz ao seu primeiro filho, esta confessa que o verdadeiro pai do seu filho era ninguém menos que o irmão de Lyon, James. Contudo, não apenas a mãe, mas também o filho,morrem tragicamente no parto.

Quatro anos se passaram, e assim como as missões, os rostos do passado continuavam a assombrá-lo à noite. Forçado a comparecer a uma festa, acompanhado de sua irmã mais nova, Diana, Lyon não conseguia manter uma expressão agradável no rosto, principalmente por conta da dor latejante em seu novo ferimento na perna após a sua última missão.

Enquanto conversava com Rhone, seu melhor amigo e mulherengo, que só sabia reclamar por Lyon estar espantando as mulheres da festa com o seu olhar sombrio, uma mulher surge no campo de visão dos dois, fazendo Lyon ficar completamente encantado e surpreso pelo efeito que a bela jovem estava despertando sobre ele.

Apesar de ter se tornado uma verdadeira Lady, após conhecer sua tia, Patrícia, irmã de sua mãe biológica, e estar vivendo em Londres há quase três meses, Christina continuava perplexa com os estranhos rituais dos “homens brancos”. Aprendera muito há dois anos antes, principalmente a falar Francês e Inglês, com a ajuda de um missionário que Lobo Negro capturara. Ela deveria adquirir uma posição temporária na sociedade até que a sua missão estivesse completa e ela pudesse enfim retornar para o seu povo, por isso, ela precisava manter as aparências. 

Porém ela irá perceber que esta tarefa será bem mais difícil a se deparar com Lyon, tudo nele a atraía. Sua cicatriz, o seu olhar sedutor e ao mesmo tempo intimidador e o seu título, faziam-na se lembrar de casa e do quão parecido ele era com Lobo Negro. Um sentimento intenso é despertado entre os dois, fazendo com que Christina perdesse a sua compostura quando estava perto de Lyon, quase revelando a sua origem. Mas isso só fazia com que Lyon estivesse mais determinado em desvendá-la. E após um beijo, ele percebe que não a deixaria escapar.

Lyon sabia que a estava embaraçando. Ele podia vê-la corar, mesmo ao tênue luar. – Você é como uma florzinha frágil – ele sussurrou, enquanto suas mãos acariciavam seus ombros, o pescoço. – Sua pele parece seda quente. Seu rubor intensificou. Lyon sorriu. – Abra os olhos, Christina, olhe para mim – ele ordenou em uma voz tão suave quanto a brisa. As ternas palavras dele provocaram arrepios nos braços de Christina. Palavras de amor, quase idênticas em significado às palavras que Lobo Negro sempre dizia para Alegria quando pensava que estavam a sós. Lyon estava tentando amansá-la, da mesma forma. Isso significava que ele queria copular com ela? Christina quase soltou aquela pergunta, mas então percebeu que não devia. Lyon era inglês, lembrou-se. As regras não eram as mesmas. Que o céu a ajudasse, ela não podia esquecer. – Eu nunca flertaria com um leão – ela não se conteve e disse. – Seria perigoso. As mãos de Lyon rodearam o seu pescoço. Ele não tinha certeza se queria beijá-la ou estrangulá-la. A mulher certamente o confundia com seus extravagantes comentários. Ele podia sentir a pulsação frenética dos batimentos cardíacos dela sob os seus dedos. – Seus olhos não mostram nenhum medo, mas seu coração diz a verdade. Você teme sua atração por mim? – Que homem arrogante você é – disse Christina. – Estou tão assustada que posso desmaiar se você não me soltar agora mesmo. Lyon riu, deixando que ela soubesse que não acreditava em sua mentira. Ele se inclinou até que seus lábios estivessem quase tocando os dela.– Você não me disse que eu era atraente demais para resistir, Christina? – Não – ela sussurrou. – Eu disse que você era quase atraente demais para resistir, Lyon. Quase. Há uma diferença.Ela tentou sorrir, mas foi-lhe impossível. Christina estava ocupada demais lutando contra o desejo quase incontrolável de se fundir a ele, abraçá-lo forte, descobrir o seu toque, seu gosto. Ela queria que o cheiro dele copulasse com o dela próprio. Ela sabia que era um desejo proibido e perigoso. Uma coisa era provocar um filhote e outra muito diferente brincar com um leão adulto. O olhar sombrio nos olhos de Lyon lhe dizia que ele seria tão determinado quanto um leão faminto, também. Ele a devoraria se não se protegesse.”

Mas assim como ele, Christina também era determinada, e mesmo que ele despertasse esses novos sentimentos, ela não poderia se desviar da sua missão. Principalmente com uma tia tão cruel e ambiciosa que estava louca para por as mãos na fortuna deixada em seu nome, pelo Conde de Acton, avô de Christina.  


 “– Você simplesmente não deve mais pensar naquelas pessoas. O passado deve ser esquecido. – Por que o chamam de Leão? – perguntou Christina, mudando de assunto com habilidade. Ela lentamente afastou o braço que sua tia segurava com força, machucando-a. – É só por curiosidade – explicou –, porque, como você me disse, os ingleses não usam nomes de animais nem… – Não, claro que não, sua cabeça de vento – resmungou a tia Patricia. – O marquês não tem o nome de um animal. A grafia não é a mesma. A condessa soletrou lentamente o nome de Lyon e sua voz perdeu um pouco de sua debilidade quando prosseguiu: – É por deferência ao título que ele é chamado de Lyonwood. Os amigos mais próximos podem encurtar o nome, é claro. – Ele não serve? – perguntou Christina, franzindo o cenho. – É claro que não – respondeu a condessa. – É muito esperto e rico demais. Trate de se manter longe dele, entendido? – Claro. A condessa assentiu.– O simples fato de você se sentir atraída por ele está além da minha compreensão. Um sujeito daquele não dá para controlar. – Eu não me senti realmente atraída por ele – respondeu Christina. Ela mentiu, é claro, mas só porque não queria provocar uma nova explosão de raiva em sua tia. E tampouco conseguiria fazer sua tia compreender, de qualquer maneira. Como poderia ela argumentar com uma mulher que acreditava que a marca de um guerreiro era uma detração? Com tal mentalidade, a tia de Christina ficaria horrorizada se lhe dissesse a verdade. Oh, sim, o leão a atraía. Gostava dos raios dourados em seus olhos castanho escuros. Aquela poderosa compleição era a de um guerreiro, e sua força a compelia naturalmente. Havia uma aura de autoridade ao redor dele. Tinha o nome adequado, porque lembrava de fato um leão. Christina reparara sua atitude preguiçosa, quase entediada, mas sabia por instinto que ele poderia se mover com audaz velocidade quando provocado. Sim, ele era atraente. Christina gostou muito de olhá-lo. Mas ela adorou o seu cheiro. O que pensaria sua tia se admitisse esse fato, Christina se perguntou, com um ligeiro sorriso. Ora, ela provavelmente instalaria outro trinco na porta do próprio quarto. Não, a condessa não entenderia sua atração. O velho xamã de sua aldeia iria entender, no entanto. E ficaria muito satisfeito também.”

Um romance envolvente, contendo intrigas, morte, lutas, roubo, trapaças, uma fortuna que pessoas cruéis farão de tudo para adquiri-la e um casal relutante em relação ao destino que os unirá.     

Aaah que livro lindooo! 
Eu sabia que ficaria encantada pela escrita da Julie desde o dia em que eu li alguns quotes do livro ”Um amor para Lady Johanna”. Ela escreve de uma maneira tão envolvente, e o casal é tão apaixonante que é impossível não torcer para que eles fiquem juntos haha. Fazia um tempo que eu não lia um romance histórico tão viciante.

O que eu achei mais interessante foi como a história da Christina foi desenvolvida, sendo criada pelos Dakotas e depois tendo que se separar da sua família e cumprir o seu destino. Com a ajuda do diário de Jéssica, ela estaria preparada para o que viria. Só não contava com o Lyon em seu caminho haha. Os dois são tão fofos juntos, com o jeito doce, divertido e espontâneo de Christina, ela acabava eliminando a barreira protetora que Lyon criara em seu interior. Há momentos muito hilários também quando Christina começa a falar coisas que só fariam sentido para os Dakotas, e isso acabava deixando Lyon mais confuso. Foi muito lindo e divertido ver o desenrolar desse romance, que para a minha surpresa também contém cenas de ação muito envolventes.

O livro é narrado em terceira pessoa, não encontrei nenhum erro ortográfico e a capa está lindíssima e retratou muito bem a personagem principal. Já estou com saudade dessa história incrível. Vale a pena conferir!         
   
               
21 comentários via Blogger
comentários via Facebook

21 comentários:

  1. Sinceramente, pulei muitas partes da sua resenha, pois recebe o meu livro essa semana e ele está na minha meta de leitura, por isso não quero ser influenciada.

    Eu já conheço a escrita da autora e gosto muito.
    Espero que surpreender e me deliciar com essa leitura.

    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  2. Eu achei essa capa linda - e olha que eu nem sou fã de artes com pessoas na capa hahaha. Não conhecia a história, mas vc passou tanto sentimento na sua resenha que despertou o meu interesse <3

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  3. Não vou mentir: eu adicionei esse livro a minha lista por causa dessa capa maravilhosa. Eu não conhecia a história e me encantei demais pelo enredo, principalmente por você ter falado com tanto carinho do livro. Já vou adiantar para ler o mais rápido possível! Beijos do Wes ^^

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?
    Eu achei a capa interessante, não gosto de pessoas em capas de livros, mas esse me deixou curiosa para saber quem é a mulher da capa..rs!
    Não conheço a autor, e achei a resenha interessante, vou procurar o livro para comprar.

    Beijos e abraços
    http://vickyalmeida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oiii Jennifer

    Fico feliz em saber que a leitura te agradou tanto, a capa é linda demais.
    Te confesso que não é meu tipo de livro, portanto, de momento, não leria pois acho que não é uma leitura pra mim, mas pra quem curte o gênero parece ser a história certa com certeza.


    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Ahh que delícia de história. Estou com muita vontade de fazer essa leitura. Amo romances de época e parece ser uma história bem fluida.
    Sua resenha me deixou com vontade de pular minhas leituras e embarcar nessa trama.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  7. Que capa linda O_O e olha que não sou chegada em capas com modelos ein, mas essa esta linda, linda <3
    A resenha ficou muito boa, fiquei com vontade de ler o livro agora haha com certeza vou procurar o livro para lê-lo!

    beijos,
    Conta-se um Livro

    ResponderExcluir
  8. Olá, gostei de saber mais sobre a história pela sua resenha. Achei super interessante o fato de a mocinha não ter vivido com os nobres por um longo tempo. Já fiquei curiosa para ler e conhecer mais de perto os personagens.

    ResponderExcluir
  9. Eu gosto muito do gênero e estou curiosa com esse livro, mas essa capa eu achei horrorosa. Gostei da sua resenha e gostei de poder conhecer um pouco mais sobre a história.

    ResponderExcluir
  10. Amo esse gênero e com certeza essa é uma leitura que me chamou a atenção. Vou colocar na minha lista!
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  11. Oi tudo bem? Eu acho o estilo da autora diferente, mas gosto da escrita dela, gostei muito da premissa dessa obra, adoraria fazer a leitura, mas não sei se terei a oportunidade.

    ResponderExcluir
  12. Oi Jennifer, tudo bem? Menina, que resenhão... A capa me cativou e a história considerei diferente do que costumamos encontrar no mercado literário, gostei, fiquei interessada. Beijos

    Nara Dias
    Viagens de Papel

    ResponderExcluir
  13. Olá!!

    Acho que já vi esse livro em alguma lugar, mas não lembro onde.

    Devo dizer que essa capa por si só não me chamou a atenção, mas sua resenha e sinopse me fez considerar uma possível leitura. quem sabe lá na frente?

    Beijos, Blog Diversamente

    ResponderExcluir
  14. Oi Jenn, pela resenha você realmente amou o livro e realmente despertou em mim o desejo de ler o livro logo.

    Bjs
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  15. Apesar de amar o gênero eu não consigo me ver atraia por ler esse livro agora, acredita? Quem sabe daqui um tempo, mas não sei, não agora. Mas eu adorei poder conferir suas opiniões sobre tal, esta de parabéns pela linda resenha.

    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Olá, tudo bem?
    Eu sou fã de romances de época, mas confesso que esse não me atraiu muito. Achei o enredo um tanto confuso, não sei... sinto que faltou algo para me deixar curiosa para ler.
    Mas fico feliz que você tenha gostado tanto da leitura e que o casal seja tão apaixonante. Adorei a resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  17. É uma narrativa que envolve muitos aspectos interessantes. Gosto de histórias que trazem cultura indígenas. Fiquei curiosa para ler. Mas também fiquei com receio de focar muito no romance e não trazer algo além.

    ResponderExcluir
  18. parece ser uma trama bem intrincada, e realmente a capa remete bem à personagem protagonista... mas de qualquer forma, não me vejo lendo uma obra do gênero,não bate vibe, tende?
    mas fico feliz que vc tenha curtido a leitura...
    bjs :D

    ResponderExcluir
  19. Oi Jennifer, tenho dois livros dela aqui, mas não li nenhum ainda. Adorei este enredo de intrigas e trapaças, ainda mais com uma herança no meio. Sem falar que a capa está linda. Já quero meu exemplar.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  20. Olá, tudo bem Jennifer?

    Eu achei essa capa linda, a Universo caprichou. Eu confesso que não conhecia a autora, gostei da sua resenha e vou pesquisar mais sobre o livro, achei interessante na trama ter intrigas, trapaças!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  21. Oii!

    Eu gosto muito dessa capa, mas não sei se leria no momento. Gostei da sua resenha, tá bem escrita e envolvente, só pediria cuidado com os quotes haahaha eles entregam bastante coisas que - para quem é chato como eu - pode ser considerado spoiler.
    Dica anotada.

    bjs

    ResponderExcluir

Olá!
Seja bem vindo ao Coleções Literárias. Sinta-se a vontade para deixar seu comentário.
Siga o blog também, seremos imensamente gratos.
CONTATO: colecoesliterarias@gmail.com
Beijos

© Coleções Literárias ♥ 2018 - Todos os direitos reservados ♥ imagem-logo