24/04/2018

[ RESENHA ] Bodas de Fogo

Título: Bodas de Fogo (De Lacis #1)
Autora: Deborah Simmons
Editora: Bezz- Leque Rosa
Páginas: 295
Estrelas: 5/5
Livro: Cedido pela Editora- pdf

Tentando evitar um casamento não desejado após receber um decreto do rei Edward de escolher um de seus cavaleiros, Aisley de Laci escolhe o Barão Montmorency, conhecido como o Cavaleiro Vermelho, cuja fama é de que se isolou para ter liberdade de praticar as Artes das Trevas. Na certa o rei não endossaria um enlace desse e Aisley poderia voltar para sua vida em Belvry.Reconhecido como um dos melhores em batalha, o Cavaleiro Vermelho isolou-se  em Dunmurrow por motivos pessoais. E ele não quer uma esposa, não importa o quão rica ou bela ela seja. Mas mesmo sendo quem era, ele não poderia desafiar a ordem do rei, e uma vez que ela venha a ele, ele toma - e preserva.Em bora Aisley se recuse a acreditar nas histórias que fazem de Montmorency mais mito do que mortal, ela começa a se perguntar se ele possui poderes misteriosos. Senão, como explicar seus próprios sentimentos crescentes para com seu marido, um homem envolto pelas sombras e do qual ela nunca viu o rosto?Estaria ela sob um feitiço ou tinha verdadeiramente contraído Bodas de Fogo?
 


Aisley de Laci sempre foi uma menina muito rebelde desde o berço, principalmente por ter crescido com três irmãos, que lidavam com ela de forma áspera e rude, sem mãe para ensinar-lhes maneiras delicadas de tratar sua irmã. A família De Laci sempre foi muito rica e possuía uma propriedade em Belvry de dar inveja não apenas aos nobres, mas também ao próprio Rei Edward, que tinha muito apreço pela família. Contudo, a tragédia chegou cedo para eles.

 Enquanto os dois filhos mais velhos tinham sucumbido a uma febre, o terceiro fora morto na última Cruzada. Porém foi com a morte recente do pai que fez com que a vida de Aisley mudasse totalmente. Sendo a única sobrevivente dos De Laci, as circunstâncias exigiram que ela amadurecesse cedo. E aos 17 anos, Aisley se tornara uma Castelã muito respeitada, gerenciando as propriedades do pai, resolvendo problemas com êxito, levando os plantios à fruição, sem deixar de mencionar a casa, onde tudo corria tão bem que parecia tocar como uma melodia de um violino. Porém, para o Rei Edward, uma mulher não poderia gerenciar uma propriedade sozinha, então ao invés de receber uma recompensa pelos seus esforços, Aisley recebe um decreto; ela teria que se casar.

Aisley poderia escolher seu futuro marido entre os cavaleiros mais elegantes das terras do Rei, mas esta honra fora concedida a ela apenas porque tinha dinheiro suficiente para pagar pelo privilégio. Enquanto permanecia na Corte do Rei, cercada de cavaleiros ansiosos por um prêmio, Aisley franzia o cenho de puro desgosto e indignação, mas ao mesmo tempo, se sentia indefesa e sem escapatória do seu destino. Apenas sua criada, Edith, uma senhora de meia idade que a conhecia desde bebê, era capaz de reconhecer facilmente o seu humor.


Edith a aconselhava para se comportar e escolher sabiamente, usando a cabeça e não o coração. Aisley sempre fora uma jovem forte e esperta, mas também era teimosa e durona, por isso, ela não iria se entregar tão facilmente; ela tinha um plano. Escolheria o Barão Piers Montmorency, ou como ele era conhecido, o Cavaleiro Vermelho.

A menção do mais temido de todos os homens do Rei, fazia com que todos se encolhessem de pavor. O apelido de Montmorency fora dado pelo próprio Rei, que ao observar o seu cavaleiro mais habilidoso, cruel e impiedoso em batalha, sempre o encontrava coberto do sangue de seus inimigos após o final dela. Envolto em um mistério, o Cavaleiro Vermelho sustentava rumores de estar em aliança com o diabo. Era um homem cruel, um alquimista que vivia sempre nas sombras e praticava artes obscuras nas profundezas de sua isolada fortaleza em Dunmurrow. Diziam que quem entrasse em seus domínios, nunca mais retornava.

Porém, por mais que os boatos sobre o Barão fossem assustadores, Aisley não acreditava em nenhum deles. Tudo o que ela almejava era que o Rei não aprovasse a sua escolha, fazendo com que ela se considerasse livre para voltar para casa. Contudo, não é o que acontece. Estando diante do Rei Edward, e de sua Rainha, Eleanor, em uma audiência particular, Aisley lhes expõe o seu escolhido, fazendo com que o Rei a olhasse com uma expressão de raiva, mesmo que ele tentasse escondê-la. Mas Edward logo percebe a intenção de Aisley e decide puni-la por tentar enganá-lo, concedendo a sua escolha.

“Embora tenha ouvido sua esposa, Edward continuou olhando para Aisleycom severidade, e ela se empertigou ante aquela observação. Os olhos azuis dorei pareciam buscar algo dentro de sua alma, avaliando suas forças, suasfraquezas e até seu próprio coração. Ela se manteve firme até que Edward sorriu.A moça sentiu-se relaxar quando o ouviu rir suavemente. Parecia achar tudodivertido, o que ela percebeu com alívio. Não duvidava que ele concederia suavitória, e ela poderia voltar para casa muito em breve como uma mulher livre.O rei se inclinou na direção dela e sorriu:— Montmorency será, então — ele disse.”

Surpresa e em choque, Aisley percebe que agora está numa situação pior do que a anterior. Incapaz de acreditar que se casaria com um homem que conhecia apenas por rumores sombrios e ameaçadores, ela se recusava a aceitar que no dia seguinte logo se encontraria com Montmorency em Dunmurrow para selarem sua união. Contudo, ela tinha outro plano, pois tinha plena noção de que o Barão não ficaria nem um pouco feliz com a nova esposa, ainda mais uma que se intrometesse em seus negócios obscuros. Ele não se interessava pelas intrigas da corte, muito menos buscava dinheiro. Aisley tinha certeza de que ele iria recusá-la e mandá-la de volta para casa. Mas seria o Barão Montmorency capaz de passar por cima das ordens do Rei? Não mesmo haha.

Pois apesar de ser muito temível, Montmorency respeitava o Rei e mesmo não gostando da ideia de ser casar com uma jovem que ele nunca vira antes, ele não poderia desafiar as ordens reais. Vivendo sob suas próprias regras, o Barão gostava de viver em constante isolamento em seu Castelo sombrio, antigo e assustador, coberto em escuridão e poeira. Envolta de uma floresta coberta pela névoa à noite.

Acompanhada de alguns homens do Rei para protegê-la, e do padre para que fizesse a cerimônia, Aisley logo percebe que Montmorency estava provando sua reputação. Nenhum local era tão escuro e sombrio quanto os aposentos do Barão, onde era possível ver apenas a sua figura alta e imponente, acompanhado de dois cachorros imensos e tão assustadores quanto seu dono, despertando medo em todos os presentes, menos em Aisley, que por incrível que pareça, se encontrava cada vez mais intrigada por não conseguir ver o rosto de seu futuro marido coberto pela escuridão.

— A beleza da senhorita é notória. — Mesmo com esse temperamento? — perguntou Montmorency ironicamente. Delamere teve a consideração de não responder, mas sorriu sombriamente, enquanto Aisley cerrava os punhos durante a discussão de ambos sobre ela como se fosse um boi prestes a ser assado para um banquete de Natal. — E, ainda assim, você me escolheu, senhorita — disse Montmorency lentamente, de uma forma tão ameaçadora que Aisley chegou a estremecer apesar da raiva. — Talvez os bons cavaleiros da corte fossem muito fracos para o seu gosto e tenha pensado que o Cavaleiro Vermelho seria o mais indicado para a tarefa de domesticá-la. Delamere riu ao seu lado, e Aisley empertigou-se.— Posso ver que foi um erro, senhor — disse ela, com tanta frieza quanto conseguiu.— Sim. Foi um erro; e um erro seu, não foi? — perguntou Montmorency, com uma voz tão ameaçadora quanto seu castelo. Quando Aisley recusou-se a responder, o silêncio se esticou entre eles, fazendo seu coração bater com tanta ferocidade que ela cravou as unhas nas palmas das mãos. — Mas o que está feito, está feito — Montmorency finalmente disse, com um tom de voz sérionovamente.—Que assim seja. Cecil, prepare a capela e peça que o padre seja levado para lá assim que estiver pronto. Receio que não estejamos acostumados a ter muitos visitantes por aqui — ele falou, dirigindo-se para eles outra vez. —A hospitalidade da minha propriedade é limitada, mas faremos o nosso melhor.— Ele acenou para que todos saíssem, e Aisley sentiu seu sangue correr frio.”

Para que ninguém visse o rosto do Barão à luz do dia, a cerimônia iria ocorrer numa capela improvisada coberta pela névoa e escuridão. Não havia muitos convidados, apenas os homens do Rei, Edith, os cinco criados que trabalhavam para Montmorency e Cecil, seu fiel mordomo.   


“—Meu senhor, asseguro-lhe que isto é um engano — começou ela, com as mãos cerradas em punhos, sobre o tecido flutuante de seu vestido. — Sim, eu sei — disse Montmorency, com uma irritação evidente. — Mas você conseguiu o que queria. Acha que eu desafiaria o rei?Aisley não respondeu. Montmorency riu, um som que soou como um latido amargo em meio à câmara silenciosa. — Você realmente pensou que eu desafiaria. — O senhor tem uma reputação e tanto, senhor — Aisley disse delicadamente. — Entendo — ele disse. — Talvez tenha pensado que eu somente precisaria movimentar minha mão e o decreto desapareceria com um truque de feiticeiro. Aisley abafou um suspiro, e ela pôde jurar que teve o vislumbre de dentes muito brancos, um sorriso sarcástico no meio das sombras.— Bem, minha obstinada Lady de Laci, suas maquinações acabaram terminando muito mal, pois, não importa o que você possa ter ouvido sobre mim, não desafiarei meu rei. Devo muito a Edward, e se este é o seu desejo, então, eu o obedecerei. Agora — ele disse, levantando-se —, você fez a sua cama. Sugiro que se deite nela. — Uma batida na porta sinalizou o retorno do criado, e Montmorency mandou-o entrar. — Cecil, por favor, leve minha noiva até o seu quarto. Vamos nos casar o mais rápido possível — disse o Cavaleiro Vermelho, e suas palavras ecoaram na cabeça de Aisley como o som da morte.”

Por mais cruel que o seu destino fosse, Aisley não iria fugir dele. E para a sua surpresa, ela pôde sentir o toque gentil do Barão enquanto segurava a sua mão durante a cerimônia, despertando nela uma sensação de prazer e calor, o que a assustou rapidamente, pois desde pequena, Aisley nunca recebera afeto, tanto de seus irmãos quanto de seu pai. E também nunca se apaixonara, mas era surpreendente a sensação de conforto que o Barão estava despertando nela e após o beijo rápido que selava a união dos dois, tudo o que ela queria era que a sensação intensa entre eles na escuridão não tivesse ido embora, era como se estivessem sozinhos na capela.    

Agora além de perceber que estava casada, Aisley não conseguia entender os seus novos sentimentos. Pois ela finalmente encontrara um homem capaz de dominá-la não apenas com suas excentricidades, mas também com o seu próprio toque. Estaria ela enfeitiçada pelo Barão? E quanto ao seu mistério de sempre se esconder nas sombras? Piers Montmorency possuía um segredo e apesar de pensar que deveria se livrar de sua esposa pelo bem dos dois, algo o detinha. Ela despertava nele sentimentos que ele não sentia há muito tempo. Será o amor mais forte que esse segredo? Só lendo para descobrir!     

Mais um romance de época para a lista de favoritos desse ano! Gente, que livro! Só o mistério do Barão já fazia com que eu não desgrudasse nem por um segundo do livro, e com o despertar romance, eu fiquei completamente viciada pela história haha. Aisley nunca fora uma jovem que demonstrava interesse em procurar um marido por si mesma. Sua natureza indomável era evidenciada pelo seu tom de voz e suas atitudes. Enquanto Piers era atrevido, possessivo, rude, indiferente e possuía sempre uma voz ameaçadora que expressava a sua raiva e descontentamento. Dois personagens com personalidades distintas e machucados em seu interior, mas que encontrarão um no outro a chance para o amor e a felicidade. Esse livro foi o meu primeiro contato com a escrita da Deborah Simmons e eu já quero ler todas as suas obras haha.

A trama é envolvente e os personagens são intensos e divertidos. A revelação do mistério foi bombástica e acredito que irá surpreender muitos leitores, assim como aconteceu comigo. Piers tem os seus momentos explosivos de raiva, mas também possui o seu lado romântico que será praticamente impossível resistir a ele haha.

O livro é narrado em terceira pessoa, então podemos ler pela perspectiva dos dois personagens principais. A primeira edição foi publicada em 1995 pela Editora Nova Cultural, e agora a segunda edição foi publicada em 2017 pela Editora Bezz- Leque Rosa. Acredito que essa nova edição combinou mais com a história e retratou muito bem a Aisley. Sem falar que a diagramação está lindíssima. Vale a pena conferir!         
 

38 comentários:

  1. Livro bom é livro que além de ensinar algo, surpreende o leitor! Não tem nada mais chato do que descobrir o fim antes de acabar de ler...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo totalmente! Verdade haha, e nos instiga a ler mais obras da autora, espero que goste da leitura. Bjss!

      Excluir
  2. Oii
    Gosto muito de romance de época, e fiquei super curiosa em ler Bodas de Fogo, não conhecia, mas achei a trama muito envolvente.
    Parabéns pela resenha!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii! Aaah que bom, então você irá amar essa história. Muito obrigada <3, espero que goste da leitura. Bjss!

      Excluir
  3. Oi Jennifer, parabéns, tua resenha conseguiu me deixar com muita vontade de ler um romance de época. Não deve ter sido nada fácil ser mulher naquela época.
    O mistério que ronda o Barão me deixou muito curiosa e adoro revelações bombásticas, já fiquei imaginando aqui...
    Tua resenha ficou muito bem escrita e o livro, entrou para minha lista.
    Bjos
    Vivi
    http://duaslivreiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Viviane! Obrigada, fico muito feliz que você tenha gostado <3. Pois é, eu fiquei super indignada com essa exigência do Rei Edward. Apenas por ela ser mulher, ela não poderia cuidar da propriedade que sempre foi dela após o falecimento do pai. Muito frustrante! :( Aah fico muito feliz em ler isso, obrigada. Espero que goste da leitura tanto quanto eu. Bjss!

      Excluir
  4. Nossa que legal sua resenha está de parabéns e fico feliz em ver o quanto gostou ao ponto de favoritar. Mas a verdade é que esse não é um gênero que me vejo lendo por hora, quem sabe futuramente não é mesmo? Mesmo assim, obrigada pela dica.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Karine! Obrigada <3! Aaah eu amei, ainda mais por mesclar romance e mistério haha. Entendo totalmente, eu estou me sentindo assim em relação aos romances eróticos, li bastante ano passado e acho que preciso ler outros gêneros haha. De nada, bjss!

      Excluir
  5. Olá!
    Só por ser de época já despertou o meu interesse, depois de ler a sua resenha então! Mistério e romance é tudo o que me faz suspirar pelos livros, então essa sua dica está mais do que anotada!

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii! Que bom que a minha resenha te deixou curiosa. Eu também haha, ainda mais quando vamos conhecendo o lado romântico do personagem masculino.Bjss!

      Excluir
  6. Oi.
    Adoro romances de época e adoro mocinhas teimosas (mas não podemos confundir teimosia com burrice, né?) e determinadas. E fiquei muito curiosa para saber qual é o segredo do barão, pensei que seria algo previsível, mas sua resenha indica que não. Então quero saber.
    Fiquei curiosa e pretendo ler.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii! Verdade haha, ela se enrolou mais ainda com esse plano. Pois é haha, eu imaginei mil coisas, mas a autora colocou algo totalmente diferente. Boa leitura, depois me conta o que achou. Bjss!

      Excluir
  7. Eu não tenho o habito de ler romances de época, por isso não tenho muito com o que comparar, porem este foi um livro que gostei muito, pesquisei mais sobre o livro e descobri q era um romance de banca, não sei se é verdade.

    Parabéns pela resenha
    Bjos
    Aline Blog Relíquias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline! Aah que bom que mesmo você não tendo o hábito de ler obras desse gênero, você tenha ficado curiosa a ponto de pesquisar mais sobre a obra. É um romance de banca sim, e essa é a segunda edição. Obrigada <3!

      Excluir
  8. Faz muito tempo que não leio romances de época, a gente tem meio que essas fases de leitura, né? Rs
    Sua resenha me encantou e fiquei até curiosa pra conhecer mais os personagens.
    Dica anotada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mylena! Verdade haha. Awn fico feliz que você tenha ficado encantada com a história, espero que você tenha a oportunidade de ler. Bjss!

      Excluir
  9. Oiii Jennifer

    A capa desse livro é maravilhosa, ja da vontade de ler por essa capa. E saber que a trama está assim perfeita anima mais a gente. Apesar de não ser muito de romances de época, até eu fiquei interessante, achei bem legal a premissa toda e o que vc contou dos personagens. Vamos ver quando terei a oportunidade de conferir.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline! Simm, eu também fiquei encantada por essa capa haha, queria muito ter lido na versão física haha. Aaah que bom que você se interessou pela história e pelos personagens, eles são maravilhosos mesmo <3. Leia sim, bjss!

      Excluir
  10. Não sou de ler romances de época, mas esse despertou minha curiosidade. Quero muito saber qual é o grande segredo. Ah, e sua resenha ficou ótima! Faz com que queiramos ler o livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii! É uma revelação muito surpreendente haha. Awn muito obrigada, eu me empolgo um pouco haha. Espero que goste da leitura, bjss!

      Excluir
  11. Oi, tudo bem? Não leio mais romances de época e a história me decepcionou. Eu realmente detesto arcos femininos que reproduzem o discurso de que o sofrimento é algo bom. E também não gosto dessa coisa de "dois personagens machucados". Não acho que o amor é um campo de batalha e me deu um super embrulho no estômago aquela parte em que você diz que a protagonista finalmente encontrou alguém capaz de dominá-la. Então, novidade: a mulher não é um bicho. A mulher tem vontade própria e não precisa de homem (ou mulher) algum/a pra "dominá-la". Me afastei desse gênero justamente por causa disso, as premissas femininas são sempre muito falsas, descrevendo as protagonistas como "independentes e libertas", mas que acabam nesse clichê do serem "domesticadas" por algum homem. Em pleno século XXI eu não faço a mínima ideia do por que narrativas assim ainda fazem sucesso </3

    Mas a sua resenha tá muito boa, bem escrita e instigante, parabéns :)

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nina! Poxa, que pena! Eu confesso me também fico indignada com esse padrão imposto nas mulheres, de serem submissas e que não podem ser independentes, mas infelizmente essa era a realidade daquela época. Essa parte de ser dominada foi usada pela própria personagem, mas no sentido da paixão, porque apesar do casamento, ela não vai mudar a sua personalidade ou deixar de ser independente, e continuará sendo uma castelã durante o enredo. Concordo totalmente com você, era bem injusto mesmo. Acho que assim como eu, algumas leitoras gostam por conta do romance mesmo haha. Obrigada, fico feliz que tenha gostado da resenha haha. Gostei bastante da sua crítica. Bjss!

      Excluir
  12. Olá, eu já conhecia o livro pela edição antiga eu adorava aquela capa e me chamava muita atenção. Me parece ser uma história bem antiga mesmo, eu adoro essas narrativas de época, mas gosto mais de histórias voltadas para o romance. Adorei sua resenha muito bem escrita e detalhada.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii! Sério? Que legal! Eu não conhecia essa história até a editora me enviar em pdf haha, depois eu pesquisei mais e descobri a edição antiga. Obrigada <3, bjss!

      Excluir
  13. Não sou fã de romances de época, mas até que me interessei pela história desses dois.. rs... Parecem ser tão cabeça dura que acredito que gostaria deles. E fiquei curiosa com esse mistério também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Totalmentee, demora bastante para que eles se entendam haha. E essa foi a parte que eu mais gostei, pois geralmente os romances desse gênero ocorrem bem rápido. Também acredito haha, espero que goste da história. Bjss!

      Excluir
  14. Oi, Jennifer! Eu li esse livro na edição anterior e acho que foi um dos primeiros livros de época medieval que li. De romances de época, esses são os que menos gosto, por sempre mostrar a mulher como um objeto (e mesmo sabendo que era assim na época, me dá certo ranço). Em todo o caso, eu curti a história e a parte do mistério do cavaleiro. Só não leria de novo. rsrs
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lucy! Que legal, a edição anterior também era bem bonita. Te entendo haha. Aah que bom que você também gostou da história. Bjss!

      Excluir
  15. ola, pra ser sincera não curto o gênero romance de época, alem do mais, achei esse enredo já super batido, tendo elementos bem parecidos em outros titulos desse estilo de leitura... mas que bom que pra vc, a leitura foi proveitosa...
    bjs...

    ResponderExcluir
  16. Não li ainda, e já estou me remoendo por ser um romance de época, e claro, curiosa em relação ao segredo.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rose! Eu imaginei que você iria gostar do enredo haha. Você irá se surpreender, espero que você aprecie da leitura tanto quanto eu. Bjss!

      Excluir
  17. Eu estou louca para ler esse livro, além de amar o gênero eu fiquei muito curiosa com a premissa dele. Adorei ler a tua resenha e poder conhecer um pouco mais sobre a obra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii! Que bom que você ficou empolgada com a obra, aah então você irá amar a história haha. Obrigada, fico feliz que tenha gostado <3. Bjss!

      Excluir
  18. Você leu me PDF? tenho a maior dificuldade com isso, deve ser uma história fantástica mesmo. bom, não nego que fiquei fascinada por conhecer a cruel história de Aisley, quanto mais lia a resenha, mais me interessava. esse lance desse barão sombrio é bastante convidativos. vai para lista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simm haha. Jura? Eu acabei acostumando a ler livros em pdf, mas também confesso que fiquei curiosa para ter a versão física, ainda mais com essa edição lindíssima haha. Aah fico muito feliz por você ter gostado. Pois é haha, ele é incrivelmente misterioso, e o fato dele ficar nas sombras nos instiga mais a saber o porquê desse comportamento. Coloca sim, bjss!

      Excluir
  19. Olá, tudo bem Jenny?
    Eu não conhecia esse livro, não faz muito o meu estilo literário, gosto de romances históricos (ficção histórica), já romance de época não é meu forte. Fico feliz que tenha gostado da leitura, parabéns pela resenha!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  20. Oi Jenny, como está?
    Eu ainda estou me acostumando com romances de época e esse com certeza é um que me interessou MUITO! A premissa é bem interessante, mas de cara já odiei o rei Edward. Gente, que merda esse cara pensou? Eu sei que teve épocas que era assim, mas não tem como não achar absurdo.
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://www.galaxiadeideias.com/
    http://osvampirosportenhos.blogspot.com

    ResponderExcluir

Olá!
Seja bem vindo ao Coleções Literárias. Sinta-se a vontade para deixar seu comentário.
Siga o blog também, seremos imensamente gratos.
CONTATO: colecoesliterarias@gmail.com
Beijos

© Coleções Literárias ♥ - Todos os direitos reservados - 2016 ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo