31/03/2017

[ RESENHA ] Para Sempre Ana

Título: Para Sempre Ana
Autor: Sergio Carmach
Páginas: 336
Editora: Caravansarai
Estrelas: 5/5
Livro indicado na categoria "melhor romance" do Prêmio Literário Codex de Ouro 2013.Na mística Três Luzes, o leitor percorre inicialmente três momentos afastados no tempo, onde três homens, de três gerações da família Rigotti, experimentam situações-limite pela influência de uma mesma mulher: Ana. A partir daí, a narrativa o leva a uma instigante viagem, nem sempre linear, entre meados do século XX e o início do XXI, na qual os dramas, o passado, o verdadeiro caráter e os segredos de cada personagem são pouco a pouco desnudados.A trama é conduzida pela busca de Ana e pela busca por Ana, forasteira misteriosa que abala os triluzianos e cuja trajetória se funde à dos demais em uma história carregada de luzes e sombras. A busca de Ana arrebata as emoções; a busca por Ana arrebata os sentidos. E ambas surpreendem. Sempre que tudo parece esclarecido, detalhes antes considerados sem importância provocam uma reviravolta geral na história. Até o último capítulo.Descubra se os mais atordoantes segredos de Três Luzes estão mesmo nos céus ou no fundo da alma de seus moradores.
 


11/12/2011

Já se passaram mais de dez anos desde o desaparecimento de uma mulher bela e enigmática chamada Ana. E depois de tanto tempo, apenas um jovem ainda tinha esperanças de encontrá-la. Certo de que ela estava viva, o rapaz segue a procura do último lugar do seu desaparecimento- ou fuga, a cidade de Três Luzes. Porém seu sumiço é apenas um dos enigmas que completam o local repleto de segredos e mistérios envolvendo os habitantes da cidade.

Três Luzes era o Município de Senador Mariano na região serrana do estado, e possuía não apenas um vale cercado de colinas e bosques cobertos de pinheiros como também uma história bem interessante sobre o nome da cidade. Segundo cientistas, o vale era visitado por caravanas que viam nele um campo de pouso para alienígenas, e para comprovar, muitos disseram terem visto três luzes no céu à noite, e assim surge o nome da cidade.     

 Por ser uma cidade pequena onde todos se conheciam, os habitantes logo sabiam quando havia um recém-chegado. Caio Rigotti nasceu na capital, mas viveu grande parte da infância no lugarejo serrano até que foi levado embora. Agora aos 18 anos, determinado a encontrar a mãe, a mulher desaparecida. Sem qualquer pista do seu paradeiro, Três Luzes parece o ponto de partida. Contudo, antes de nos aventurarmos nessa procura por Ana. É necessário que o leitor descubra como tudo começou...

 "Aprendi desde cedo como é triste o destino dos escravos das paixões. No passado, vi como atraem tragédias. A voracidade que têm por sentir transforma seus sonhos em ilusões, que, navegando às cegas, aportam em miragens. Mas miragens são efêmeras e frágeis. Somem gradualmente, logo deixando transparecer o vulto da infelicidade, que confunde, atormenta e, finalmente, enlouquece. Não é difícil perceber que os escravos das paixões são vitimados pelo egoísmo dos próprios desejos."

O autor nos leva para o dia 25/12/1993, onde um almoço de Natal era promovido pelo doutor Nestor Rigotti e sua esposa Márcia. Onde não apenas amigos íntimos estavam presentes como também os pacientes. Nestor se mudou da capital para Três Luzes há mais de vinte anos, trazendo consigo sua esposa e seu filho Carlos, que na época tinha apenas seis meses. O médico pediatra era paciente e cativante, por isso, rapidamente havia se tornado uma pessoa respeitada e amada por todos na cidade. Sua esposa era bela, inteligente e sempre simpática. Márcia também tentou seguir os passos do marido na carreira, porém decidiu se dedicar a criação de Carlos, que agora mais velho, era sua fonte de grandes preocupações.

Herdada a beleza dos pais, Carlos era disperso e movido de paixões, alguns cidadãos se precipitam o mau julgamento de seu caráter, dizendo que gostava apenas de se divertir sem compromisso. Porém, havia uma pessoa que sempre pensava o contrário. Cristina era uma bela jovem que sempre o admirou e que ao conversarem na Festa Anual da cidade, e depois muitos encontros, havia se tornado sua namorada. 

Enquanto os convidados esperavam pela hora do almoço, conversas animadas enchiam o ambiente, tornando- o agradável e descontraído.  O padre Motta e o delegado Irineu, amigos desde muito tempo debatiam sobre filosofia e religião, não era algo incomum, pois isso sempre acontecia quando estavam juntos. A família Rigotti também estava reunida em uma conversa sobre o quão bom era morar no interior, com a ex-professora de Carlos, dona Gertrudes e sua neta Cris, porém Carlos não sentia nenhum entusiasmo em participar. Queria sair do interior e estudar arte ao invés de medicina, como seu pai tanto insiste. O que acaba saindo uma discussão, e para amenizar a situação, Márcia chama seu marido para apresentar a casa às convidadas.

Carlos continua sentado e emburrado, pois não queria que sua namorada fosse com seus pais. Queria levá-la para um canto escondido no jardim e confessar um sentimento nunca antes confessado. Porém, esse sentimento logo se dissipa dando lugar a um desespero e indignação ao se deparar com a jovem Ana, que atravessava a entrada principal da casa de seus pais a sua procura. Tentando não ser visto pela intrusa e desejando que seus pais se detenham o máximo dentro de casa, ele se levanta e passa a perambular de um lado para o outro e acaba tendo que participar da discussão entre padre Motta e Irineu. Até que a moça o encontra quando a discussão dos dois homens aumenta.  

A conversa já começa com uma descoberta surpreendente para os leitores. Determinada, Ana lhe dá um ultimato, se Carlos não assumisse seu filho, ela contaria a seus pais tudo sobre o envolvimento dos dois na frente de todos, principalmente de Cris. Carlos fica apavorado e irritado, pois Ana havia lhe dado a notícia sobre o bebê há apenas dois dias. Tentando tirá-la da festa antes que seus pais a descubram, ele não consegue contra- argumentar, ele sabia que era inútil. Ela iria contar a sua família e a todos que tivessem por perto.

Não apenas seus pais, como também Cris e dona Gertrudes ouviam todo o relato da jovem. E enquanto contava com os olhos marejados, a fisionomia de todos era ameaçadora em direção a Carlos. Ana conta que os dois haviam se conhecido na Festa Anual da cidade, o que faz Cris não aguentar mais e esboçar sua tristeza e decepção. O bebê de Ana que estava dormindo na recepção é devolvido à mãe, e como um último ato de coragem, Carlos pega o envelope que iria entregar a Cris para expressar o que sentia e o lê na frente de todos, mas é em vão. Pois seu pai que estava o tempo todo em silêncio durante o relato de Ana, se manifesta irritado, exigindo que seu filho crescesse e respondesse as consequências de seus erros. Cris e Gertrudes vão embora e o local de alegria se torna pesado e embaraçoso. 

Todos ao redor já percebiam que algo estava errado, e para provar sua inocência, Carlos exige o teste de DNA na capital e isso faz Nestor se alarmar. Pois ele temia que sua reputação fosse abalada por julgamentos superficiais e não fundados, querendo que seu filho assuma a responsabilidade de pai para que os cidadãos não pensassem que ele desprezava os valores familiares.





Mas Márcia está determinada a ajudar o filho, então Nestor toma a frente do problema. Decidindo ir um dia antes na capital para checar se não irá ocorrer nenhum erro no teste. 

Porém, há muito mais nessa história do que apenas a descoberta sobre a paternidade do bebê de Ana. Como o passado da jovem que envolve toda a família Rigotti em uma rede de mentiras, ódio, intrigas, paixão, romance e conflitos que apenas lendo para descobrir!


"Como aprendizes da vida, todos nós temos a oportunidade de amadurecer pela experiência, de transformar as vivências amargas de outrora em aprendizado, o que nos torna, em geral, imunes às recidivas de velhos males. Mas existem espíritos de índole frouxa, capazes de cair nas mesmas armadilhas por inúmeras vezes. Mesmo um árduo esforço consciente da parte deles pode não ser suficiente para livrá-los de antigas e arraigadas tendências. Carlos, recorrente em suas atitudes e omissões quando o assunto é paixão, talvez seja um desses miseráveis. Ele não se recorda quando sentiu o estalo, mas um ocorreu após a partida de Márcia e fez sua alma ser dominada gradualmente por um poderoso sentimento, uma atração crescente – ao mesmo tempo desagradável, prazerosa e insofismável – por Ana."


Nessa envolvente história, não tem como o leitor ter uma perspectiva concreta sobre cada personagem, pois em cada capítulo há uma reviravolta bombástica. No início da trama, a entrada de Ana parece tornar a vida de todos na família Rigotti em um tremendo caos, mas conforme eu lia, acabei me surpreendendo totalmente com a construção que o autor Sergio Carmach criou para a história. E foi uma experiência incrível!

Narrado em terceira pessoa, nos permitindo então ler as perspectiva de Ana, Carlos, Nestor, Márcia e muitos outros personagens nessa maravilhosa obra.  O livro também possui lindas ilustrações que mostram o que ocorrerá no próximo capítulo ou o que já ocorreu no anterior. 

Confesso que fiquei um pouco indignada com o final haha, mas depois de refletir um pouco mais entendi o que o autor quis expressar. E o entendimento que adquiri ao ler esse livro foi que existem pessoas capazes de qualquer coisa pela busca de suas próprias felicidades, não importa o estrago que deixará no processo. A mudança dos personagens também foi algo indispensável e surpreendente, vou sentir muitas saudades dessa obra e principalmente da Ana, que se tornou uma das minha personagens favoritas. Vale a pena conferir!

18 comentários:

  1. Caramba, que livro envolvente, sua resenha me deixou muito curiosa para ler o livro! E o título me lembrou a de um conto de fadas que já li! Uma pena que o final não tenha sido tão satisfatório, mas amei sua resenha, muito bem escrita e completa!

    MEMÓRIAS DE UMA LEITORA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Suzane! Obrigada, fico feliz que você tenha gostado. Sério, qual é o conto? Bjss!

      Excluir
  2. Olá, tudo bem?

    Menina, que história, que sinopse e que resenha!

    Amei e já coloquei na minha lista de leitura, preciso conhecer melhor a história, pq a sua paixão para descrever o que sentiu lendo, envolveu-me!

    bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bel! Obrigada, coloca simm. Você vai se surpreender com a história! Bjss.

      Excluir
  3. Nossa! Parece ser complexa, intensa e imprevisível a meada que costura a história destes personagens no livro. Fiquei bem curiosa com o quadro que você apresentou. Obrigada pela indicação!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Beta! Simm,totalmente kk. De nada, espero que você tenha a oportunidade de ler um dia. Bjss!

      Excluir
  4. Oiee Jennifer ^^
    Nossa, eu lembro que, quando criei o blog, via várias coisas a respeito deste livro. Não tinha visto nada sobre ele desde então. E hoje nem tenho tanta curiosidade como tinha antes. Apesar de ter uma premissa bem interessante, não sei se o leria. Parece que fui desanimando...haha'
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  5. Oiii!!

    Eu nunca li nada sobre esse livro, mas adorei conhecer por sua resenha.
    Achei legal a forma como você se envolveu! Dica anotada.
    A resenha está muito bem escrita!

    Beijinhos
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Olá
    Parece ser uma história bem complexa, gosto de histórias com muitos mistérios e revoltas, mas não sei, algo me incomodou nessa história, além de estar precisando de uma leitura mais leve ultimamente.

    ResponderExcluir
  7. Olá lindona,

    Suas resenhas sempre bem explicadas e bem pontuadas.
    Essa Ana parece ser bem perigosa e capaz de tudo para conseguir o que deseja tanto.
    Outra parte que gostei é as reviravoltas que sempre deixam tudo mais gostoso e tenso.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Olá!

    Gosto de vir aqui porque as resenhas são muito bem escritas, além de explicarem claramente a trama. Pena que, nem assim a obra me chamou a atenção, não é o tipo de leitura que procuro no momento.

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem?
    Adorei a resenha, e tenho que admitir que está muito bem escrita, mas que a obra não me agradou muito, não sou muito fã do gênero, então irei passar a dica.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  10. Oiii Jennifer, tudo bem?
    Esse realmente parece ser um livro de emocionar qualquer coração meio de pedra, gostei d amaneira que o autor escreve, pelos seus elogios parecem ser incríveis, dica muito mais que anotada e essa capa está um luxo.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  11. Ola Jenni lindona, não conhecia o livro, achei bem intrigante a premissa do mesmo, com Ana tem influência em três gerações. pelo visto há muitas revelações que irão surpreender o leitor. Dica mais que anotada. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir
  12. Olá tudo bem?
    Eu estava aqui me perguntando como eu ainda não conhecia esse livro! Que história fantástica, instigante e envolvente! como pode Ana influenciar três gerações? Fiquei muito curiosa, já anotei na minha listinha para ler!

    beijinhos!

    ResponderExcluir
  13. Oi, Jennifer!
    Que livro, hein. Fiquei imaginando o que aconteceu para ela desaparecer e se o filho dela a encontrou. Mais que isso, fiquei imaginando que segredos seriam revelados. Amei a resenha!

    ResponderExcluir
  14. Oie!
    Adoro livros que tem várias reviravoltas na trama.
    Ainda não conhecia o livro, mas gostei bastante da história. Mesmo com o final que não gostou tanto, fiquei interessada em ler.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  15. Gente, que resenha completa, que diz tudo sem contar os detalhes...menina...amei!!!!!
    Não conhecia o livro, mas gostei bastante da premissa...é bem como eu gosto...hehe

    bjs

    ResponderExcluir

Olá!
Seja bem vindo ao Coleções Literárias. Sinta-se a vontade para deixar seu comentário.
Siga o blog também, seremos imensamente gratos.
CONTATO: colecoesliterarias@gmail.com
Beijos

© Coleções Literárias ♥ - Todos os direitos reservados - 2016 ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo