13/03/2017

[ RESENHA ] O Livro de Memórias

Título: O Livro de Memórias
Autora: Lara Avery
Páginas: 348
Editora: Seguinte
Estrelas: 4

Sammie sempre teve um plano: se formar no ensino médio como a melhor aluna da classe e sair da cidade pequena onde mora o mais rápido possível. E nada vai ficar em seu caminho — nem mesmo uma rara doença genética que aos poucos vai apagar sua memória e acabar com sua saúde física. Ela só precisa de um novo plano. É assim que Sammie começa a escrever o livro de memórias: anotações para ela mesma poder ler no futuro e jamais esquecer. Ali, a garota registra cada detalhe de seu primeiro encontro perfeito com Stuart, um jovem escritor por quem sempre foi apaixonada, e admite o quanto sente falta de Cooper, seu melhor amigo de infância de quem acabou se afastando. Porém, mesmo com esse registro diário, manter suas lembranças e conquistar seus sonhos pode ser mais difícil do que ela esperava



Sabe aquela frase de efeito “Aproveite o agora porque o amanhã você não sabe se estará aqui?”, pois bem, leve a sério, a vida dá tantas voltas e surpresas que muitas vezes somos obrigados a mudar radicalmente os planos, assim como a protagonista de “O Livro de Memórias” da autora Lara Avery.

17 anos e uma notícia chocante, tão jovem e tanta coisa pra viver, mas não, Sammie foi diagnosticada com NP-C, uma doença genética incomum em adolescentes que causa a perda de tonicidade muscular, os órgãos ficam fracos e o que mais preocupa a nossa protagonista é a demência, já que o cérebro também vai entrando em curto-circuito quando a doença progride para quadros mais críticos.


O sonho de Sammie era se formar no ensino médio e partir para estudar na Universidade NYC, ela como toda pessoa extremamente organizada e decidida já tinha todos os planos fechados de como seria essa nova vida e o que ela precisava fazer para chegar a realizar esse grande passo.
Sempre teve uma ótima oratória e excelente em vencer grandes debates, ela e sua amiga Maddie são a dupla que representará o Colégio Hanover no Torneio de Debates entre escolas. Sammie se preparou durante um ano inteiro para esse momento, mas ao descobrir sobre seu quadro médico irá ficar extremamente tensa, com medo de não conseguir executar essa etapa, afinal ainda falta algum tempo para o grande dia e a doença não dá trégua e vem avançando sorrateiramente em momentos inesperados.

Na verdade, Sammie sempre foi a garota sozinha, controladora, meio isolada dos demais colegas, por ser muito nerd e certinha ninguém de fato era seu amigo, exceto a Sra. Towsend que era sua professora e talvez, um pouco, Maddie, a amizade entre as duas começou pelo interesse em vencer debates, mas aos poucos algo maior cresceu entre elas, algo que ia além de papel e idéias. Só que a NP-C atrapalhará a vida não só de Sammie, mas de outros ao seu redor.

"A Niemann-Pick (são três tipos - A, B e C - e eu tenho o C, comumente chamado de NP-C, o único que já recebi, ha-ha-ha) acontece quando o tipo errado de colesterol se acumula no fígado e no baço e, como consequência, ocasiona uma série de obstruções no cérebro."

Quando mais nova ela teve um melhor amigo, Cooper Lind, ela sente falta dele, do seu bom humor e companhia, mas os anos os afastaram, Cooper se tornou um baladeiro, pouco dedicado aos estudos que só pensa em galinhar, o oposto completo de Sammie, que não frequenta festas e muitos menos sai com garotos. Em um momento de desabafo ela conta a Cooper sobre sua doença e a partir daí teremos mais dele na vida dela.

Só que Sammie está apaixonada, ela sempre guardou uma paixonite, um amor platônico por Stuart, um garoto um pouco mais velho que ela que é escritor e mora na cidade dos sonhos dela, Nova York. Quando ele vem passar um tempo no interior os dois irão se aproximar e ela terá a chance de viver um pouco desse amor doido e realizar um dos seus maiores desejos: sair com Stuart.


Mas calma, deixa eu me explicar melhor, esse livro é contado por Sammie, ela decide que para não esquecer de nada que acontece em sua vida, ela escreverá em seu computador sobre sua história, é a Sammie do presente escrevendo para a Sammie do futuro.

Ao longo da narrativa vamos percebendo o quanto a doença se desenvolve e torna Sammie diferente do que ela era. Deixo claro, que certas mudanças não foram todas ruins, porque ela se tornou alguém mais acessível, mais humana. Ao mesmo tempo é triste ver o quanto a NP-C consome suas energias e sua percepção do que está acontecendo, às vezes ela esquece como chegar em algum lugar, esquece o que ela tinha que falar, mas quando eu digo esquece, é deleta total, o cérebro entre em looping e muito desesperador.


"- Talvez a gente dependa demais de outras pessoas para definir o que é sucesso - Stuart disse. - Tipo, talvez a gente compartilhe demais as coisas. Talvez seja por isso que coisas boas perdem um pouco a graça, porque sempre revelamos tudo."


Quando ela percebe que de fato não tem como lutar contra doença, vai se adequando a essa nova realidade a ela imposta, mas sem deixar de curtir o que ela está vivendo no presente. Lógico, dias ruins fazem parte e ela os omite no seu livro muitas vezes.

Enquanto o quadro dela se agrava Stuart e Cooper se tornam muito mais presentes pra ela e chegará um certo momento que ela perceberá quem de fato preenche as lacunas do seu coração.

É bonito ver que mesmo quando a casa está caindo, existe amor, um carinho lindo e a chance de ser feliz ao final e apesar de tudo.

O quão arrasador é receber a notícia que irá morrer jovem, mas além disso, irá se perdendo aos poucos. A maneira que a autora constrói esse romance Young Adult é muito incrível, conseguimos sentir o que está se passando com Sammie em cada momento complicado. Dá vontade de estar ali do lado dela acalmando e ajudando.

Mas ao mesmo tempo que tem toda essa pegada dramática, também é bem humorado, então não fica aquela vibe carregada e você lê rapidamente. Eu sempre tiro meu chapéu para autores que conseguem fazer esse tipo de escrita, a associação de algo ruim com o bom humor.

Nas fases mais difíceis da doença, Sammie já não consegue escrever muito corretamente, não segue a grafia, não tem acentuações, nem pontos finais e vírgula, é escrita corrida. 

Espero que tenham curtido a resenha!
E se gostaram comentem aí. ^^

Bjs.
Att,
Paty Argachof.

15 comentários:

  1. Olá
    Confesso que ando com a paciência curta para YA, não consegui encontrar dentro do gênero nenhum que tenha me agradado de verdade. Mas sempre que vejo esses livros que tratam de doenças raras acabo ficando muito curiosa e tentando mais uma vez a gostar dos YA.

    ResponderExcluir
  2. Tenho muita vontade de ler esse livro e ao mesmo tempo medo... Essa coisa de doença me incomoda muito, ainda mais quando são essas doenças de memória... Acho que isso mexe demais com a gente, de tudo que podemos e vamos perder... me da tristeza!
    bjos

    ResponderExcluir
  3. O livro parece ser interessante, mas essa coisa de doenças sempre me desgasta muito, acaba comigo emocionalmente por isso não sei se leria, mas é um livro que eu gostaria de ler um dia, para saber mais sobre como seria a vida de uma pessoa com essa doença e tudo o mais, mas não sei - eu sou mt sensível para essas coisas - com certeza ia chorar horrores.

    Raíssa Nantes

    ResponderExcluir
  4. Oie!
    Eu já li esse livro e adorei a história! Que livro emocionante! Em alguns momentos eu fiquei angustiada com a situação da protagonista. A história é linda, eu gostei bastante.
    bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  5. Oiee tudo bem?

    Esse foi um dos melhores livros que li em 2016, até agora ainda dar uma dorzinha no coração só de lembrar nele, é um livro tocante que nos faz parar e pensar em querer viver o agora e fazer valer a pena!

    Bjs Jany

    www.leituraentreamigas.com.br

    ResponderExcluir
  6. OI, Paty
    Também gostei muito desse livro. Você tem razão, o divertimento que a trama traz quebrou um pouco o gelo da doença e me deixou até com o coração quentinho ao chegar no desfecho. Que bom que também gostou. Ótima resenha.

    ResponderExcluir
  7. Nossa! Que interessante! Adorei saber sobre o livro e suas impressões sobre ele. Achei a história bem diferente e bonita também. E foi super legal saber que apesar de triste, a história é contada com leveza e bom humor.

    Eliziane Dias

    ResponderExcluir
  8. Oi, Paty.
    Esse livro está na minha lista de próximas leituras e depois de ler sua resenha fiquei ainda mais animada! Estava com um certo receio de que ele fosse meio deprê, mas gostei de saber que ele é até divertido!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  9. Você já me tranquilizou ao afirmar que, embora tenha uma doença na trama principal, o livro não é para baixo e tem momentos divertidos. Seria uma leitura atualmente fora da minha zona de conforto. Vou anotar a dica para quando quiser arriscar! Abraços!

    ResponderExcluir
  10. Por mais que você tenha dito que existem momentos divertidos no livro, não teve como eu não me sentir angustiada em relação a personagem. Nossa, é uma barra muito pesada para alguém da idade dela. Fico imaginando como será o final dessa obra, que aliás, já quero!

    ResponderExcluir
  11. Olá Paty! Nossa, amei sua resenha! Eu fiquei tocada com a história. Nossa, que difícil a situação dela e mesmo assim ela encontrou alegria em alguns momentos e amigos verdadeiros.Vou ler esse livro sim, a história me emocionou muito, beijos!

    ResponderExcluir
  12. Olá!

    Vi esse livro no Snapchat da Seguinte, mas me surpreendi com a lindeza da premissa, simplesmente apaixonada! Tentarei ler o mais rápido possível, obrigada pela resenha!

    ResponderExcluir
  13. Oiii!

    Eu já tinha visto algumas divulgações para a obra mas nunca tinha lido nenhuma resenha. EU achei interessante a abordagem dada pela autora para a escrita. Gosto de livros nesse estilo.
    Sua resenha está bem escrita e me deixou bem curiosa!


    Beijinhos,

    ResponderExcluir
  14. Olá,
    Já faz algum tempo que estou com essa obra na lista de leitura mas ainda não consegui pegá-la.
    A premissa é bem interessante e estou curiosa para conferir tudo o que Sammie escreve em seu livro e como ela consegue passar por tudo isso, que parece ser um caos cheio de dor.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  15. Essa capa é linda. Amo um drama, e gostei muito da premissa deste, apesar de achar que bem complicado um final para o enredo que nos satisfaça pelo desenrolar da história quero muito conferir. Anotei a dica.

    ResponderExcluir

Olá!
Seja bem vindo ao Coleções Literárias. Sinta-se a vontade para deixar seu comentário.
Siga o blog também, seremos imensamente gratos.
CONTATO: colecoesliterarias@gmail.com
Beijos

© Coleções Literárias ♥ - Todos os direitos reservados - 2016 ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo