27/01/2017

[ RESENHA ] Tropicorientao

Título: Tropicorientao
Autor: Nelson Capucho
Editora: Atrito Art Editorial
Páginas: 99
Estrelas: 5/5

Nelson Capucho é um respeitável experimentador. Já nos brindou com os lisérgicos versos da juventude, as viagens lúdicas do homem/menioe, recentemente, produziu uma safra de poemas realistas, alguns deles publicados com exclusividade pela revista Coyote. Em seu novo livro, Capucho faz uma espécie de homenagem tropicalista aos imigrantes japoneses. Aqui, o leitor encontrará um armazém de sutilezas. Há versos inspirados no I-Ching e no Zen-Budismo, hai-kais surpreendentes e alguns “bonsais” (micropoemas). Tropicorientao certamente proporcionará prazer a todos que sabem apreciar a arte da Poesia.



Olá, caros leitores!

Gosto muito de poemas, por isso fiquei muito feliz ao ganhar este livro. Foi bastante surpreendente, pois pude recebê-lo das mãos do autor, mas não foi por meio de uma parceria. Em um trabalho que fiz para a faculdade, precisei encontrá-lo e entrevistá-lo, o que fez com que ele percebesse meu interesse em seu trabalho e resolvesse me dar um de seus livros. Portanto, não estou escrevendo esta resenha por motivo de parceria, mas porque realmente gostei muito do trabalho do Capucho. Além disso, essa experiência acabou me servindo para estar mais aberta a ler livros de autores que moram na mesma cidade em que eu moro, afinal percebi que podem haver grandes escritores muito próximos de você sem que você saiba disso.


Este livro é composto por pequenos poemas, que raramente apresentam rimas, mas são capazes de envolver o leitor em um ambiente muito visual. E quando digo “ambiente visual”, não estou dizendo que o livro traz ilustrações, mas que as palavras empregadas nos poemas são constantemente objetos, animais ou cenários que são visíveis ao ser humano. O uso de termos que indicam emoções não é muito grande, mas é incrível o fato de que é possível captar os sentimentos de cada poema apenas imaginando a cena que o autor descreve neles.

“Vento no varal.
A lua filma meu quimono
abraçado ao seu vestido.” (pág. 66)


Título
De início, o título do livro me pareceu estranho, mas depois me dei conta de que trata-se de uma junção poética das palavras “tropical” e “oriental”, o que explica bastante a temática do livro. O principal tema utilizado pelo autor é a mistura de elementos brasileiros e japoneses, tanto na estrutura de escrita quanto na descrição dos cenários de alguns poemas.


Estrutura
O livro é dividido em quatro capítulos, que parecem descrever uma estrutura de começo, meio e fim. O começo, representado pelo capítulo “Kami: caminhos”, é composto por poemas sem número específico de versos e sem a obrigação de rimas. O meio, no qual estão os capítulos “Tais & Quais Orientais” e “Bonsais”, traz o uso de hai-kais e bonsais (estrutura poética criada pelo autor) respectivamente. E o final, representado pelo capítulo “Taikos”, busca trazer novamente a liberdade dos versos e rimas, que não seguem um padrão específico.


Hai-kais
Como há um capítulo que faz uso desse recurso, achei interessante explicar aqui o que são hai-kais, já que isso costuma estar tão distante da nossa cultura. Hai-kai é uma estrutura típica da poesia japonesa, na qual os poemas não possuem título e são compostos por apenas três versos, que não necessitam de rimas. O desafio ao escrever um hai-kai é conseguir despertar no leitor uma imagem poética com apenas três versos.

“Anoitece na praia.
Tudo é vasto; o mundo, os astros:
museu de infinito.” (pág. 45)
Bonsais
No livro, os bonsais são uma nova estrutura poética, criada pelo autor e utilizada em um dos capítulos. A estrutura consiste na junção de duas palavras para que uma terceira palavra não-existente possa ser formada. Um exemplo de bonsai seria: Mar/risco. Entenderam? Aparentemente, o objetivo dos bonsais não é a junção de duas palavras para a formação de uma palavra existente, mas a formação de uma palavra não-existente que se aproxime de uma palavra existente. Portanto, no exemplo citado, as palavras “mar” e “risco” se tornam um bonsai, pois ao serem colocadas juntas formam a palavra “marrisco”, que se parece com a palavra “marisco”.

A origem do nome “bonsai” para se referir a esta estrutura poética vem das pequenas árvores japonesas chamadas bonsai. Portanto, ao ser uma estrutura poética que apresenta uma forma tão pequena (como as pequenas árvores), os bonsais criados por Capucho são exemplos de micropoemas.

Favorito
Apesar de gostar bastante dos poemas de número variado de versos e achar bastante criativa a ideia dos bonsais, meus poemas favoritos no livro acabaram sendo os hai-kais, pois achei incrível a capacidade que eles têm para criar uma imagem poética e bonita na imaginação do leitor com apenas três versos. O meu favorito acabou sendo este, que deixarei aqui para que vocês possam conhecer um pouco mais sobre o conteúdo deste livro.


“Lua minguante.
Cãozinho uiva de saudade
na porta do hospital.” (pág. 50)

Espero que tenham gostado de saber mais sobre o livro, que é uma obra que indico muito por ser bonita e ótima para nos colocar em contato com a cultura japonesa. Até a próxima! :D

16 comentários:

  1. Gosto de livros de poemas, textos, acho que são leituras bem pessoais que a gente faz, são palavras mais próximas do autor.
    Gostei muito do título do livro, quando o li já fiquei encantada.
    E a diagramação dele tá muito bonita
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  2. Eu ainda não conhecia o livro e achei bem interessante a proposta, gostei da ideia do bonsai. Achei bem criativo!

    ResponderExcluir
  3. Ola Jessica, tudo bem?
    Eu não conhecia a obra ou o autor, mas fiquei muito interessada nesse livro. Amo poemas e poesias então essa dica foi perfeita para mim. Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi Jéssica,
    Não conhecia o autor, mas gostei muito de poder conhecer o trabalho dele aqui na sua postagem. Eu curto muito poesias, mas não é bem o tipo de leitura pela qual eu tenho me aventurado no momento, por hora eu passo a dica.
    Beijoos

    ResponderExcluir
  5. Olha já gostei por ser poemas! Mas fiquei muito interessada por nos colocar em contato com a cultura japonesa, não li nada parecido ainda. E vou procurar ler!
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Olá amore,
    Não sou muito chegada em versos, mas, quando vi o assunto que é tratado nesse livro, mudei um cadinho de ideia... dica anotada aqui pra uma futura leitura.

    Beijokas!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá; gostei muito de conhecer esse livro.
    Ele já começou a chamar minha atenção pelo título curioso, e pela sua resenha, achei muito interessante a temática de juntar ocidente e oriente, além dos "bonsais".

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia o livro, mas achei ótimo você perceber que vale a pena arriscar e conhecer autores novos e nacionais.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Olá !!! Achei interessante o livro, o título. Ainda não conhecia.
    Muito boa sua resenha, fiquei curiosa pela leitura.
    muito sucesso, bjooo

    ResponderExcluir
  10. Olá Jessica, tudo bem?

    Não conhecia o livro e o autor, é uma novidade para mim!
    A sua resenha ficou muito boa, a premissa é interessante e fiquei curioso com a obra!
    Bjuss

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Achei bem interessante essa estrutura de começo, meio e fim que o livro é dividido, parece que está nos contando uma história. Infelizmente não sou fã de poesias, por isso esse livro não me chama muito a atenção, mas adorei a sua resenha!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Paraaaaaaaaaaaa, eu quero esse livro para ontem. Também gosto de poemas e os que você postou são fabulosos, amo essa escrita rápida e com pegada inteligente.

    ResponderExcluir
  13. Olá, gostei muito da dica pois adoro livros de poesia! Não conhecia essa obra nem o autor, mas parece ser ótima!
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  14. Oiii Jéssia, como vai?
    Me vi intensamente apaixonada pelo livro que tu trouxeste, a edição está um luxo e vendo que o autor propôs trazer essa temática com tantos nomes renomados já me incentivou a querer ler tenho certa paixão pelo budismo e pelos autores citados, com toda certeza irei ler.
    Beijinhos da Morgs!

    ResponderExcluir
  15. Oii! Amei o livro!
    Eu sou apaixonada por poesias, e a proposta do autor é super interessante, fiquei super curiosa para ler e ver de perto essas técnicas de escrita.
    Achei super legal o motivo pelo qual você o conheceu, e muitas vezes nem imaginamos que tão perto de nós (mesma cidade) existem pessoas que escrevem tão bem.
    Parabéns pela tua iniciativa e por nos apresentar esse livro lindo!
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem?
    Achei a estrutura do livro bem, interessante e gostei da capa dele!
    Gostei da proposta dos bonsais.
    Bjs

    ResponderExcluir

Olá!
Seja bem vindo ao Coleções Literárias. Sinta-se a vontade para deixar seu comentário.
Siga o blog também, seremos imensamente gratos.
CONTATO: colecoesliterarias@gmail.com
Beijos

© Coleções Literárias ♥ - Todos os direitos reservados - 2016 ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo