11/07/2016

[ RESENHA ] O Rouxinol

Título: O Rouxinol
Autora: Kristin Hannah
Páginas: 425
Editora: Arqueiro
Estrelas: 4/5

Sinopse: No pequeno vilarejo de Carriveau, Vianne Mauriac se despede do marido, que ruma para o fronte. Ela não acredita que os nazistas invadirão o país, mas logo chegam hordas de soldados em marcha, caravanas de caminhões e tanques, aviões que escurecem os céus e despejam bombas sobre inocentes. Quando o país é tomado, um oficial das tropas de Hitler requisita a casa de Vianne, e ela e a filha são forçadas a conviver com o inimigo ou perder tudo. De repente, todos os seus movimentos passam a ser vigiados e Vianne é obrigada a fazer escolhas impossíveis, uma após a outra, e colaborar com os invasores para manter sua família viva. Isabelle, irmã de Vianne, é uma garota contestadora que leva a vida com o furor e a paixão típicos da juventude. Enquanto milhares de parisienses fogem dos terrores da guerra, ela se apaixona por um guerrilheiro e decide se juntar à Resistência, arriscando a vida para salvar os outros e libertar seu país. Seguindo a trajetória dessas duas grandes mulheres e revelando um lado esquecido da História, O Rouxinol é uma narrativa sensível que celebra o espírito humano e a força das mulheres que travaram batalhas diárias longe do fronte. Separadas pelas circunstâncias, divergentes em seus ideais e distanciadas por suas experiências, as duas irmãs têm um tortuoso destino em comum: proteger aqueles que amam em meio à devastação da guerra – e talvez pagar um preço inimaginável por seus atos de heroísmo.





Hoje trago a vocês a resenha de um livro que há muito tempo eu estou querendo ler, mas por alguns infortúnios (lista de livros para ler) acabei demorando um pouco mais nessa leitura, mas acredito que cada tempo dedicado a essa história foi gratificante.O Rouxinol nos apresenta um drama repleto de reviravoltas, narrado sob a perspectiva de uma mulher, da qual só descobrimos quem é no fim da leitura, apesar de que eu já tinha uma vaga noção de quem seria. Bom, o livro se passa na França por volta de 1940, época em que a Alemanha levou a França a se render perante Hitler. Só pelo momento histórico do livro já dá para imaginar como o clima é pesado nessa história.

Somos apresentados então a duas irmãs  Isabelle e Vianne Roussignol, as duas perderam a mãe muito cedo e com a ida do pai para a Primeira Guerra, acabaram que quase se viram órfãs de mãe e de pai, já que esse último após retornar para casa, se tornou indiferente em relação as meninas, deixando as duas juntas em uma casa de campo em Carriveau (uma cidade da França) para se virarem.

Essa parte da infância das meninas, é narrada através da memória de ambas ao longo da trama, porque a história se desenvolve com a Vianne já casada e morando sozinha com a filha e o marido (Anthony) em Carriveu. Esse último, foi convocado para guerra, o que acabou deixando Vianne e Sophie (a filha) sozinhas para lidarem com as consequências de uma guerra.


Por outro lado, a Isabelle que não teve uma vida muito estável, pois sempre é deslocada para vários internatos, acaba sendo expulsa novamente de uma escola de etiqueta para moças e com isso vai direto para Paris atrás do seu pai, que não a recebe muito cordialmente, mas a deixa ficar caso ela aceite trabalhar na livraria da família. As coisas, no entanto, começam a se complicar quando a França começa a sofrer ataques aéreos dos alemães, e essa parte pessoal é muito bem descrita pela autora sabe? Dá para sentir o nervosismo das pessoas, o desamparo das mulheres que foram deixadas sozinhas, pois os maridos foram para guerra e até mesmo o pavor em ver várias bombas sendo lançadas pelos ares. E é exatamente nesse momento, que o pai da Isabelle pede para que ela vá ao encontro da sua irmã Vianne, pois estará mais segura lá. A personagem é claro, reluta muito em ir, mas acaba embarcando em um carro amontoado de pessoas.

Infelizmente, a viagem da Isabelle ao encontro da irmã não dá muito certo, o carro estraga no caminho e ela se perde das pessoas com quem estava viajando. Vagando sozinha em uma cidade estranha e com um destino incerto, ela acaba conhecendo o Gaëton, um jovem francês, ex-presidiário e que tem muita vontade de lutar na guerra, para defender seus ideais (ele é comunista). A Isabelle acaba se aproximando dele e os dois juntos fazem planos de fazer a diferença na guerra, mas antes a Isa pede para passar na casa da sua irmã e em seguida eles podem seguir viagem.

"Mas as palavras que sempre pareceram tão grandiosas agora soaram pequenas. O que era o amor confrontado com a guerra?"

Enquanto isso, em Carriveau, a Vianne tenta voltar a sua rotina sem a presença do Anthony. Ela vai vivendo como pode com a filha Sophie, até que em uma noite, ela vê um monte de pessoas andando desabrigadas pela estrada, muitas machucadas, com olhares cansados e abatidos. Ela distribui alguns suplementos para as pessoas e depois se fecha em casa com a filha. Pela manhã, ela acaba encontrando com a Isabelle desmaiada nos fundos da casa, a moça está também em péssimo estado por ter caminhado muito até a casa da irmã.

Bom, quando a Isabelle acorda, ela procura pelo Gaëton, mas descobre que o jovem foi embora sem ela. E ela que já estava se apaixonando pelo rapaz, fica transtornada, mas se acalma e resolve ficar com a sua irmã. Tudo vai ocorrendo bem até aí, só que em uma noite, as duas irmãs recebem a notícia de que Paris se rendeu a França e com isso poucos dias depois, caminhões cheios de soldados nazistas chegam na pequena cidade, com isso eles começam a tomar partido de tudo, da quantidade de comida distribuída, das pessoas que vão exercer determinadas profissões, até mesmo se apossam das residências de alguns. Enfim, só lendo para entender e sentir o que aquelas pessoas passaram e com isso achei que a autora fez uma excelente narrativa, eu tive um vislumbre diferente da Segunda Guerra, antes eu pensava muito nos campos de concentração nazista, mas com essa história comecei a ver também o lado das pessoas que ficaram na cidade, como suas vidas e seus hábitos mudaram.

A partir daí o livro segue um rumo muito interessante, com a Vianne tentando se adaptar a essa vida e com esperança do retorno do marido. E a Isabelle tentando cada vez mais seguir os rumos da oposição, fazer o povo se revoltar, pois ela fica muito indignada com a rendição da França. E bom com isso, as duas irmãs se desentendem diversas vezes e muita coisa acontece. O livro seguiu um rumo muito tenso, mas ao mesmo tempo empolgante sabe? Você se vê na atmosfera da história, nos conflitos que surgem, nos sentimentos das personagens.

" A expressão de seu olhar era aguda como a ponta do seu queixo, revelando uma espécie de fome de conhecimento. Na noite anterior ela tinha achado que aquela era a maneira como ele olhava para ela. Agora via que era como ele olhava para o mundo".

E por falar em personagens, as duas protagonistas são muito cativantes. A princípio eu ficava mais do lado da Vianne, mas com o tempo, torci muito pela Isabelle, pelos pensamentos revoltosos dela e por pensar também que foi graças a pessoas que pensaram como com ela, que não se subjugaram, que a Guerra acabou e que todas as vidas perdidas em vão, foram honradas. Os demais personagens secundários são bem interessantes, a Sophie filha da Vianne, é uma mocinha muito esperta e cativante. A amiga da Vianne, a Rachel também é bem marcante. E ah o Gaëton, também é um personagem que podia ter sido mais bem desenvolvido, mas mesmo assim eu gostei muito dele, até porque em um momento de guerra não dá tempo de conhecer todo mundo tão profundamente, não é?

Essa história é com certeza um prato cheio de emoções, eu não imaginava que o livro me tocaria tanto e ao mesmo tempo me surpreendesse. Eu gostei muito da narrativa da autora, a princípio eu li um pouco mais devagar, mas quando enfim me acostumei a leitura fluiu muito facilmente. O nome do livro se deve ao fato do sobrenome das irmãs que traduzido do francês para o português, Rossignol significa Rouxinol, eu também pesquisei um pouco a respeito, e Rouxinol que na verdade é um pássaro, é um símbolo de amor e sentimentos, mas que também representa um íntimo laço entre o amor e a morte, ou seja bem condizente com o livro.

"- O que pode ser mais sério que um beijo no limiar de uma guerra? (...) - Eu só beijaria um homem que fosse corajoso o suficiente para me levar a batalha".

A capa é muito bonita pessoal, eu pensava que ele era mais verde, mas o tom é um pouco mais escuro, tem delalhes de gotas d’água e uma Torre Eiffel ao fundo, dando a impressão de que estamos olhando pela janela, em um temporal e tendo somente um vislumbre embaçado da Torre, que é um símbolo da França. Achei bem bonita também essa mensagem que a autora quis passar. E ah claro, tem também o pássaro em dourado na frente. Essa obra foi lançada pela nossa querida Editora Arqueiro, que fez um trabalho excelente na diagramação, a cada capítulo tem um desenho de um pássaro bem delicado. E a minha edição não veio com nenhum erro.

O livro já está disponível nas lojas pessoal e eu recomendo essa história para quem gosta de livros que possuem a guerra como pano de fundo, além de também se interessarem por dramas pessoais, porque é isso que vocês vão encontrar nessa história. Uma trama que não fala exatamente de finais felizes, mas nos mostra a perfeição da vida de outra forma.


Até a próxima ;) 

20 comentários:

  1. Oi Viviane, pela forma como você descreveu o livro me parece que essa é uma daquelas histórias bem estruturadas, e essas são as minha favoritas. Gostei muito do livro, achei a capa muito bonita e estou ansiosa para iniciar a leitura.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  2. Oiiii Vivianne querida, como vai?
    Infelizmente dessa vez a obra não despertou muito meu interesse, seria meio cansativa a leitura para mim. Parabéns pela resenha, pularei a dica dessa vez.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Desde que vi a capa desse livro fiquei louca para ler e agora lendo a sua resenha fiquei mais curiosa.

    ResponderExcluir
  4. Ooi Viviane
    Sua resenha esta ótima, parece mesmo ser ótimo para quem curte o gênero mas mesmo que eu nunca tenha lido um livro com o fundo da guerra mais forte, acho que não gostaria. Mesmo assim, obrigada pela dica!
    Beijoos
    http://estantemineira.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oiee

    Esse livro é um dos meus favoritos, senti muitas emoções nessa leitura e sempre recomendo.
    Eu torci e sofri muito com as duas irmãs, diferentes, mas muito cativantes. Com certeza foi uma história que me marcou muito.
    A capa é linda demais, dava vontade de ficar passando a mão toda hora rs.
    Adorei sua resenha!!

    Bjs
    Fernanda
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá! Nossa que história linda! Eu amei a sua resenha e enquanto lia, ficava imaginando os lugares, os personagens, até mesmo sentir a áurea desse período. Deve ser bem tocante e interessante também ver segunda guerra por outro Ângulo. Gostei bastante, beijos!

    Entre Livros e Pergaminhos

    ResponderExcluir
  7. Uma das meninas já resenhou esse livro lá no blog e falou maravilhas sobre ele.
    Eu gostaria de fazer a leitura também, mas vou pega-lo em ebook, porque já estou entupida de livros aqui rs
    Mas mesmo assim gostei do desenvolvimento da sua resenha como sempre, porque tu aborda muito bem não só o texto da história, mas seu ponto de vista que ficou realmente incrivel. Espero poder fazer a leitura assim que for possivel =]

    ResponderExcluir
  8. Eu amei a capa real!
    Mas a temática do livro não me agradou muito.
    Adorei as fotos e a estrutura da sua resenha.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  9. Olá!

    Eu li bem no começo do ano, e como essa leitura me abalou. Me emocionei do começo ao fim, impossível não torcer pelas irmãs e como não odiar a guerra e todos os personagens que ela protagonizou? Simplesmente de arrepiar!

    ResponderExcluir
  10. Oi, Viviane. Nossa, que saudade me deu dessa leitura. Eu adorei o livro e o enredo me deixou muito envolvida até o final do livro. O final eu achei muito comovente e me vi chorando quando aquela surpresinha acontece, uma obra maravilhosa e adorei ver a sua opinião sobre ela.

    ResponderExcluir
  11. Já me apaixonei só por se tratar da Segunda Guerra, amo leituras do tipo, gosto muito de historias de guerra e ainda com conteúdo desse familiar. Sei amaria ler esse livro <3, logico que vou procurar esse livro para mim.

    Beijos

    Viviana

    ResponderExcluir
  12. Olá Vivianne,
    eu amo os livros da Kristin Hannah e esse está na minha lista a algum tempo já.
    Adorei sua resenha, me deixou ainda mais curiosa e sei que vou chorar. Não sabia sobre a simbologia do Rouxinol, muito boa sua pesquisa.

    Bjs!
    Fadas Literárias

    ResponderExcluir
  13. É um dos livros que estão na minha lista de desejados tem tempo! Adorei sua resenha,
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Oi,
    Ainda não li esse livro, mas gostei bastante da premissa e parece ser um livro maravilhoso que mostra a força feminina de duas irmãs.
    Imagino que deve me levar as lágrimas muitas vezes.
    Obrigada pela dica
    beijos

    ResponderExcluir
  15. Oi

    Eu não gosto de ler livros com guerra de pano de fundo. Se forem "guerras reais".
    Acho um período tão difícil que me deprime. Mas gostei da premissa desse livro . Acho que esse eu vou ler....

    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Oi

    Eu não gosto de ler livros com guerra de pano de fundo. Se forem "guerras reais".
    Acho um período tão difícil que me deprime. Mas gostei da premissa desse livro . Acho que esse eu vou ler....

    Bjs

    ResponderExcluir
  17. Olá. Gostei bastante da resenha.
    Adoro quando o livro traz personagens que nos cativam e esse enredo cheio de emoção acabou me conquistando.
    Confesso que não conhecia a obra, mas estou mega satisfeita por ter lido a resenha e vou procurar saber mais.
    Gostei que também pesquisou sobre o livro, isso é muito interessante. haha
    Beijos
    http://casinhadaliteratura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Olá.
    Conheço esse livro, mas nunca li nada sobre ele. Na verdade até agora não sabia do que se tratava. Adorei a resenha, me fez querer muito ler o livro. Já vou deixar anotado.

    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Quando um romance tem como fundo uma guerra, ou o contrário, não é difícil se emocionar!! A Segunda Guerra Mundial devastou milhares de vidas. Neste livro as mulheres são estacadas pelas suas bravuras, amores, temores em meio ao caos da guerra!! A capa do livro está linda!! Será que o final é bom, feliz? Já quero ler!!

    ResponderExcluir
  20. Olá Viviane, que resenha completa!
    Parabéns!
    A história do livro parece ser muito linda de fato, a autora é bem famosa por fazer os seus leitores chorar se não me engano. Entretanto, o assunto guerra não é algo que eu aprecie e infelizmente apenas por isso eu não leria esse livro :/

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir

Olá!
Seja bem vindo ao Coleções Literárias. Sinta-se a vontade para deixar seu comentário.
Siga o blog também, seremos imensamente gratos.
CONTATO: colecoesliterarias@gmail.com
Beijos

© Coleções Literárias ♥ - Todos os direitos reservados - 2016 ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo