22/01/2015

[RESENHA] Uma Vida Para Sempre - Simone Taietti




Título: Uma vida para sempre
Autor: Simone Taietti
Editora: novo século
Páginas: 351
Estrelas: 5/5
Livro: cortesia da autora para resenha
"Ethel diz estar morrendo. Contudo, não afirma isso apenas em razão de sua doença. Talvez a única certeza de nossa existência seja a morte, o fato de que ela chega para todos. Mas nem por isso deixa de ser a maior incógnita da vida. Em um hospital, em meio à dor das histórias dos pacientes, Ethel encontrou amigos. Entre passeios em cemitérios, frequentando velórios e enterros de estranhos, ela tenta preparar a si e aqueles que ama, para o que parece estar ali tão próximo, o fim. Entretanto, não esperava enfrentar algumas surpresas que a fizessem duvidar de tal preparação. As estatísticas ruins, a inexorável passagem do tempo. Onde reside a lógica disso que nos arranca pedaços, da súbita inexistência do que outrora era vívido e pulsante? Um corpo que jaz. Palavras que se perdem. A finitude de tudo o que é tão belo talvez seja a maior dor do mundo. Uma vida para sempre é um compilado de desejos, pensamentos e dias. Quanto dura o para sempre? Ethel descobriu."


Confesso que era um pouco preconceituosa com os livros nacionais, mas tudo mudou quando li Uma vida para sempre. Quando a Simone me enviou o livro eu comecei a ler de imediato e as duas primeiras frases me chamou atenção, por se tratar de frases super parecidas.

"A dor é tão necessária como a morte"   -Voltaire

"A dor ensina. A dor protege.[..]"

E logo descobri o porque dessas frases, Ethel tem CIPA (Insensibilidade congênita à dor com Anidrose) ou seja ela não sente dor e também não transpira e por causa desse fato ela não pode ficar muito tempo em contato com o sol ou com o frio, pois seu corpo não consegue estabelecer a temperatura e como ela não consegue sentir a ardência da pele queimando Ethel precisa estar sempre alerta e sempre que ficar muito exposta ao sol precisa equilibrar a temperatura rapidamente, se não ela pode morrer em minutos.
Ethel tem 17 anos e foi adota quando ainda era um bebê e logo os pais perceberam que havia algo errado com ela e foi aí que descobriram a doença, desde então Ethel é cuidada com muita atenção pelos pais, mais precisamente pela mãe já que aos 8 anos de idade ela perde o pai adotivo, esse é o primeiro contato que ela tem com a morte e depois disso Ethel passa a ficar meio que neurótica pela morte (mesmo ela não gostando muito desse termo),
Digo neurótica por coisas desse tipo:

"Você sabia que por muitas vezes é possível encontrar cadáveres em posições diferentes do que aquelas em que foram colocados [..]"

em uma das suas pesquisas, descobre que os portadores da CIPA tem uma expectativa de vida muito curta chegando aos 20 anos e desde então ela vive tentando preparar a mãe para sua partida, tentando fazer com que as pessoas pense sobre a morte e que ela está ali na esquina, só esperando o momento certo para ceifar mais uma vida que não aproveitou o que a vida deixou ao seu dispor.
Ethel faz fisioterapia em um hospital de Joaçaba duas vezes na semana e lá ela fez alguns amigos, coisa que na escola ela não tinha por ser a garota diferente e o que a levou estudar em casa. Gertrud é uma senhora portadora de uma doença incurável, ela tem um papel muito importante na vida da Ethel, é a personagem que mais entende ela, isso até Ethel conhecer Vitor um garoto bonito de 19 anos portador de LMA (Leucemia Mieloide Aguda), eles se conhecem no hospital e desenvolve uma amizade que no decorrer da história já podemos adivinhar no que vai dar. 

"Eu quase conseguia ver os sul-americanos atravessando a ponte para a África, aquela sustentada pelo sorriso de Vitor"

É assim que Ethel se refere ao sorriso de Vitor, uma ponte que faz com que Africanos e sul-americanos dar as mãos. fofo né? Mas como nada é flores, além de Ethel e Vitor lidarem com as doenças também terão que lidar com o fato da mãe de Ethel ser totalmente contra seu relacionamento com qualquer pessoa do hospital. E Ethel terá que lutar por seus direitos e liberdades, terá que tentar trazer a mãe junto também com Catarina ao mundo dela e mostrar que a presença dela ali no hospital ao redor de pessoas que estão em fase terminal os ajudam a ver o lado bom da vida...

Uma das coisas que me chamou a atenção foi a rotina da Ethel, ela acordando todos os dias e parando em frente ao espelho completamente sem roupa a procura de qualquer machucado ou osso quebrado, ou quando ela diz que precisa colocar lembretes no celular para que ela não esqueça de ir ao banheiro ou mesmo de comer.
Seu humor irônico é uma característica que eu adoro nela, o modo como brinca a respeito da doença.

"Você pode ir até a cozinha, apanhar a faca mais afiada e, sei lá, decepar a minha mão. Eu não vou sentir absolutamente nada."
O assunto principal (Acho que posso dizer assim) é a morte, você vai notar que tudo gira em torno dela "a terrível morte"

"Há alguém morrendo enquanto escrevo esta palavra e há outro morrendo agora, enquanto você respira ou vira uma página. E isso é estranho, insano e ridículo. Mas é o que acontece e ninguém pode mudar essa realidade."


"Lembre-se de que vai morrer"



"Pessoas vivem como se não fossem morrer e morrem sem nunca ter vivido"
Eu o livro parecido de certa forma com o livro A culpa é das estrelas, a escrita da autora me fez lembrar muito desse fenômeno do João verde, principalmente o jeito irônico os personagens, o foto de Ethel e Vitor serem doentinhos e o jeito nerd deles de conversar, as piadas de um humor negro as vezes, sabe? Adorei as indicações de livros, músicas e filme no decorrer da história, A-M-E-I os pensamentos e curiosidades super interessantes no incio de cada capitulo, como uma teoria de que Tiradentes tenha morrido careca e não cabeludo e barbudo como é retratado e como isso seria uma maneira de compara-lo com Jesus Cristo, ou o hipótese de Hitler ter sido um judeu.
A única coisa que me incomodou no incio da leitura foi não saber a aparência física da Ethel, que eu me lembre a autora não a descreveu, então não sabemos a cor dos olhos, cabelos, esse tipo de coisa, só se eu me envolvi tanto na história que nem tenha reparado kkkkk Mas eu criei a minha Ethel na minha cabeça e tudo ficou certo.

O final do livro me deixou tipo *0* MDS, mas eu adorei e Uma vida para sempre super mereceu cinco estrelas. 
Simone, você é nosso João Verde versão mulher Br, não estou brincando rsrsrsrs, por favor não pare de escrever, e eu já estou louca para anunciar aqui no blog seu próximo lançamento e já tenho certeza que será incrível, você extremamente talentosa e com certeza é responsável pela criação de um livro que irá ser admirado por milhões de pessoa, e eu já sou sua fã.

Aviso I: Não leia o livro pensando que a história vai girar em torno da doença da Ethel, se não pode ser que vocês se decepcionem um pouquinho.

Pessoal, acho que é isso, vou deixar algumas quotes que eu adorei. Comprem o livro porque vale super a pena eu recomendo muito mesmo e não é porque sei que a autora estará lendo essa resenha não heim, eu recomendo porque é uma história incrível, criativa, emocionante, que trata de um tema pesado de certa forma, pois falar da morte não é para qualquer um, amei ela ter elaborado uma história de uma garota portadora de uma doença tão rara e esquecida, pois quem não sabe essa doença realmente existe, não sei a Anidrose, mas a impossibilidade de sentir dor existe sim e é uma doença esquecida, já vi uma ou duas reportagem sobre esta e ler um livro na qual a personagem principal é portadora da doença foi incrível, a só então você percebe o quão importante é sentir dor.

"Dizem que para uma pessoa considerar sua vida plena precisa escrever um livro, ter um filho e plantar uma árvore"
"Em um mundo em que muitos lutam para mostrarem-se diferentes da grande maioria, acredite, eu não me sinto nem um pouco lisonjeada por ter sido laureada com tal raríssima condição. Eu sou pouco mais que uma estatística"
"Eu me lembro daquele sorriso imenso às vezes. E a dor sentimental, aquela da qual não sou imune, inunda-me"
"Não sou do tipo que se zanga quando alguém joga a verdade na minha cara."
"Quanta ironia, um ser provido da dor e que é incapaz de senti-la"
"A grande comporta estava prestes a ser corrompido pela força de um evento natural. Eu estava desmoronando"
"[..] Você me arrancou da inércia que eu chamava de existência"

"Já disse alguma vez que te amo?"

Caramba! vou parar por aqui. ( Caramba rsrsrsrs quem ler vai entender e quem leu me entendeu kkkk)



Aviso II: Prepare-se psicologicamente e comece a leitura.

Você tem uma lista de coisas a fazer antes de morrer? Caso não tenha, deveria começar a pensar nisso...   - pág. 181

E aí vocês tem uma lista? beijinhos e até a próxima
Deixe seu comentário

14 comentários:

  1. Awwn que livro lindo ♥ Tenho parceria com essa autora e não vejo a hora de ler também, já estou apaixonada pelo livro depois da sua resenha. Adorei! Achei seu blog lindo, parabéns! ♥
    Beijos ♥

    http://leitoresesuasmanias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi! Tudo bem?
    Eu só passei aqui para lhe informar que te indiquei para uma tag.

    Confira lá: umbaixinhonoslivros.blogspot.com.br/2015/01/tag-13-eu-blogueiro.html
    Espero que goste.

    ResponderExcluir
  3. Que livro interessante! Já tinha ouvido falar dessa doença de pessoas que não sentem dor. Mas com certeza nunca li um livro que tivesse um personagem com essa condição.

    - Olá! Você foi escolhida por ter um blog muito lindo e fofinho
    retribua a gentileza clicando aqui (siga e comente): aguardandoocamaleao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. @Julliana Avelino
    Oi Ju
    Tenho certeza que você vai amar o livro. E Parabéns pela parceria com a Simone ela é muito fofa né?
    Obg pela visita linda.
    Beijos e volte sempre

    ResponderExcluir
  5. @Marcio Silva
    Oi Marcio.
    Já dei uma olhadinha lá. Vou responder a Tag sim.
    Ameiiiiiii suas respostas e muito obrigado por me indicar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. @Flávia
    Oi Flavia.
    O livro é muito bom, em brave eu vou postar o video resenha também.
    Super recomendo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi! Tudo bem?
    Eu só passei aqui para lhe avisar que te indiquei novamente em um post.

    Confere aí no umbaixinhonoslivros.blogspot.com.br/2015/01/selo-fofo.html
    Espero que goste da indicação.

    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Todo mundo tá falando que esse livro é INCRÍVEL. Estou louca de vontade de comprar.
    Depois que li os quotes que você marcou, fiquei com ainda mais vontade, porque eles são LINDOS de morrer!

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  9. @Luara Cardoso
    Super recomendo. Vc não vai se arrepender.
    O livro é TUDO DE BOM

    ResponderExcluir
  10. Oi Taty , tudo bom? te indiquei em uma tag bem divertida. Caso você tenha interesse em responde-la , fique a vontade :).
    Link da tag: http://chamandoumleitor.blogspot.com.br/2015/01/tag-liebster-award.html

    ResponderExcluir
  11. Adorei a sinopse, a capa, a resenha... o livro parece ser muito bom!

    www.pensamentosdetaximetro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. @Beatriz Maia E bia o livro é realmente bom.
    Recomendo MUITOOOO
    :D
    beijos linda

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Olá!
Seja bem vindo ao Coleções Literárias. Sinta-se a vontade para deixar seu comentário.
Siga o blog também, seremos imensamente gratos.
CONTATO: colecoesliterarias@gmail.com
Beijos

© Coleções Literárias ♥ - Todos os direitos reservados - 2016 ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo