05/09/2016

[RESENHA] As Sete Irmãs

Titulo: As Sete Irmãs
Autora: Lucinda Riley
Editora: Novo Conceito
Páginas: 560
Estrelas: 5/5

Agora que Maia e suas irmãs perderam o pai, cada uma delas tem em suas mãos a decisão de buscar ou não a verdade sobre sua família biológica. Maia não resiste ao chamado do passado e é atraída até o Rio de Janeiro, onde, auxiliada pelo escritor Floriano, irá mergulhar em uma história quase centenária. Nos anos 20, uma paixão devastadora entre uma aristocrata brasileira e um escultor francês é sufocada pelas convenções sociais. Uma pequena placa de pedra-sabão eternizou o amor de Izabela e Laurent, selando o destino de Maia.



Como tudo tem um começo a primeira resenha será do Livro 1 - "As Sete Irmãs", que conta a história de Maia, a primeira filha adotiva de Pa Salt. Ele coloca o nome em suas filhas de acordo com o Cinturão de Órion que apresenta um grupo de estrelas chamado Plêiades, segundo a mitologia grega esse aglomerado de estrelas são conhecidas como "Sete Irmãs" e as mais brilhantes receberam o nome das sete filhes de Atlas e Pleione: Alcíone, Asterope, Electra, Maia, Mérope, Taigete e Celena.

Maia tem uma vida relativamente normal no Atlantis assim como suas irmãs, só que Pa Salt acaba falecendo e ela ficará desesperada em sua ausência, daí ela decide sair de sua casa seguindo as coordenadas que seu pai deixou para descobrir de onde ela veio, qual seu passado e como ela foi parar onde está com Pa Salt e suas irmãs adotivas.




Para ela não será nada fácil sair da sua "zona de conforto", porque era uma das filhas mais apegadas ao pai e a única que ainda morava com ele, a perda dele abalará suas estruturas e movida pelo ímpeto seguirá viagem para o Brasil, onde seu passado, presente e provável futuro se encontrarão.

"E acredito que os poderes superiores nos colocam certos obstáculos para nos obrigar a ficar completamente cientes de nossa situação. Cabe a nós tomar a decisão sobre o que fazer".

Com a mesma cronologia dos fatos que a autora com regularidade aplica em seus romances, teremos a divisão em passado e presente, sendo ambos interligados até a conclusão. 

Quando no presente, Maia chegará ao Rio de Janeiro para relaxar e investigar, acabará se tornando amiga de Floriano, um jovem de origem simples que cria sua filha pequena com muito amor. O que se iniciará como uma parceria crescerá para uma amizade e algo mais, só que para esse tal 'algo mais' acontecer ela precisará se libertar de certas amarras do seu passado que a inibem de ter um relacionamento. E, eu não posso dar mais detalhes sobre a descoberta de Maia sobre seus parentes biológicos, mas afirmo que é surpreendente e deixará você leitor de queixo caído assim como eu fiquei.



E, quando no passado, será contada a história de um jovem casal com realidades sociais completamente opostas que se apaixonaram, Bel é filha de um pai muito rico da sociedade da época e Laurent é um artista, todavia esse amor tão avassalador e que perdurou mesmo após anos de distância não se desenrolou tão bem assim para os pombinhos. Mas o que aconteceu no passado deixou marcas permanentes no futuro. 

"- Chérie, não posso ajudá-la com essa decisão. Tudo o que posso dizer é que atravessei meio mundo para estar com você e fiquei sentado aqui, neste apartamento, nos últimos oito meses, vivendo apenas pelos momentos que passávamos juntos. Eu entenderei se você decidir ficar, mas parece que sempre há um motivo para não considerar sua própria felicidade."

Com a mesma destreza de sempre a autora nos faz viajar entre mundos e foi maravilhoso descobrir um pouco mais sobre a história do Brasil, assim como a construção do Cristo Redentor, assunto esse que antes era super leiga.

Confesso que quando soube que o livro teria grande parte de sua história desenvolvida no Brasil fiquei com medo, porque na literatura ou no cinema é fácil perceber o quando os autores/produtores se perdem e mesclam culturas que não condizem com a nossa realidade. No entanto, a Lucinda Riley é um caso a parte, ela estudou a nossa história e trouxe com fidelidade o que era o Brasil na época da construção do Cristo Redentor, em meados de 1927, na maravilhosa cidade do Rio de Janeiro e quando narrando o presente teve a mesma harmonia.

Vale ressaltar que a agora os direitos autorais da série são da Editora Arqueiro e os livros lançados anteriormente estão recebendo uma nova 'carinha', que ao meu ver está bem mais bonita.

O segundo livro da série chamado "A Irmã da Tempestade" já foi lançado e contará a história de Ally, em breve teremos resenha dele por aqui, fiquem de olho.

Espero que vocês tenham gostado dessa resenha, lembrem-se de comentar, curtir e compartilhar muito. ^^

Beijinhos.
Att,
Paty Argachof.

19 comentários:

  1. Olá Paty
    Sou suspeita, pois adoro os livros da Lucinda.
    Gostei muito da sua resenha. Bem completa e cativante.
    Os outros livros são muito bons tb, indico :)
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Não sou fã de histórias de amor, prefiro histórias com mais suspense ou aventura, mas esse livro me chamou a atenção pela parte histórica, fiquei bem empolgada quando você falou que a autora tentou retratar a Rio de Janeiro dos anos 1920 com a maior precisão possível, e isso realmente me fez querer conferir o livro

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Fiquei super feliz em saber que a autora conseguiu mostrar de forma interessante o Brasil da época.
    Ainda não conheço a escrita da autora, mas já ouvi críticas bem positivas e espero em breve poder me aventurar.
    Quero muito ler essa série e realmente as capas agora estão ficando bem bonitas. A Arqueiro sempre arrasa em suas edições.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Eu nunca li nada da autora e tenho esse livro aqui em casa, rs.
    Confesso que após ler sua resenha, fiquei com vontade de conferir o livro. Gostei de saber que a autora soube retratar o Rio de Janeiro de 1927.
    Espero curtir o livro tanto quanto você!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oiii Paty, como vai?
    Infelizmente dessa vez a obra em si não despertou meu interesse, mas preciso dizer que sua resenha está incrível e além do mais que edição mais linda é de ficar babando.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Oi, pati, muito bacana a sua resenha. O livro realmente é maravilhoso e eu o li assim que foi lançado. Confesso que assim como você eu também fiquei com um pé atrás enorme quando falaram que se trataria de história do brasil, mas a autora pesquisou melhor do que muitos autores que vivem aqui e eu também fiquei apaixonada pela história de isabela e laurent e assim como você eu aprendi muito sobre o cristo redentor. Já li o segundo livro mas acho que o primeiro, por trazer a história no brasil continua sendo meu favorito.

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Gostei muito da sinopse e de sua resenha! Não conhecia a obra, mas mesmo assim não fiquei empolgado. (Eu e meus comentários clichês falando que não é meu estilo kkkkkkkk) Eu leria mesmo só para conhecer a escrita, pode ser que eu acabe gostando =D
    Abraço!

    ResponderExcluir
  8. Oiii!!

    Essa autora e um amor, encontrei na Bienal e ela foi linda. Adorei saber que ela pesquisou e que é aqui no Brasil. Estamos tão acostumados com obras por lá né? Ótimo nos sentirmos em casa.
    A resenha está linda!

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Não gosto muito de enredos "de época". Mas sua resenha me deixou extremamente curiosa, sem contar a sinopse, que também é bem interessante.
    O enredo no rio é um "Q+", né?
    Ótima resenha 😘

    ResponderExcluir
  10. Eu conhecia o livro mas só com a edição da Arqueiro, também achei a capa bem melhor... Essa mas parece uma cena de The Sims kkkk

    Eu quero muito ler os livros dessa série e espero gostar de cada um deles.

    ResponderExcluir
  11. Olá,

    Essa foi uma das histórias mais lindas que li da autora, gostei tanto da ambientação da obra se passar no Brasil, que fiquei uns bons dias encantada com esse livro. Aliás o nome Maia, foi dado a minha gatinha em homenagem ao livro, risos, pois realmente gostei da protagonista e a forma como ela descobre as origens do seu passado. Espero em breve iniciar a leitura dos demais volumes da série.

    Abraços
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  12. Olá!

    Eu amo a Lucinda! Ainda não li nada dela, mas as capas da Arqueiro estão de encher os olhos! Eu a conheci na Bienal e ela é tanto amor, que dá vontade de levar pra casa!

    ResponderExcluir
  13. Olá, eu não sou muito fã nem da lucinda e nem de romance de época, então eu passaria essa série, ainda mais por ter tantos livros, mas adorei o fato de contar o brasil nessa época, edoro história, e essa seria uma que adoraria conferir

    ResponderExcluir
  14. Oi.

    Já tinha ouvido falar dessa autora, mas não li jada dela e nem sabia quais eram seus livros. Adorei esse é e certeza que vou ler e conhecer o trabalho da Lucinda.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Hello! Tudo bem?
    Com a Lucinda Riley aqui no Brasil fiquei com mta vontade de ler os livros dela, vi mtas pessoas elogiando e esse As Sete Irmãs foi um que me chamou bem a atenção.
    Adorei saber mais da historia e nao sabia da parte no Brasil, mto legal qdo os autores de fora lembram da gente ne?
    A capa da Arqueiro eu gostei mais, devo comprar ele mesmo.
    Beijos

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  16. Nossa, que legal! Eu não fazia ideia de que tinha escrito sobre o Brasil, sobre o Rio de Janeiro. Tenho visto tanto sobre esses livros dela, sobre o carinho do pessoal todo que conseguiu encontrar com ela na Bienal e nos outros eventos, mas eu ainda não a conheço. Quero muito ler essa série que é bem do jeito que eu gosto, mas nossa, ando tão enrolada nas leituras que nem sei quando vou conseguir.
    Amei sua resenha!
    Bjo
    www.viciadosemleitura.blog.br

    ResponderExcluir
  17. Oie
    Tudo numa boa?
    Então eu não conheço a autora e nem conhecia a obra amei sua resenha ficou bem bacana mais não é um livro que eu faria leitura no momento ainda mais se tratando de uma serie mesmo que as historias das irmãs não sejam interligadas eu não me contentaria em conhecer uma irmã só.
    Bju
    Mary Reis

    ResponderExcluir
  18. Oi Paty, sua linda, tudo bem?
    Eu adorei A Garota italiana, meu primeiro contato com a autora. Por isso não resisti, e esse livro será uma das minhas próximas leituras. Eu vi o vídeo da autora falando da nossa história, da pesquisa que ela fez e fiquei toda arrepiada, pois também não conhecia. Você me deixou bastante curiosa para descobrir quem é a família biológica dela. Estou louca para ler!!! Sua resenha ficou ótima!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Oie!!
    Não tive a chance ainda de ler nenhum livro da Lucinda, esse livro, nessa edição, eu estava na bienal quando foi lançado e é muito legal uma história se passar aqui.
    Confesso para você que a nova edição pela arqueiro está 1000 vezes mais bonita. E espero conseguir ler esse livro em breve.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir

Olá!
Seja bem vindo ao Coleções Literárias. Sinta-se a vontade para deixar seu comentário.
Siga o blog também, seremos imensamente gratos.
CONTATO: colecoesliterarias@gmail.com
Beijos

© Coleções Literárias ♥ - Todos os direitos reservados - 2016 ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo