24/05/2016

[ RESENHA ] O Que Há de Estranho em Mim

Título: O Que Há de Estranho em Mim
Autor: Gayle Forman
Editora: Arqueiro
Páginas: 214
Estrelas: 3/5
Ao internar a filha numa clínica, o pai de Brit acredita que está ajudando a menina, mas a verdade é que o lugar só lhe faz mal. Aos 16 anos, ela se vê diante de um duvidoso método de terapia, que inclui xingar as outras jovens e dedurar as infrações alheias para ganhar a liberdade. Sem saber em quem confiar e determinada a não cooperar com os conselheiros, Brit se isola. Mas não fica sozinha por muito tempo. Logo outras garotas se unem a ela na resistência àquele modo de vida hostil. V, Bebe, Martha e Cassie se tornam seu oásis em meio ao deserto de opressão.Juntas, as cinco amigas vão em busca de uma forma de desafiar o sistema, mostrar ao mundo que não têm nada de desajustadas e dar fim ao suplício de viver numa instituição que as enlouquece.



Olá Leitores!

O Que Há de Estranho em Mim é o primeiro romance de Gayle Forman, que fez sucesso com os livros Se Eu Ficar e Eu Estive Aqui, e este é, também, o primeiro livro que leio da autora e embora tenha lido fielmente e com a mesma atenção do início ao fim, esperava mais tanto do prosseguimento da narrativa quanto do título forte que me chamou a atenção. No entanto, não foi totalmente desagradável e antes que vocês peçam para eu decidir se gostei ou não, vou contar um pouco da história e minhas impressões.


Brit Hemphil é a jovem guitarrista da banda Clod, tem cabelos coloridos, uma quedinha pelo colega de banda Jed e não se dá bem com a madrasta, intitulada por ela como Monstra, e seu conservadorismo exagerado.
Narrado em primeira pessoa acompanhamos os relatos de Brit que levava uma vida maravilhosa com os pais, até descobrirem que sua mãe era esquizofrênica e ela sumir do mapa em um dia qualquer. Após um período de procura, o pai de Brit se dá uma nova chance e casa-se novamente, mas ele não é mais o mesmo e isso causa um distanciamento entre eles. Até o momento tudo bem, são momentos pelos quais estamos sujeitos a passar.

“Então, papai fechou o CoffeeNation e foi trabalhar numa empresa de software, onde conheceu a Monstra, o tipo de mulher que tem um treco se a bolsa não está combinando perfeitamente com o sapato. Eles se casaram um ano depois e minha maravilhosa família foi para o espaço. Só então me dei conta de que devemos valorizar quem se preocupa com a gente. Isso é algo muito especial, que de uma hora para outra pode sumir”.

No entanto, perdido e sem a vivacidade de antes, rendido aos pedidos da atual esposa e cansado das brigas ou da simples falta de convivência entre a mulher e filha, o pai de Brit interna a garota de 16 anos em um clínica comportamental para descobrir e corrigir a origem de rebeldia dela. 

Essa premissa atiçou minha curiosidade, pois como é possível notar, Brit é como qualquer outra garota com estilo alternativo e que gosta de participar de shows, ela não faz parte de um grupo realmente problemático e que precisa de auxílio e conselhos além daqueles cabíveis aos pais.





"Os monstros estão por todo lado,
Só que a gente olha e não vê.
Não tem garras, não tem dentes afiados,
Parecem comigo e com você."
A noção de que nenhuma das garotas internadas na Red Rock precisava daquele tipo de tratamento veio de maneira rápida, o método deles era agressivo e desrespeitador, a maioria dos funcionários apresentava um prazer maligno em confrontar as garotas até que elas caíssem em um choro humilhante, obviamente eram os administradores do local que precisavam de ajuda. 

Tive muita raiva do pai da Brit por levá-la a um lugar que ele e a Monstra só conheceram por folheto, afinal ela passou meses lá. Eu não deixaria minha filha em qualquer lugar, sem as referências dos profissionais e sem conhecimento e acompanhamento das atividades. Mas, enfim.
"Corri de volta para o meu quarto e me joguei na cama, chorando desesperadamente pela minha mãe e por todas as minhas feridas. Não desci para jantar e nenhum conselheiro apareceu para me obrigar. Afinal de contas, eu estava chorando. E eles adoravam quando a gente chorava".

O desenvolvimento até o meio da história é muito bom, é importante saber que nem todos os lugares são assim, mas se eles existem, temos que redobrar nossa atenção ao querer ajudar alguém. Durante um tempo a protagonista se isola, e realmente começa a ter os primeiros sinais de depressão, pois com informações/fofoca ganham benefícios e ela não quer se expor para as pessoas erradas. 

O medo de como a Red Rock a influencia, o contato superficial com o pai e a crescente incerteza, graças as consultas obrigatórias com a Dra. Clayton, de que talvez ela fosse idêntica com a mãe, não apenas fisicamente, estavam desgastando-a.

No entanto, um grupo de garotas se aproximam e se unem a ela dando um ar mais leve para a história, todas desejando, à sua maneira, sobreviver aquele lugar e escolhendo que seria melhor se estivessem juntas.

"A vida real era maravilhosa e, por mais distante que parecesse naquele momento, ainda existia. Eu ainda existia".


Apesar de temas como: esquizofrenia, bullyng e violência verbal, a autora consegue tratar tudo de uma forma mais leve que o esperado, o que me fez esperar mais da história. Esperar, no mínimo, 50 páginas a mais. Pois, ao longo da narração percebemos o quanto a Brit tem a descobrir sobre o Red Rock, o Xerife e a Dra. Clayton; também sobre sua mãe e principalmente seu dia-a-dia quando voltar para casa e é nesse momento que Gayle me decepciona e corre com os fatos, optando pelo mais simples, como se outros fatores não fossem importantes. Mas, Gayle, era importante sim e isso influenciou muito minha visão geral de uma história com tanto potencial. 


"- Já é um passo na direção certa.- É só isso que a gente pode fazer, Brit. Um passo de cada vez.Quando a gente menos espera, chegou a algum lugar."
Tenho certeza que há muitos fãs da Gayle Forman aqui, então quero muito saber a opinião de vocês e aqui fica minha pergunta: O que há de estranho em vocês, leitores?

46 comentários:

  1. Oi, Thaise! A premissa desse livro sempre me chamou a atenção, mas ainda não li. Também fico decepcionada quando o autor passa meio batido por tópicos que a gente considera importantes para o desfecho da história. Mesmo assim ainda quero ler.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carla, espero que leia mesmo e que tenha uma boa experiência <3
      Beijos

      Excluir
  2. Oi, como vai? Eu não sou muito fã da autora, sempre acho as histórias dela rasas demais, não tão bem elaboradas. Eu já quis ler esse livor, mas infelizmente eu tenho uma certa rivalidade com personagens que negligenciam seus filhos. Chorei horrores com Eleanor e Park por causa disso e por isso optei por não ler o livro.
    A resenha está ótima. Um beijo!
    O Reino Encantado de uma Leitora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah Eleanor e Park é de partir o coração mesmo. Tem temas que nos afetam demais, entendo você.
      Obrigada pela visita *-*
      Beijo!

      Excluir
  3. Oii Thaise, como vai?
    Realmente eu só li um livro da autora, Se eu Ficar, diante disso acredito que leria com toda certeza essa obra que tu resenhou, tenho uma certa curiosidade em saber e interpretar o que a trama realmente desenvolve, mas ao meu entendimento, gostei muito das suas fotos e resenha <3
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Morgana, nunca me interessei por Se Eu Ficar e só li esse livro, pois o título me conquistou e no fim achei que a escritora é boa. Espero que leia em breve :)

      Beijo!

      Excluir
  4. Oii Taise,
    Adorei a sua resenha. Confesso que os livros da Gayle Forman nunca me chamaram atenção, tanto é que nunca li nenhum. Mas pela a sua resenha me chamou a atenção. Parabéns!! ;)
    Academia Literária DF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabi,
      Que bom que pude passar esse interesse para você,espero que leia pelo menos um dos títulos da autora para ver se ela conquista seu carinho <3

      Excluir
  5. Esse livro me chamou atenção porque autora chama atenção para lugares assim nos EUA, o que é bem sério. Saber que existem lugares semelhantes me assusta.
    O pai da Brit também me deu raiva, parecia que ele não queria educar a própria filha.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Helana,
      As perdas são tão difíceis que, às vezes, não conseguimos lidar com mais nada e achamos que outras pessoas podem resolver um problema tão particular. Por essa premissa, dei parabéns ao livro da Gayle.
      Beijo!

      Excluir
  6. Oi, tudo bem ? Dessa autora eu só li Se eu ficar e Para onde ela foi. Confesso que gostei mais do segundo e que mesmo assim não virei fã da escrita dela. Gostei da sua resenha e acho que devo ler o livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,
      Para onde ela foi, tenho um pouco de curiosidade de ler, mas acho que essa autora não será minha escritora Amorzinho tão cedo hahaha

      Excluir
  7. Oi flor!
    Não conhecia o livro, mas, me parece muito interessante, além disso, fiquei curiosa para ver se a protagonista e as outras garotas conseguem fugir da clínica, e a capa apesar de simples, está bem legal. Gostei da resenha, parabéns! Obrigada pela dica, já o acrescentei a minha lista de leitura.
    http://www.cristinadeutsch.org/
    Saudações literárias.
    Beijos no ♥
    CD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cristina,
      Fico feliz que sua curiosidade tenha sido despertada. Espero que aprecie a leitura.
      Beijos!

      Excluir
  8. Oi Tha!
    Esse livro não fluiu comigo cre? Eu também fiquei com uma curiosidade atiçada quando saiu a sinopse e corri pra tentar resenhar ele, mas aconteceu o inverso comigo. O que foi relevante e suportavel para você, pra mim foi sem sentido. A ideia principal é muito boa, mas a história ficou parecendo forçada em diversos momentos. Tipo, como você mesmo falou, o pai dela levar ela pra um canto sem nem conhecer e do nada aceitar aquilo como normal. MDS, quem amor é esse Jesus? E tem algumas personagens que nem parecem que estão realmente precisando daquilo. Olhe, não engoli e abandonei.

    Abraços
    David
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi David,
      Realmente os pais usam aquele lugar para escapar de ter que lidar com os problemas dos filhos, os motivos que as mandaram para lá são bem questionáveis mesmo.
      É truste abandonar um livro, não? Já fiz algumas vezes, mas estou satisfeita por terminar O que há de Estranho...

      Obrigada pela visita. Beijos!

      Excluir
  9. Oi Thaise,
    Tudo bem querida! Adorei sua resenha, porém tenho que confessar que os livros do Gayle Forman não me chamou a atenção, embora goste de temas polêmicos tais como esquizofrenia e bullying. Você me instigou a leitura num furuto próximo.
    Um abraço
    Daniela Correa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Daniela,
      Espero que não esqueça dele para tirar suas próprias conclusões, mas há livros que tratam os temas de modo mais adequado e interessante.
      Até mais.
      Abraço!

      Excluir
    2. Oi Daniela,
      Espero que não esqueça dele para tirar suas próprias conclusões, mas há livros que tratam os temas de modo mais adequado e interessante.
      Até mais.
      Abraço!

      Excluir
  10. nunca li nada dela e tô com esse livro pra ler, espero que a leitura flua melhor pra mim do que foi contigo... uma pena que vc não curtiu tanto assim =T
    bjs...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria,
      Espero que tenha lido e aprovado <3
      Beijo!

      Excluir
    2. Oi Maria,
      Espero que tenha lido e aprovado <3
      Beijo!

      Excluir
  11. Oie!
    Eu gostei desse livro, mas não foi o melhor que li da autora. A história é interessante, tem um assunto bem delicado, mas os outros que li da autora eu achei bem melhor. Mas é uma boa leitura.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  12. Eu sou uma fã alucinada da Gayle e confesso hahaha
    Ainda nao tive a oportunidade de ler esse livro, mas espero fazê-lo o mais rápido possível.
    É complicado quando um autor estoura com um dos seus ultimos sucessos, porque quando lançam seu primeiro livro, como no caso esse, parece que houve uma queda no rendimento do mesmo... sem como é isso. Mas pra mim a Gayle é a Gayle e não tem discussão haha

    beijos

    ResponderExcluir
  13. Olá flor, acho bacana obras que abordem esse tipo de temática mais sérias como esquizofrenia e bullyng. Não li nada da autora, mas sempre vejo ótimas críticas e quero muito conferir seu trabalho.

    Abraços

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Eu li o Se Eu Ficar dela e gostei, mas não foi aquela coisa. O que é a sinopse desse livro? Parece ser muito bom mesmo! Mas assim, conhecendo a escrita da autora, acho que ela vá se perder em algum momento e deixar a história um pouco na mesma. Eu leria sim, parece ser bom =D
    Abraço!

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bom?
    Para mim esse foi um livro bem mediano. Como você, me intriguei pela premissa e acabou que o livro foi só ok. Várias vezes não simpatizei com a personagem principal e com o desenvolvimento da história.

    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  16. Oie Thayse,

    eu gosto muito da forma como a autora escreve, como ela consegue abordar alguns assuntos que são complicados, e precisa de sutileza para ser trabalhado!
    Uma amiga leu esse livro e gostou muito, e recomendou... ela me contou mais ou menos a historia e eu add na lista! Está na fila...

    =)

    ResponderExcluir
  17. Ooi! Esperava um outro enredo para o livro, mas mesmo assim gostei. Achei interessante abordar sobre as lutas interiores, etc.
    Achei a capa bem bonita!
    Parabéns pela resenha e boas leituras.
    Beeijos

    ResponderExcluir
  18. Tenho muita vontade de ler esse livro, ainda não consegui achar um livro dela que eu goste, Se eu ficar, Para onde ela foi e Eu estive aqui não me surpreenderam... Não vou com muita sede ao pote, mas vou ler esse e depois te conto o que achei! Hahah
    Adorei as fotos e os trechos que separou!
    Beijo

    ResponderExcluir
  19. Oi Thaise, tudo bem?
    Eu não sou a pessoa ideal para falar sobre o livro porque não o li, porém acho a temática interessante e tenho muita vontade de lê-lo. O primeiro livro da Gayle não me agradou muito mas acho que gostarei de O Que Há de Estranho em mim.

    ResponderExcluir
  20. Apesar de conhecer os livros da autora, nunca li nada, nem sabia até então qual o assunto de nenhum deles. Achei o plot desse bem interessante, mas não sei se o leria pelo menos nesse momento. Esses assuntos mais fortes mexem um pouco comigo, mesmo você dizendo que eles são tratados de maneira leve. Mas eu acho que pode ser uma boa indicação pros meus alunos, por tratar de assuntos relacionados a muitos problemas que eles passam.

    ;D
    Nelmaliana Oliveira

    ResponderExcluir
  21. Oi, Thaíse!
    Super compreendi seu ponto com relação aos acontecimentos finais, mas li o livro e tive a sensação de dever cumprido por parte da Gayle pelas denúncias que ela faz ao longo da obra, sabe?
    Questão de percepções diferentes, eu sequer tinha percebido que ela poderia ter desenvolvido mais a finalização da história, tamanha foi a minha satisfação com o desenrolar da trama em si.

    ResponderExcluir
  22. Oi Thaíse!
    Compreendo suas considerações finais, mas tenho que discordar em algumas coisas. Para mim o livro foi simplesmente incrível, eu particularmente não tiraria ou acrescentaria nada. Acho que a Gayle tentou focar mais na amizade das meninas e nos dramas delas com suas famílias, por isso acabou não prolongando mais a história.
    Além de tudo, eu senti que mesmo tratando de temas pesados, ela desde o começo tentou tratar desses assuntos com sutileza, sem expor o "pesado" de maneira brusca, por isso acho que se o final tivesse sido da maneira que você esperava, teria quebrado um pouco tudo que o livro veio passando em seu decorrer.

    beijos
    http://ummundochamadolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Eu adoro a Gayle, não li ainda esse livro pra poder falar, mas apenas um dia é muito bom, assim como a continuação. E o Se eu ficar e para onde ela foi também são bem agradavéis. Eu gosto do jeito sutil que ela trata dores que escondemos sob a pele, é meio como fingir que está tudo bem, mas não está. Eu gosto disso, espero que eu goste da leitura, mesmo que sua opinião tenha sido deferente.

    ResponderExcluir
  24. A Temática é muito boa...eu já tava com muita vontade de ler esse livro. Já conheço a narrativa da Gayle e espero que esse livro não decepcione. Ótima resenha :)
    Abraço;

    http://estantelivrainos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  25. Oie
    muito legal sua resenha e eu to louca para ler o livro pois além de curtir a autora, gostei muito dos temas abordados no livro, então espero ler e gostar muito pois as expectativas são bem altas

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Thaise, olha, te falar que eu fiquei com uma péssima primeira impressão da Gayle com Seu Ficar, eu simplesmente não consegui gostar do livro. A história é bem trágica e não senti a personagem sofrendo o quanto EU sofreria se tivesse no lugar dela. Mas aí me dei a chance de conhecer melhor a autora e acabei lendo os outros livros dela e virei fã. Não vou dizer que ela é a melhor autora do mundo, mas ela soube atingir seu público (adolescentes) e soube narrar bem cada história. E você consegue ver o crescimento dela ao longo dos livros. O que há de estranho em mim foi um dos livros que me fizeram mudar ade ideia em relação a Gayle, mas o melhor acho que é Eu estive aqui, tem uma pegada bem dramática e um mistério que me deixou bem intrigada. Se quiser dar uma segunda chance, leia este :)

    Um Metro e Meio de Livros

    ResponderExcluir
  27. Oii, tudo bem?

    O livro tem uma premissa bem interessante, mas fico meio decepcionada quando o autor não explora como deve pontos que considero importantes, é realmente uma pena que ela tenha feito isso =/

    Beijos

    ResponderExcluir
  28. Oie, tudo numa nice?!
    Eu li um livro da Gayle, mas não foi Se eu Ficar. Queria conferir essa obra por curiosidade mesmo, prefiro conferir os lançamentos dos autores do que as obras antigas já publicadas. Mas quando vi a sinopse não me interessei muito e depois vi a nota que as pessoas estavam dando no skoob então me vi bastante desanimada. Ainda não senti vontade de ler a obra e sobretudo agora que mencionou sobre esse final. Quando não é explorada essa parte eu sempre fico frustrada. Gosto de saber direitinho das coisas.
    Beijin...

    ResponderExcluir
  29. Oie, tudo bem? O enredo do livro parece promissor, mas eu não tive um histórico muito bom com a Gayle até agora e sim, ela tem essa mania de correr com os livros nos finais. Odeio isso e prefiro não ler.

    ResponderExcluir
  30. Oi Thaise, sua linda tudo bem?
    Isso é muito grave, esses estabelecimentos deveriam ser fechados. E fico indignada e até assustada com esses pais. Como eles são capazes de fazer isso com seus filhos? Ele coloca uma estranha em casa, não se importa em saber como sua filha se relaciona com ela e já fica do lado dessa mulher querendo se livrar da própria filha? Porque foi essa a impressão que ele me deu, ele quis se livrar dela, é muito mais trabalhoso dar amor, conversar, ouvir o lado da filha e tentar entender o que estava acontecendo para resolver. Achei super importante de um lado, a autora denunciar essa questão, mas do outro, que pena que ela no final não deu a importância que merecia. Mas parece um bom livro. Sua resenha ficou ótima.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  31. Dos livros que eu li dessa autora, eu não gostei, mas esse me chamou atenção pelo enredo. Acho que só não me organizei pra lê-lo por receio de como o enredo vai se desenvolver.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  32. Nunca li nada da autora e a premissa chamou minha atenção, mas o que você disse sobre o final me deu uma desanimada. Já li outras resenhas dele e continuo com a impressão que não aborda os assuntos esquizofrenia, bullyng e outros de forma muito profunda. Será que estou errada?

    Jéssica Rodrigues
    Coração Leitor

    ResponderExcluir
  33. Oiii
    Nunca li nada da autora, porque as premissas não me chamavam a atenção. Mas posso dizer que essa me vez mudar de ideia. Gostei muito do fato de ter como assunto a esquizofrenia.
    Bjus

    ResponderExcluir
  34. Olá Thaise!!!
    Da Gayle Forman eu só conheço a duologia do "Se Eu Ficar", porque foi um livro que me cativou. Porém não tive curiosidade de conhecer os outros livros da autora.
    Esse tem uma premissa interessante, mas não sei se leria.
    Sua resenha ficou muito boa, acho que explanou bem do que o livro se trata e uma pena a autora ter corrido na história e não ter aproveitado mais os assuntos tratados.

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir

Olá!
Seja bem vindo ao Coleções Literárias. Sinta-se a vontade para deixar seu comentário.
Siga o blog também, seremos imensamente gratos.
CONTATO: colecoesliterarias@gmail.com
Beijos

© Coleções Literárias ♥ - Todos os direitos reservados - 2016 ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo