14/12/2017

[ RESENHA ] A Morte de César

Título: A Morte de César
Autor: Barry Strauss
Páginas: 336
Editora: Seoman
Estrelas: 5/5
Livro: Cedido pela Editora

Graças a Shakespeare, a morte de Júlio César se tornou um dos assassinatos mais famosos da história. Mas o que realmente aconteceu é ainda mais arrebatador que a ficção. Nesta investigação histórica, Strauss, mestre em História Clássica, nos revela detalhes surpreendentes, mostrando ao leitor que o assassinato foi uma operação paramilitar cuidadosamente planejada, uma conspiração de generais organizada com precisão. Brutus e Cassius foram, realmente, figuras chave; mas eles contaram com a colaboração de um terceiro homem, Decimus, um dos mais importantes generais e amigo íntimo de César. Foi Decimus - e não Brutus - o verdadeiro traidor. Como consequência desses eventos, a amada República Romana veio a se transformar no Império Romano. Com aguda percepção histórica e o ritmo de um filme de ação, "A Morte de César" proporciona uma nova e original perspectiva sobre o assassinato que mudou o curso da História do mais poderoso império do Mundo Antigo.


Essa não é apenas uma narrativa sobre o assassinato de um dos homens mais importantes da História, mas também é um relato realizado pelo autor Barry Strauss - um especialista em história militar da Antiguidade- que analisara de forma detalhada através de fontes de evidências que antecederam e que podem ter dado início à conspiração e ao ato do assassinato contra o Ditador Júlio César.

“Com olhos escuros, eloquentemente persuasivo, sensual e violento, César possuía uma suprema habilidade prática. Ele a empregou para mudar o mundo, arrebatado por seu amor a Roma e seu desejo de dominação.”


A narrativa inicia-se em Agosto de 45 a.C onde uma procissão entrava na cidade de Mediolanum, a Moderna Milão. Duas carruagens lideravam o cortejo, na primeira delas estava o Ditador Gaius Julius Caesar, resplandecente com sua vitória sobre as forças insurgentes na Hispânia (aproximadamente a atual Espanha). Depois a carruagem de Marcus Antonius – mais conhecido hoje como Marco Antônio. Ele era o candidato de César para o cargo de um dos dois cônsules de Roma no ano seguinte, o mais alto posto entre as autoridades públicas depois do Ditador. Atrás dele vinha o protegido de César, Decimus, recém-saído de um mandato como Governador de Gália (a atual França). Por último, mas não menos importante, estava Gaius Otavius, ou Otávio. Aos dezessete anos, sendo sobrinho- neto de César, ele já era um homem de tamanha importância que não se poderia ignorar e muito menos subestimar.

Os Quatro haviam se encontrado no sul da Gália e viajado juntos rumo a Roma. Pela segunda vez em pouco mais de um ano, César, planejava entrar na cidade em triunfo, proclamando uma vitória militar e o fim da Guerra Civil iniciada quatro anos antes, no princípio do ano 49 a.C. E para o Ditador, o verdadeiro poder em Roma não estava nas mãos do Senado ou do povo, mas, sim, do exército.
César era um político e um general brilhante, seus exércitos matavam e escravizaram milhões de pessoas, dentre as quais mulheres e crianças. Apesar disso, depois do banho de sangue, ele perdoava seus inimigos, tanto no âmbito doméstico como em terras estrangeiras. Esses rompantes de boa vontade despertavam muitas suspeitas, seria ele um conquistador ou um conciliador?

“César era tanto um gênio quanto um demônio, demonstrando sua excelência na política, na guerra e na escrita: uma tríplice coroa, jamais usada tão bem por alguém.”

Dentre todos os romanos em sua comitiva, o Ditador escolhera àqueles três homens, Antônio, Decimus e Otávio- para ocuparem lugares de honra ao seu lado, em sua reentrada à Itália. A partir desse momento, o autor começa a fazer uma análise de como cada um desses homens vieram a se tornar tão próximos de César nos anos anteriores a 45 a.C. 


Primeiro foi Decimus, a sua primeira impressão fora profunda. Venceu a batalha do Atlântico, conquistou a Bretanha para Roma, abrindo-lhe as portas para a invasão da Inglaterra. Através dessas vitórias, César lhe concedera títulos. Decimus se tornou rico e era considerado um herói. Contudo, a sua ambição era muito maior.

Marco Antônio possuía muita coragem em batalha, nascido em berço de ouro e mesmo que fizesse algumas loucuras na juventude, como beber e dormir com muitas mulheres, era nas guerras que ele se destacava.

Otávio era o mais novo dos dois, porém já projetava uma aura de autoridade. Devido a uma enfermidade que o obrigara a permanecer acamado, Otávio jamais fora o mais saudável dos homens. Mas a sua inteligência compensava todo o resto. César tinha uma grande admiração pelo jovem e que não apenas o considerava como um filho, como também queria transformá-lo em seu herdeiro.     

Os quatro homens não eram unidos, três deles desejavam o favorecimento de César, mas apenas um poderia ser seu favorito. O que faria Decimus e Marco Antônio irem contra César? Cícero -o maior orador e teórico político da época- alega que Antônio estava por trás da tentativa de assassinato contra César em 46 a.C. Segundo ele, Antônio teria ouvido o que planejavam, não demonstrara interesse no ato, nem tão pouco alertara César quanto ao perigo.

Demonstravam união, porém todos estavam envolvidos em uma renhida disputa pelo poder. O ditador não poderia se dar o luxo de ignorar, mas assim o fez. César tinha que lidar com uma dúzia de homens romanos proeminentes que haviam viajado apressadamente ao norte para saudá-lo. Dentre eles, o mais importante de todos, Marcus Junius Brutus. 

 
“Agora, porém, Cassius precisava de Brutus. A conversa começou com uma interlocução amistosa e um acordo de reconciliação. Então, sobreveio uma longa e série discussão. Ao final desta, Cassius envolveu Brutus em um abraço. E, com isso, a vida de Júlio César foi posta em risco.”
 
Quais foram os verdadeiros responsáveis pela morte de Júlio César? Seria para adquirir poder ou eram ressentimentos pessoais contra o Ditador? Só lendo para descobrir!

Batalhas, luta pelo poder, personagens poderosos e ambiciosos, mulheres belas e incrivelmente influentes e um Ditador sedutor, manipulador e astuto tanto em decisões políticas quanto na guerra. Tudo isso e muito mais, completam essa narrativa envolvente e maravilhosa. É praticamente impossível o leitor não se sentir conectado com os relatos e os personagens históricos. Barry Strauss não apenas apresenta os personagens que participaram da conspiração e seus motivos, mas também relata toda a trajetória de Júlio César desde o início até a sua morte. Foi uma experiência incrível e muito interessante conhecer cada parte dessa história. 

A edição está belíssima, o livro também possui a cronologia de cada personagem, mapa de Roma, imagens dos personagens, locais de batalha e as notas nas últimas páginas, informando a origem das fontes. Essa obra não é apenas para aqueles leitores apaixonados por história, mas também para aqueles que têm curiosidade de saber mais sobre essa história incrível. E aí, ficaram curiosos? Deixem aí nos comentários!   
 

8 comentários:

  1. nossa, quero esse livro
    amo livros históricos ainda mais sobre personagens que ficaram na história
    amei sua resenha

    ResponderExcluir
  2. Adoro livros com essa temática histórica e esse parece ser uma excelente leitura. Achei a capa muito linda e o fato dele ser ilustrado me chamou ainda mais atenção. Adorei o post :)

    ResponderExcluir
  3. Que livro incrível.
    E não conhecia O.O
    Livros históricos são maravilhosos e já quero <3

    ResponderExcluir
  4. Gosto de livros que nos trazem uma nova visão sobre fatos históricos, mas ao mesmo tempo tenho um certo medo, poisa podem ser tão técnico que eu leiga, não entendo nada.
    As perguntas deixadas por você são instigantes para curiosas como eu, mas como disse: Só lendo para descobrir!
    Dica anotada, espero poder ler, e concordo com a edição, está belíssima e as imagens só veio para agregar.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Que livro! É muito bom quando lemos sobre os fatos como realmente aconteceram, eu particularmente adoro me informar sobre fatos históricos, me fascinam. E essa edição está maravilhosa, a capa, as imagens no livro... Tudo! Adorei sua resenha!

    Um beijo, Pri 😘

    Por Amor aos Livros

    ResponderExcluir
  6. Poxa que bacana essa resenha menina, eu adoraria ler e conhecer melhor Cesar e toda a sua história, parece ser bem envolvente por ter ocorrido anos atrás, ótima resenha!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  7. Oi! Nunca tinha me interessado pela história de César até fazer a matéria de literatura inglesa na faculdade, pois meu professor (o nome dele é Caio Júlio César inclusive rsrs) relatou como foi esse fato histórico e me encantei.
    Só não tive a oportunidade de me aprofundar ainda, e sua dica caiu como uma luva.
    Senti pela resenha que ele traz detalhes importantes.
    Obrigada pela indicação!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Olá,

    Desconhecia essa obra, achei a premissa interessante, principalmente porque sei muito pouco sobre Cesar, seria legal conhecer essa história que me parece ser tão interessante. A matéria história nunca foi a minha favorita, contudo acho maravilhoso livros com essa pegada mais histórica haha.

    Beijos,
    oculoselivrosblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Olá!
Seja bem vindo ao Coleções Literárias. Sinta-se a vontade para deixar seu comentário.
Siga o blog também, seremos imensamente gratos.
CONTATO: colecoesliterarias@gmail.com
Beijos

© Coleções Literárias ♥ - Todos os direitos reservados - 2016 ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo