17/09/2016

[ RESENHA ] Alma Gêmea

Título: Alma Gêmea
Autora: Ana Ferrarezzi
Páginas: 295
Editora: Autografia
Estrelas: 3/5
Livro: Cortesia da autora ♥

Lá, no meio da Floresta Amazônica, há uma tribo legendária – A Tribo Curupira. Joaquim acaba se deparando com um membro dessa tribo, em uma de suas expedições. Ele machuca seu pé, acaba sendo acolhido e se depara com o a planta sagrada capaz de transportar algo pelo tempo e espaço. Após muito esforço, convence o pajé a lhe dar uma amostra dessa planta. O pajé o alerta sobre o risco. Joaquim, aceita a responsabilidade. Com o tempo, Joaquim descobre o verdadeiro sentido das palavras desse sábio Pajé. Letícia encontra uma erva com cheiro de canela no seu Consultório de Psicologia. Decide tomá-la. Cai no sono. Então acorda em um corpo diferente em 1906. Ela não sabe como veio parar nesse corpo, nem tampouco entende como veio parar na França, testemunhando o vôo de consagração de Santos Dumont. Mas as circunstâncias a leva até Joaquim; o homem de seus sonhos. É uma bela história sobre o poder do encontro entre duas almas gêmeas, que vivem em épocas diferentes, que rompem a barreira do improvável para perceber que o sentimento que os une jamais pode ser quebrado. Venha explorar os segredos e mistérios do Alma Gêmea.

Posso começar essa resenha dizendo que temos aqui um livro rico em história, fantasia e cores, de inicio essa riqueza me encantou. Eu estava amanda tudo no livro, principalmente a chegada do belo e jovem Joaquim a uma tribo curupira onde ele descobre uma planta com o poder de transportas as pessoas no tempo. Joaquim consegue um pouco dessa erva para pesquisar, já que ele é um grande amante do estudo de botânica. Ele vai embora dessa tribo com o aviso do pajé sem nome da tribo, que dizia a ele que ter a planta traria algumas consequências. Tudo isso acontece em 1906.


Letícia é uma jovem psicologa que esta com o casamento fadado ao fracasso, ela é casada com um médico chamado Glauber e ele e sua amiga Gisele são sua única família. As coisas começam a mudar na vida dela quando ao caminhar pela rua ela esbarra em um estranho e eles acabam indo parar em seu escritório e tendo relações sexuais. Após esse homem ir embora ela encontra em seu consultório uma erva desconhecida mas muito atraente. E depois de um dia estressante ela decidi tomar um chá dessa erva, o que ela não imaginava é que isso levaria seu espirito a habitar um outro corpo no passado. De início isso parece ser apenas um sonho, sonho esse do qual ela gostava muito. 
Letícia habitava o corpo de uma moça chamada Françoise, que com sua irmã, tinha o plano de matar um general para se vingarem da morte de seus pais. 

No passado, Françoise que na verdade é Letícia começa a ter aulas de sedução com Joaquim para poder começar a seduzir o general, mas acaba sendo impossível não se sentirem atraídos em pelo outro com tanta intimidade. 

No futuro, Letícia está tentando se separar do seu marido e tendo todo o apoio de sua amiga Gisele. 

A história tem um ritmo frenético, não da para ficar entediado, eu queria ler pagina atras de pagina. 

A autora demonstra ter muita criatividade e escrever de forma um tanto quanto rápida, mas, quando o corpo de Françoise morre no passado, assassinada acidentalmente por capangas do General que queria a todo custo conseguir a erva, a história começa a tomar mais ação. 

Eu gostei do fato de a história ter ação e o ritmo frenético, assim não temos tédio, mas quando Fraçoise morre, começa a ter um certa loucura na história. Joaquim quer vir para o futuro/presente para encontrar Letícia, já que ele se vê completamente apaixonado, então começa um vai e vem de gente do passado para o futuro, do futuro para o passado. Vira uma loucura. É tanta gente indo e vindo de um tempo para o outro que chegou uma hora em que fiquei com a sensação de que a história estava bagunçada. 

Letícia já tinha vivido alguns momentos no seu passado real, então Joaquim viaja até o passado de Letícia que para ele é o futuro e muda algo ou deixa um recado para ela.

Com o passar da história algumas dessas loucuras de vai e volta no tempo são esclarecidas, outras nem tanto o que me fez terminar a história com a cabeça um tanto embaralhada.

Outro detalhe que de inicio não me incomodou, mas não demorou muito começou a tirar a minha paciência foi a quantidade de erros de concordância verbal e a falta de espaçamento entre as palavras. No começo do livro esses erros não eram tão presentes, mas não demorou muito e eles começaram a aparecer com maior frequência, acredito que esses erros poderiam ter sido evitados se a autora tivesse prestado mais atenção e também se a editora tivesse sido mais rígida na hora da revisão, muitos desses erros são coisas simples e se eles não tivessem aparecido com tanta frequência, com certeza não teriam me incomodado tanto. 

O final estava interessante, estava frenético e empolgante, e então, acabou de repente, acredito que autora poderia ter trabalhado melhor as ultimas paginas do livro, ter desenvolvido mais a escrita e a resolução da trama. 

Preciso deixar bem claro que a autora tem potencial e muita criatividade, mas ela também tem pressa e todos nós sabemos que com pressa não se desenvolve um final cativante.

Acredito e espero ler novos livros da autora futuramente com uma revisão melhor e com um final melhor desenvolvido porque a história é rica de cultura, imaginação e criatividade e a todo momento fica claro que ela tem potencial e que ele precisa ser melhor explorado.

6 comentários:

  1. Oi Séfora! Tudo bem?
    Conheço esse livro e quero muito ler esse livro, ou pelo menos queria... adoro literatura nacional, mas não suporto livros com erros, seja de concordância ou ortografia. Agora fiquei na duvida se leio ou não! Adorei sua resenha e parabéns pela sinceridade!
    Bj

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Não conhecia esse livro mas achei a capa um espetáculo. Confesso que durante a leitura da resenha o livro não chamou minha atenção em nenhum momento, mas quando soube que a morte de Françoise no passado deu um ritmo mais 'acelerado' ao livro, achei que as coisas começaram a ficar interessantes. Apesar disso, não sei se é um livro que eu leria. Realmente não me atraiu tanto assim.
    É uma pena que o livro tenha sido publicado com esse tipo de falha. É realmente muito ruim quando não se dá a devida atenção a esse tipo de coisa, mas quem sabe esses erros sejam consertados numa 2ª revisão, né?

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia o livro, mas confesso que não sou muito fã de história que viajam no tempo. Não sei porque, mas é um tema que não me ganhou ainda.
    Não tem coisa pior do que ler um livro que tenha erros na revisão, só espero que isso melhore porque pela sua resenha, não é um livro de todo ruim.
    Beijos
    https://recolhendopalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá, Séfora!

    Não conhecia o livro, nem a autora. É livro único? Fiquei pensando no final, que poderia ter sido melhor explorado... Talvez ela poderia fazer um conto, amarrando algumas pontas ou se aprofundando mais no que pareceu corrido? É uma dica, quem sabe.


    Beijo

    www.leitorasinquietas.com.br

    ResponderExcluir
  5. OOi!
    Confesso que o livro não me atraiu muito, mas parece mesmo ser uma história bem rico, mesmo com o fim não tão bem trabalhado. Mesmo com os pontos positivos que sitou, acho que não leria. :(
    ótima resenha!

    Beijoos!

    ResponderExcluir
  6. Olá. Comprei o livro é ele está perfeito! A autora chegou a mencionar que a primeira tiragem foi impressa com erros, mas já corrigiu. Acredito que, quando se escreve uma resenha dessas, e encontra um livro com esses erros, deve-se antes entrar em contato com o autor para verificar o que aconteceu. Fixa a dica para as próximas resenhas.

    ResponderExcluir

Olá!
Seja bem vindo ao Coleções Literárias. Sinta-se a vontade para deixar seu comentário.
Siga o blog também, seremos imensamente gratos.
CONTATO: colecoesliterarias@gmail.com
Beijos

© Coleções Literárias ♥ - Todos os direitos reservados - 2016 ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo