12/02/2016

[ RESENHA ] O Retrato de Dorian Gray

Titulo: O Retrato de Dorian Gray
Autor: Oscar Wilde
Editora: Martin Claret
Páginas: 215
Estrelas: 5/5 
O Retrato de Dorian Gray é a história de um jovem dotado de extrema beleza, que encanta a todos que o conhecem. No dia em que seu dedicado amigo, o pintor Basil Hallward, termina seu retrato, Dorian conhece Lorde Henry – rico, hedonista e extremamente sarcástico –, que vai exercer uma influência trágica e avassaladora na vida do belo jovem. No desenrolar da trama, são abordadas questões como a efemeridade da beleza, a amizade e valores morais.







Olá, caros leitores!

Hoje estou muito feliz porque vou falar sobre este livro, que está na minha lista de livros favoritos. É bem provável que alguns de vocês já o conheçam, mesmo que seja apenas de nome, afinal trata-se de um clássico da literatura mundial. Aqueles que nunca tiveram oportunidade de ler o livro ainda podem ter se deparado com a história de Dorian em um filme, que leva o mesmo nome do livro, lançado em 2009.


Confesso que meu interesse em ler o livro surgiu por causa do filme, que assisti antes da leitura e me apaixonei. A história se passa na Inglaterra, durante a Era Vitoriana e tem uma estética linda. Os personagens do filme (principalmente Lorde Henry) são ainda mais complexos no livro e nos despertam um sentimento de amor e ódio. Eu poderia elogiar vários aspectos neste livro, mas destacarei aqui os verdadeiros fios que conduzem a história.


Linguagem
Pelo contexto de Londres vitoriano, logo imaginamos pessoas elegantes desfilando pelas ruas com cartolas e roupas pretas. Toda essa elegância também é refletida na forma de falar dos personagens e até na forma de narrar do autor. Algumas palavras às vezes nos parecem estranhas, mas nunca difíceis demais para serem compreendidas.


Beleza
O tema central da narrativa gira em torno da ideia da beleza e da juventude, que são tratadas como coisas indispensáveis na vida de uma pessoa para que ela seja feliz. O próprio Dorian deseja ser belo e jovem para sempre, e é exatamente aí que comete o seu maior erro. Ao fazer tal desejo, mostra claramente que a beleza, para ele, era algo muito mais importante  do que a bondade.

- Harry – disse Dorian, vindo sentar-se junto deste –, por que não consigo sentir essa tragédia tanto quanto desejaria? Não sou de todo sem coração, não é verdade? (pag. 100)

Lorde Henry
Lorde Henry não é meu personagem favorito na história, mas é um personagem incrivelmente bem construído. É ele o responsável por mostrar a Dorian que sua beleza e juventude deveriam ser aproveitadas para fazer tudo o que quisesse. Lorde Henry é um hedonista, ou seja, alguém que acredita que a vida deve ser uma constante busca por formas de sentir prazer (qualquer forma de prazer, seja sexual, seja na degustação de comidas ou bebidas, seja na apreciação de uma bela música ou na contemplação de um quadro e etc), então praticamente age como um mestre para Dorian, orientando-o sobre as coisas que ele deveria aproveitar na própria juventude. 

No entanto, Lorde Henry não tem muitos princípios morais e, ao mesmo tempo em que ele parece um homem culto e inteligente, às vezes parece muito distante de entender os sentimentos das pessoas e as regras da sociedade. Com isso percebemos que é como se Basil e Lorde Henry representassem o "anjo" e o "demônio" que acompanham Dorian, pois ao mesmo tempo que um é cheio de ideias promíscuas e que desafiam a moral, o outro é defensor das virtudes e de uma forma pura de viver a vida. 

- Não te cases nunca, Dorian. Os homens se casam por fadiga, as mulheres por curiosidade: todos são logrados. ( pag. 53)

Alma
A ideia da existência de uma alma completamente diferente do corpo está presente na história do livro. A cada vez que faz algo de errado, Dorian percebe que pequenos detalhes são mudados no retrato que foi feito dele. O retrato se torna uma espécie de espelho que reflete a alma de Dorian, fazendo com que sua imagem pareça mais feia a cada vez que faz algo cruel.


Amor
O amor é representado no livro como um sentimento que admira a beleza muito mais do que a pessoa que a possui. Dorian se apaixona por uma atriz na história, porém seu amor por ela depende de que ela seja bela e interprete lindamente as personagens no teatro. O mesmo acontece com o pintor Basil, que demonstra um amor por Dorian pelo simples fato dele lhe inspirar a tornar sua arte cada vez mais bela. 


- Percebo que tu notaste... Não fales! Procura primeiro ouvir o que tenho a dizer-te. Dorian, desde o dia em que te vi, a tua personalidade exerceu em mim uma influência extraordinária. Eu fui dominado, alma, cérebro e talento, por ti. Tornavas-te para mim a visível encarnação desse ideal jamais visto, cuja concepção nos persegue a nós outros artistas, como um sonho extravagante. (pag. 113)


Vale a pena também dar uma olhadinha no trailer do filme, que é muito bom, apesar de não ser tão fiel ao livro. Me disseram que há uma versão cinematográfica ainda mais antiga desta história, e que é ainda mais fiel à original, mas ainda não tive a chance de ver. Mesmo que assista ao filme, insisto para que leia o livro, pois nele a história é muito mais densa. 

Espero que tenham gostado desta dica e, caso vocês já tenham lido o livro ou visto o filme, comentem aqui também para eu saber o que acharam. :D 

47 comentários:

  1. Olar
    Nunca li nada desse autor, nem tinha ouvido falar do livro ou do filme, rs
    Vou procurar o filme para ver depois.
    O tema parece ser interessante, padrões de beleza sendo relacionados com felicidade tem sido bem comuns até hoje. Em tempos de redes sociais, ver as pessoas sendo exaltadas por sua "beleza" é bem frequente.
    Não o leria agora, mas fiquei curiosa para saber como ele vai lidar com isso, se ele vai mudar suas concepções ou não.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gisele!
      Sim, pelo menos tente ver o filme, quem sabe você se anima a ler desta forma. A ideia é bem esta que você comentou mesmo, sobre as pessoas serem valorizadas pela beleza que têm. Bastante inteligente essa comparação com o que acontece nas redes sociais e admito que faz bastante sentido mesmo. É um tema bastante atual mesmo depois de tanto tempo. Beijos! ^-^

      Excluir
  2. Olá Jéssica!
    Eu AMO essa história. Eu já li faz um tempinho, mas pretendo ler novamente. Para mim, O retrato de Dorian Gray é um clássico e como clássico, devem ser apreciados. O que eu mais gostei da história, é do leve mistério e da trama em si. Eu sempre tô indicando pra todo mundo, haha. Parabéns pela resenha! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Anelise!
      Que bom encontrar mais uma fã de "O Retrato de Dorian Gray"! Isso me deixa muito feliz. Concordo com você que aquele mistério é interessante, faz com que a história tenha um toque de fantasia. Indique mesmo para os outros, todos deveriam ler este livro! hahaha Beijos! ^-^

      Excluir
  3. Oi Jéssica.
    Eu gosto muito desse livro, e adorei a forma como vc resenhou.
    Essa separação temática q vc colocou é bem legal pra quem ainda não teve contato com a obra, você pontuou temas bem importantes e vitais da obra.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Amanda!
      Fico muito feliz quando encontro quem goste deste livro também. Que bom que gostou da resenha e da forma como dividi os temas. Eu gosto de utilizar esta divisão, acho que facilita um pouco. Beijos! ^-^

      Excluir
  4. Oi Jéssica.
    Eu gosto muito desse livro, e adorei a forma como vc resenhou.
    Essa separação temática q vc colocou é bem legal pra quem ainda não teve contato com a obra, você pontuou temas bem importantes e vitais da obra.
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Oi, Jess, tudo bem?

    Como assim que essa é a primeira vez que tomo ciência desse livro?! OMG! Eu adorei a premissa dele, e tudo o que você destacou na sua resenha. Dá para ter uma boa ideia do poque ele está na sua lista de favoritos. Já quero ele para ontem! Que vergonha, eu não conhecia esse clássico! kkkkkkkkkkkk Amei a dica, de verdade!

    Beijos,
    Dai | Blog Cheiro de Livro Nacional

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dai! Tudo bem sim, e você?
      Imagina, não fique com vergonha! hahahaha Fico feliz que esta dica tenha contribuído de alguma forma para você e espero que consiga lê-lo em breve. Beijos! ^-^

      Excluir
  6. Nossa!!!
    Amei teu post!!! Menina sério mesmo, adorei a tua escrita e a forma como tu nos trouxe tudo aqui...parabéns!!!

    Sabe, eu conhecia o livro (claro, adoro o personagem) mas nunca li esse especificamente, mas as histórias por trás dele são tantas e tão legais e o vemos tanto em tando filmes... lembrei de cara do Van Helsing (filme)....ali ele é vilão...hehe...enfim, eu adoro tudo o que se relaciona ao Dorian Gray e os muitos "mitos e poréns" dele...

    amei a resenha...só me deixou com mais vontade ainda de ler!!!

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Denise!
      Muito obrigada pelos elogios e fico feliz que tenha gostado do post. Eu acho que nunca vi "Van Helsing", então nem imaginava que tinha um Dorian Gray lá. Mas agora que você me disse, fiquei interessada em ver. hahahaha Sei que Dorian Gray aparece também em um filme chamado "A Liga Extraordinária" e em um seriado chamado "Penny Dreadful". Aliás, agora sinto que preciso ver esse seriado e Van Helsing, que ainda não vi. hahaha Beijos! ^-^

      Excluir
  7. Olá, tudo bom?

    Confesso que nunca li nada do autor, mas sempre tive recomendações. Sua resenha me ajudou muito para que a minha curiosidade sobre ele fosse aguçada e ele entrasse para a minha lista (enorme, diga-se de passagem) de leituras. Confesso também que preciso ler mais clássicos, pois sei o quão importantes eles são para a nossa literatura.

    Parabéns pelo post, essa resenha ficou incrível! Adorei a dica, obrigada de coração <3

    Beijos!

    http://instantesmemoraveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Wellida! Tudo bem, e você?
      É sempre uma grande felicidade para mim saber que alguém se interessa em ler este livro. Já que teve também outras pessoas que recomendaram, sinto que esta é a hora, amiga! hahaha Clássicos são legais porque nos tiram um pouco da zona de conforto, pois geralmente apresentam uma linguagem diferente da que estamos acostumados. Que bom que gostou da resenha! Beijos! ^-^

      Excluir
  8. Oiiii eu também vi por cima o filme mas não assisti e quando vi o nome até pensei que tinha a ver com os 50 tons e até já ia virando os olhos porque não aguento mais ver aquela versão de homem. jkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Mas que bom que é algo diferente e ainda numa era linda, cheia de coisas em estilo e arquitetura diferente e que eu acho maravilhoso. A sua resenha ficou cheia de detalhes, principalmente ao quesito emocional, parabéns!

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.amigasemulheres.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Greice!
      Nossa, nem me fale daquele Christian Grey de "50 Tons de Cinza"! hahaha Também não aguento mais as pessoas tanto falarem dele. Pode ficar tranquila que o Dorian é bem diferente e o contexto todo também. Fico feliz em saber que gostou da resenha. Beijos! ^-^

      Excluir
  9. Oi Jessica, eu já ouvi falarem tanto desse livro mas confesso que não faz o estilo que eu gosto, não sou muito chegada em clássicos e por isso acredito que não leria ele no momento, mas talvez mais para frente posso dar uma chance e ver o que eu acho.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kétrin!
      Eu entendo, teve uma época também que eu não tinha muito o gosto pela leitura de clássicos. Isso foi adquirido com o tempo, depois que li alguns e gostei. Mas sei que algumas pessoas não gostam mesmo. hahaha Beijos! ^-^

      Excluir
  10. Olá!

    Tenho uma grande dificuldade em ler clássicos, por conta da leitura que é um pouco mais arrastada e por não ter o hábito de ler livros desse gênero. Porém, eu já ouvi falarem muito bem sobre esse livro, e espero que um dia eu possa vir a lê-lo.

    Beijos,
    http://entreoculoselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Thayenne!
      Bom, sobre "O Retrato de Dorian Gray", eu acho a leitura até bem dinâmica. Mas confesso que existem realmente clássicos que têm um tipo mais lento de narrativa. Espero que um dia você possa ler este livro e tirar suas próprias opiniões sobre ele. Beijos! ^-^

      Excluir
  11. Oi Jéssica, eu não conhecia o livro e nem o filme mas confesso que não gostei da capa e se fosse só por ela, eu não leria.

    Mas aí vem a tua resenha e me mostra o quanto o livro pode ser viciante. Eu romances de época ou históricos, mas livros clássicos tem um charme especial e um contexto maravilhoso, geralmente. Eu gostei muito de ver a sua opinião sobre o livro e de ver que você o favoritou, é tão difícil ver jovens se interessarem por livros e ainda mais livros clássicos (falou eu lado idosa kkk) enfim, fiquei curiosa com o livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Beatriz!
      Sobre a capa, eu admito que também não gostei muito desta. Caso esteja interessada, há uma nova edição publicada pela Biblioteca Azul, que possui uma capa que achei mais bonita que esta. Infelizmente, quando fui comprar, ainda não existia aquela edição. Espero que goste da leitura. Beijos! ^-^

      Excluir
  12. Oii!!

    Eu já ouvi falar muito desse livro e do filme mas ainda não tive oportunidade de ler e assistir.
    Gostei da forma como a obra te tocou e do jeito que você separou a resenha, ficou agradável de se ler.
    Confesso que não sou tão fã de classicos, por ter um certo medinho em relação a escrita, mas esse não me assustou taaanto HAHAHA. Dica anotada!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana!
      Fico feliz por saber que gostou da forma como dividi a resenha. Eu costumo usar este tipo de divisão porque acho que fica mais fácil destacar alguns pontos. A linguagem deste clássico não é tão difícil como alguns outros, vale a pena você dar uma olhadinha. Qualquer coisa, veja o filme antes para dar uma animada e ver se gosta! Beijos! ^-^

      Excluir
  13. Olá, tudo bom?
    Li esse livro no colégio, mas uma versão mais reduzida da história porque era "leitura obrigatória" o que eu acho super errado. Enfim, tive que ler por obrigação e acabei não aproveitando tudo o que a obra poderia me proporcionar. Morro de vontade de reler, mas continuo adiando. Quero uma edição mais completa do que a que li da primeira vez. Parabéns pela resenha ♥

    Beijos, Roberta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Roberta! Tudo bem, e você?
      Sei bem como é, às vezes nós não nos empolgamos muito em ler algo quando somos obrigadas a fazer isso. Espero que consiga reler novamente para aproveitar melhor a obra. Sobre as edições, indico esta da Martin Claret por questão de praticidade (porque ela é de bolso) ou a edição da Biblioteca Azul (que é de capa dura e bem completa). Beijos! ^-^

      Excluir
  14. Oi Jéssica! Sempre tive vontade de ler esse livro, mas adiei várias vezes! Depois dessa resenha bacana (e de saber que existe adaptação ao cinema), com certeza vou pular na frente na fila de leitura. Adoro esse tipo de história (onde a elegância no andar, falar e agir ainda prevalece) e essa parece ter uma beleza realmente diferente.
    Obrigada pela dica!

    Abraço!

    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Karla!
      Eu confesso que quando fiquei sabendo sobre a existência desse livro, também pulei um pouco minha fila de leitura para lê-lo. Vale a pena! hahaha Se você gosta desse contexto elegante de Londres, vai amar a história. Beijos! ^-^

      Excluir
  15. Oi Jéssica,
    Li versões da obra e vi o filme, realmente é um clássico mundial que inspira tanto na literatura quanto na telinha. Quando li lembro de ter apreciado e sei por cima o enredo, mas os detalhes me fogem, já que ao iniciar uma nova obra limpo a mente para absorver o nome mundo que encontrarei nas páginas. Não curto muitos clássicos e os que mais li até hoje foram os da Jane Austen.

    Boas leituras.
    Beijos
    http://amagiareal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Elisandra!
      Mesmo não curtindo muito clássicos, fico feliz que você já tenha lido este e goste. É legal encontrar pessoas que reconhecem a força desta obra. Beijos! ^-^

      Excluir
  16. Olá, Jessica. Tudo bem?
    Não tenho o costume de ler clássico e não conhecia este, nem o filme. Achei a premissa bem interessante e de muita profundidade. Vou buscar o filme para assistir e quem sabe não me anime em ler o livro; pois tenho receio da linguagem.

    Beijos
    Carla Fernanda
    http://livrosqueliblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carla! Tudo bem, e você?
      Sim, veja o filme! Pode servir como estímulo. A linguagem não é tão difícil como a da maioria dos clássicos, eu acho. Vale arriscar. Beijos! ^-^

      Excluir
  17. Olá Jéssica! Eu já assisti o filme O Retrato de Dorian Gray e gostei bastante. Conheço muito bem a história, mas sempre quis ler o livro, só que estou esperando achar uma edição bonita e barata dele para comprar e ler *-*
    Você gosta de séries? Tem uma que amo chamada Penny Dreadful em que o Dorian Gray é um dos personagens. Dá uma olhada ai pra ver se você gosta!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, José!
      Tem uma edição que acho bem bonita, que é publicada pela Biblioteca Azul, de capa dura e bem feita. O problema é que ela não é muito barata. A vantagem desta edição da Martin Claret é que ela tem um preço super acessível. Ouvi mesmo dizerem que tem um Dorian Gray em Penny Dreadful, mas ainda não comecei a assistir a série. Estou super ansiosa, só preciso de um tempinho. hahaha Beijos! ^-^

      Excluir
  18. Oi Jéssica, tudo bem??
    Assisti esse filme e me apaixonei, desde então penso em ler o livro... a sua resenha foi completamente inspiradora... essa forma de trazer os elemento mais importantes para o nosso deleite de leitor... fez com que a minha vontade em conhecer o enredo só aumentasse... eu gostei muito do filme e dos atores que interpretaram os papéis... e imagino um pouco da diferença que possa ser o livro e o quanto ele deve ser mais completo... xero!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Diana! Tudo bem, e você?
      O filme é realmente ótimo mesmo, e fico feliz que você também tenha gostado da forma como organizei a resenha pelos elementos importantes. Já que você gostou tanto do filme, acho que você deveria ler o livro também, aposto que você iria adorar. Beijos! ^-^

      Excluir
  19. Sua resenha me fez pensar e acredito que o livro provavelmente faça o mesmo. Assim como Dorian vincula tudo a junventude e a beleza, não estaria a nossa sociedade atual fazendo o mesmo? O quanto de nossa felicidade não vinculamos a esses mesmos aspectos?
    Durante anos o amor entre pessoas mais idosas foi taxado como "indecente" ou "nojento". Até hoje as famosas rugas da idade são vistas como sinônimo de feiura e motivo de infeliceidade para muitos.
    É um livro que vai para a lista, fácil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mari!
      Você tem toda a razão! Concordo que muitos aspectos abordados no livro ainda estão presentes até hoje na sociedade quando falamos de beleza e juventude. Sua reflexão foi bastante inteligente, e acho que vai gostar do livro, pois sua história realmente foi escrita com o objetivo de fazer com que questionássemos os valores da sociedade em questão de padrão de beleza. Beijos! ^-^

      Excluir
  20. Oiii,
    O Retrato de Dorian Gray é um grande clássico, cheio de reflexões e citações ácidas do grandioso Oscar Wilde. Eu particularmente amo esse livro, pois mesmo sendo tão antigo ele consegue abordar temas atuais como a hipocrisia da sociedade...
    Oscar Wilde foi um gênio!
    Confesso que não curti o filme! Achei péssima a escolha do autor e muita coisa foi descaracterizada nessa ultima adaptção.
    Recomendo a série Penny Dreadful, tem vários personagens dos clássicos e Dorian é um deles!

    Beijos
    Aline Lima

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline!
      Concordo com tudo o que você disse sobre Oscar Wilde. Que pena que você não gostou do filme. Vi algumas mudanças com relação ao livro, mas não chegou a me causar nenhuma má impressão. E pretendo ver Penny Dreadful em breve! Estou ansiosa! hahaha Beijos! ^-^

      Excluir
  21. Olá, tudo bem??

    Eu não conhecia bem o livro e nem o filme... Mas os personagens parecem ser cativantes e encantadores, apesar da sua opinião sobre o filme, vou procurar assisti-lo algum dia desses, mas antes acho que vou procurar o livro, a parte que mais me interessou foi por esse retrato da sociedade!

    XOXO
    Umnovo-roteiro.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, linda! Tudo bem, e você?
      Que bom que se interessou pelo livro e o filme. Dê uma olhadinha, você vai gostar. Beijos! ^-^

      Excluir
  22. Estou louca para ler esse livro, já assisti o filme e até comprei meu exemplar,
    infelizmente em meio a tantos lançamentos, acabei negligenciando esse livro. Amei a forma que você fez sua resenha, os elementos que ressaltou para depois explaná-los, me recordo de boa parte do que você falou de quando assisti o filme, mesmo que de forma superficial consegui ter basicamente as mesmas impressões que você.

    Abçs
    Sou bibliófila

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Delmara!
      Se você já tem até o exemplar, se jogue nessa leitura, é muito boa! Como você viu o filme, acho que também conseguiu ter uma boa ideia sobre o que a obra conta e fico feliz que tenha tido opiniões parecidas com as minhas. Agradeço pelo que você disse sobre a organização da resenha, fico satisfeita que você tenha gostado. Beijos! ^-^

      Excluir
  23. Oie! Há muito tempo tenho curiosidade em conhecer a escrita de Oscar Wilde, mas ainda não tive a oportunidade. Como você citou, conheço a obra apenas por título, porém adorei ler sua resenha e saber um pouco mais sobre todos os assuntos que o livro aborda. Minha empolgação para ler se intensificou ainda mais quando li sobre os problemas que Lorde Henry tratá para o jovem e sobre o retrato que se modifica. Trarei de pesquisar um pouco acerca do livro e do filme agora mesmo! A sua resenha ficou encantadora, assim como as fotografias do exemplar. *--*

    Beijos,
    Fernanda F. Goulart,
    Império Imaginário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fernanda!
      Oscar Wilde é um verdadeiro lorde escritor! hahaha Bom, pelo menos por esse livro, eu posso afirmar que sim. É uma escrita que utiliza um vocabulário muito elegante e inspirador. Fico muito feliz que tenha se interessado pelos temas da obra e gostado da resenha. Beijos! ^-^

      Excluir
  24. Eu tenho uma pontinha de curiosidade de conhecer a história melhor, mas ainda não consegui encaixar a leitura do livro na minha lista. Acredita que nem o filme eu consegui assitir inteiro? E nem sei dizer exatamente por que... só não rolou. Mas admiro o autor por todos os elogios que sempre vejo sobre seus textos e livros e, espero que um dia leia o livro!
    Beijinhos,
    Lica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lica!
      Pena que não pôde ver o filme inteiro, eu realmente o acho muito interessante. Também espero que um dia você possa ler o livro e ver que ele realmente merece todos os elogios que recebe. hahaha Beijos! ^-^

      Excluir

Olá!
Seja bem vindo ao Coleções Literárias. Sinta-se a vontade para deixar seu comentário.
Siga o blog também, seremos imensamente gratos.
CONTATO: colecoesliterarias@gmail.com
Beijos

© Coleções Literárias ♥ - Todos os direitos reservados - 2016 ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo