07/12/2016

[ RESENHA ] Suzy e as Águas -Vivas

Título: Suzy e as águas-vivas
Autora: Ali Benjamin
Páginas: 224
Editora: Verus
Estrelas: 4/5 ♥
Livro: Cortesia da Galera Record
Um dos romances mais autênticos e comoventes dos últimos tempos. Finalista do National Book Award de 2015. Suzy Swanson está quase certa do real motivo da morte de Franny Jackson. Todos dizem que não há como ter certeza, que algumas coisas simplesmente acontecem. Mas Suzy sabe que deve haver uma explicação — uma explicação científica — para que Franny tenha se afogado. Assombrada pela perda de sua ex-melhor amiga — e pelo momento final e terrível entre elas —, Suzy se refugia no mundo silencioso de sua imaginação. Convencida de que a morte de Franny foi causada pela ferroada de uma água-viva, ela cria um plano para provar a verdade, mesmo que isso signifique viajar ao outro lado do mundo... sozinha. Enquanto se prepara, Suzy descobre coisas surpreendentes sobre o universo — e encontra amor e esperança bem mais perto do que ela imaginava. Este romance dolorosamente sensível explora o momento crucial na vida de cada um de nós, quando percebemos pela primeira vez que nem todas as histórias têm final feliz... mas que novas aventuras estão esperando para florescer, às vezes bem à nossa frente.

Suzy e Franny se conheceram ainda bem pequenas e tornaram-se melhores amigas. Elas eram como irmãs, Franny sempre mais na dela, mais calada, tímida e Suzy sempre tinha muito o que falar, seus pais até a aconselharam fazer perguntas as pessoas para que assim ela também aprendesse a ouvir, mas Franny gostava de ouvir Suzy falar.
Tudo começou a mudar quando elas fizeram 12 anos e Franny começou a se comportar de forma diferente, e aos poucos foi fazendo amizades com um grupo de garotas populares, garotas que não se pareciam em nada com Suzy ou com a Franny de antes. As coisas chegaram a um ponto critico, onde Suzy começou sofrer bullying não só por aquelas garotas, mas também por sua ex-melhor amiga Franny.


Durante as férias Suzy recebe uma noticia terrível, Franny tinha morrido afogada, saber daquilo a deixou triste, ainda mais ao saber de tudo depois de 2 dias do ocorrido, mas algo ficou martelando em sua cabeça... Como Franny poderia ter morrido afogada se ela era a melhor nadadora que Suzy conhecia? Isso não era possível. 
Suzy simplesmente não conseguia aceitar que o afogamento foi o motivo que tirou a vida de sua amiga, então durante uma visita a um local de exposição de águas-vivas ela encontra a resposta de sua pergunta. Essa era a única explicação, Franny foi morta por uma água-viva e uma água-viva irukandji e Suzy queria apenas provar isso para todos.

05/12/2016

[RESENHA] Cilada Para Um Marquês



Título: Cilada Para Um Marquês - Série Escândalos e Canalhas

Autora: Sarah MacLean
Páginas: 320
Editora: Gutenberg
Estrelas: 5/5
“De todas as bobagens incríveis que ele já tinha visto as mulheres fazendo ao longo de sua vida, aquela era, sem dúvida, a pior.”
Sophie Talbot é conhecida pela Sociedade como uma das Irmãs Perigosas – mulheres Talbot que fazem de tudo para se arranjar com algum aristocrata. O apelido chega a ser engraçado, pois se existe algo que Sophie abomina é a aristocracia. Mas parece que mesmo não sendo uma irmã tão perigosa assim, o perigo a persegue por todos os lugares.
Quando a mais “desinteressante” das irmãs Talbot se torna o centro de um escândalo, ela decide que chegou a hora de partir de Londres e voltar para o interior, onde vivia antes de seu pai conquistar um título. Em Mossband, ela pretende abrir sua própria livraria e encontrar Robbie, um jovem que não vê há mais de uma década, mas que jura estar esperando por ela.
No entanto, ao fugir de Londres, seu destino cruza com o de Rei, o Marquês de Eversley e futuro Duque de Lyne, um homem com a fama de dissolver noivados e arruinar as damas da Sociedade. Rei está a caminho de Cumbria para visitar o odioso pai à beira da morte e tomar posse de seu ducado. Tudo o que ele menos precisava era de uma Irmã Perigosa em seu encalço.
O Marquês de Eversley está convicto de que Lady Sophie Talbot invadiu sua carruagem para forçá-lo a se casar com ela e conquistar um título de futura duquesa. Já Sophie tenta provar que não se casaria com ele nem que fosse o último homem da cristandade. Mas e quando o perigo tem olhos verdes, cabelos claros e a língua afiada?

Primeiramente, um fato sobre Sarah MacLean: essa mulher nunca decepciona!
Com uma escrita irreverente e personagens apaixonantemente divertidos ela conseguiu me conquistar mais uma vez.

Cilada Para Um Marquês é o primeiro livro da série Escândalos e Canalha. Aqui nós conhecemos Sophie Talbot, a “Irmã Perigosa” mais nova da família. Sophie sempre odiou a aristocracia, sempre repulsou a maneira como sua família era tratada pela sociedade, afinal, seu pai enriqueceu graças à profissão de carvoeiro e nenhum nobre aceita que toda a fortuna se deu com muito esforço e trabalho e não com uma jogada de sorte. Por essa razão e, principalmente, por não ter comportamentos típicos da aristocracia daquela época, Sophie e suas irmãs são chamadas de Cinderelas Borralheiras.

Sarah MacLean tem o verdadeiro dom de nos cativar nas primeiras linhas de suas obras, em Cilada Para Um Marquês não foi diferente. Ela transformou uma trama que, aparentemente, tinha muitos indícios de se tornar um clichê – mocinha em busca de liberdade encontra libertino com um passado perturbador, ele descobre que a ama e se livra de seus demônios subitamente – numa história completamente original e surpreendente. Aliás, o livro já começa de forma bombástica e, a cada início de capítulo é uma surpresa diferente. (Logo, logo eu revelo parte do motivo)


Nossa protagonista é, também, a mais reservada da família; aquela que todos apostam que ficará para titia, muito diferente das irmãs que simplesmente adoram serem os centros das atenções, mas a festa sobre a China, que, na verdade, deveria ser sobre o Japão da Condessa de Liverpool foi o estopim para que os limites da mocinha sumissem. Ao ver seu cunhado traindo sua irmã atrás da mansão Liverpool, Sophie perde totalmente o controle e provoca o que viria a ser sua ruína: ela o empurra e ele cai num tanque de água cheio de peixes. Como se não bastasse isso, todos os convidados da festa presenciam a cena deplorável.

04/12/2016

[ RESENHA ] Segredos de Um Pecador

Título: Segredos de Um Pecador
Autora: Madeline Hunter
Páginas: 240
Editora: Arqueiro
Estrelas: 5/5
Leona Montgomery foi criada na China. Com pai inglês e mãe portuguesa, aprendeu desde cedo a se adaptar aos costumes de outras terras e adquiriu uma cultura e uma sofisticação incomuns às mulheres de seu tempo. Por isso, quando o pai, já viúvo, morreu, deixando os dois filhos em uma situação financeira difícil, Leona assumiu os cuidados do irmão caçula e os negócios da família. Trabalhando pela recuperação da Montgomery & Tavares, ela viajou por diversos países, negociou com homens rudes e enfrentou piratas. Recém-chegada a Londres, agora espera fechar parcerias comerciais e dar sequência a uma investigação que o pai não pôde concluir. Mas estar em Londres significa algo mais.   Sete anos atrás, Edmund, um naturalista inglês, deixou Macau à noite, depois de um beijo de despedida que Leona nunca esqueceu, e retornou à Inglaterra. O que Leona não poderia imaginar era que Edmund na verdade é Christian Rothwell, o marquês de Easterbrook, um homem poderoso envolto em mistérios e que talvez se beneficiasse com o fim das investigações de seu pai. Dividida entre o dever e a tentação, é na cama do marquês que ela fará suas maiores descobertas.


Segredos de um Pecador nos traz a história do irmão mais velho dos Rothwells, Christian, que é o marquês Easterbrook considerado meio louco e excêntrico pela sociedade. Sua personalidade diferente é explicada por ter herdado da mãe um dom que faça com que se isole o máximo possível de outras pessoas pois esses sentimentos exacerbados são ampliados por multidões. Porém, tudo muda quando Leona Montgomery vai parar em Londres. Os dois tem um passado de paixão que deixou marcas e mentiras. Será capaz de os dois perdoarem-se e fazer esse amor florescer?

Diferentemente dos livros anteriores, Madeline Hunter nos traz um pouco mais de excentricidade e conectividade dos personagens. Leona é uma mulher de personalidade forte, diferente do que se é esperado pois ela não é totalmente inglesa e foi criada na China. Vinda de outros costumes, de outros lugares, foi um impacto e tanto seu modo de agir na sociedade Londrina. E isso foi um ponto muito positivo durante todo o decorrer das páginas, afinal ela veio com um propósito e mesmo se deparando com situações onde poderia não querer mais descobrir o autor da morte do seu pai, ela vai encarar a situação mesmo assim. 


Paralelamente temos o Christian, que já conhecíamos pelas suas passagens em outros livros e que já sabíamos do seu grande coração. Aqui veremos mais especificamente seu lado protetor com aqueles que ama e principalmente as explicações de situações um pouco estranha que ele vive. Todos os Rothwells tem um lado excêntrico por causa da família, mas acho que o do marquês possa ser considerado o pior. E só por isso você já fica torcendo para o casal dar certo, afinal de alguma forma Leona diminui isso.
© Coleções Literárias ♥ - Todos os direitos reservados - 2016 ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo